PROSSIGA...
29/06/2013 | 11h42

Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas. O pássaro insistiu para que o vôo entrasse. O peixe, para que o nado fizesse parte do currículo também. A toupeira achou que cavar buracos era fundamental. O coelho queria de qualquer jeito a corrida. O esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental. E assim foi...

Incluíram tudo, mas cometeram um grande erro. Insistiram para que todos os bichos praticassem todas as disciplinas. O coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele. Mas queriam ensiná-lo a voar. Colocaram-no numa árvore e disseram: - Voa, coelho! Ele saltou lá de cima e quebrou as pernas. Não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também. O pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar buracos como uma toupeira. Quebrou o bico e as asas, e depois não conseguia voar tão bem, nem cavar buracos.

Moral da história: Todos nós somos diferentes. Cada um tem uma coisa de bom. Não podemos forçar os outros a serem parecidos conosco. Desta forma, acabaremos fazendo com que eles sofram, e no final, não serão nem o que nós queríamos, nem o que eles eram em sua essência.

Pois no mundo dinâmico em que vivemos, cada vez mais temos a certeza de que não vivemos a era do “ou”, e sim do “e”. Não podemos permitir a radicalidade em nossos pensamentos e atitudes, “ou” isto “ou” aquilo. A filosofia do “e” agrega. Nos ensina a respeitar as diferenças, e como em uma orquestra, nos ensina que a diversidade e as diferenças é que fazem o conjunto ficar cada vez mais lindo. Se tivéssemos uma nota só, as músicas seriam entediantes. Assim é a vida... Podemos aprender com o exemplo dos bichos, com o exemplo natureza que nos proporciona a cada entrada de estação uma beleza indescritível. Ora sentimos a luminosidade intensa do sol com o seu calor que nos aquece, ora sentimos o frescor do outono que chega de mansinho, ora sentimos o frio do inverno que nos faz aconchegar, ora sentimos o desabrochar da primavera que vem colorir as nossas vidas e mostrar que a vida é viver e nascer todo dia um pouquinho... Concluindo, podemos aprender pelo amor ou pela dor. Porém, a beleza está em apreciar a caminhada nos espinhos e nas flores... Porque por maior que seja a nossa caminhada, ela começa sempre com um primeiro passo... Existem pessoas que se habituam a planejar, projetar mil idéias e, no entanto, nada sai do campo das intenções. Em suas mentes os planos mais mirabolantes são possíveis, e os projetos mais complicados são factíveis, desde que outros os assumam.

São pessoas que se esquecem que, se planejar é indispensável para o bom andamento e provável sucesso da empreitada, nada se concretizará de fato, se não derem o primeiro passo. Por mais difícil que possa parecer inicialmente a realização de um projeto, de um desejo, de um plano, somente após ter dado o primeiro passo em sua direção é que podemos realmente avaliar sua viabilidade. Há uma certa distância entre o pensar e o fazer, embora estejam interligados e um dependa do outro. O primeiro passo implica certamente um risco, mas sem ele nada poderá ser realmente levado adiante.

Às vezes, as pessoas que são criticadas são as que mais tentam fazer algo construtivo em suas vidas. Espanta-me como as pessoas que não fazem nada querem criticar aqueles que tentam fazer alguma coisa. Depois de muitos anos sofrendo com as críticas das pessoas e tentar ganhar a sua aprovação, eu finalmente decidi que, se minha consciência está em paz comigo, isto é suficiente. Cada vez que alguém critica você, tente fazer uma afirmação positiva sobre si mesmo e para si mesmo. Não fique perto e absorva tudo que alguém queira despejar sobre você. Estabeleça a independência! Tenha sua própria atitude sobre si mesmo e não seja derrotado pela crítica.

Winston Churchill foi primeiro-ministro britânico por duas vezes (1940-45 e 1951-55).  Orador e estadista notável, ele também foi oficial no Exército Britânico, historiador ,  escritor e artista. É o único primeiro-ministro britânico a ter recebido o Prêmio Nobel de Literatura e a cidadania honorária dos Estados Unidos. Certa feita frequentou uma cerimônia oficial. Várias filas atrás dele dois senhores começaram a murmurar. “Eles dizem que Churchill está ficando velho.” “Eles dizem que ele deveria se afastar e deixar o funcionamento da nação aos homens mais dinâmicos e capazes.” Quando a cerimônia terminou, Churchill voltou-se para os homens e disse: “Senhores, eles também dizem que ele é surdo!”

Portanto, Prossiga. Por mais que lhe falem de tristeza... prossiga sorrindo! Por mais que lhe demonstrem rancor... prossiga perdoando! Por mais que lhe tragam decepções... prossiga confiando! Por mais que lhe ameacem de fracasso... prossiga apostando na vitória! Por mais que lhe apontem erros... prossiga com os seus acertos! Por mais que discursem sobre a ingratidão... prossiga ajudando! Por mais que noticiem a miséria... prossiga crendo na prosperidade! Por mais que lhe mostrem destruições... prossiga na construção! Por mais que acenem doenças... prossiga vibrando saúde! Por mais que exibam ignorância... prossiga exercitando sua inteligência! Por mais que o assustem com a velhice... prossiga sentindo-se jovem! Por mais que plantem o mal... prossiga semeando o bem! Por mais que sua luta seja grande... DEUS é maior!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
BOMBOM NA FINAL DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES ...
28/06/2013 | 21h38

Sr. Carlos Alberto Nunes Fernandes(Bombom ), funcionário da Empresa SERVIR, que presta serviço ao ISECENSA ... comprou uma caixa de bombom da Garoto no Preço Bom da Avenida Alberto Torres... e para a sua surpresa... ao abrir a caixa de bombom encontrou passagens aéreas ida e volta para o Rio de Janeiro, hospedagem, alimentação e... dois ingressos para assistir a final da Copa das Confederações... e ver o nosso BRASIL ... além de um city tour pelo Rio de Janeiro durante todo o fim-de-semana!!!

Vai Bombom você merece!!!

Domingo no Maraca...Valeu Garoto!!!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
1º FERA Night Run
27/06/2013 | 12h09

Aconteceu o  1º FERA Night Run (prova de corrida noturna) no polo gastronômico em Grussaí, São João da Barra, organizado pela FERA Assessoria esportiva dos professores Ronaldo Maciel e JH Ferrari.  Foram mais de 300 atletas inscritos o que coroou a grandeza do evento. O percurso mesclou corrida no asfalto e na areia,  com tochas que iluminavam todo caminho dando  um  charme especial a  prova que  ocorreu a noite. O curso de Fisioterapia e de Educação Física do ISECENSA e a Clínica Escola de Fisioterapia apoiaram o evento esportivo.

Filipe Jorge Sampaio e  Sileno Junior profesores do ISECENSA e fisioterapeutas da Clinica Escola do ISECENSA.

Premiação do atleta vencedor.

Os alunos da Fisioterapia contribuíram oferecendo aos participantes atendimento fisioterapêutico preventivo, realizando crioimersão, técnica que visa minimizar os danos teciduais pós prova através de resfriamento brusco por imersão em água com gelo e realização de alongamentos que permitiram uma melhor recuperação após o esforço.

Os cursos de Educação Física e Fisioterapia do ISECENSA marcaram presença no evento. Os alunos da Educação Física tiveram participação efetiva na organização da prova e direcionamento do trajeto.

Sileno Júnior, Camila Santana e Felipe Jorge.

O grande campeão da prova foi o atleta Luis Cláudio Barreto, que realiza fisioterapia na Clínica Escola Maria Auxiliadora (CEMA), e de forma muito simpática, sempre dedica seus resultados ao corpo clínico da CEMA, pois graças ao tratamento o atleta consegue realizar seus treinos e alcançar os resultados.

Os professores  Sileno Junior, Anderson Moraes, Felipe Jorge e Jeferson Silva.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
NÃO EXISTE MÃE SOLTEIRA...
26/06/2013 | 11h15

Para refletirmos... e tirarmos as alfândegas de nossas vidas... a vida é simples...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
E você seria salvo?
22/06/2013 | 11h23

Duas estórias e uma reflexão...

No ventre de uma mulher grávida estavam 2 bebês. O primeiro pergunta ao outro: 1.Você acredita na vida após o nascimento? 2.Certamente. Algo tem de haver após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde. 1.Bobagem, não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida? 2.Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca. 1.Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Eu digo somente uma coisa: A vida após o nascimento está excluída - o cordão umbilical é muito curto. 2.Na verdade, certamente há algo. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui. 1.Mas ninguém nunca voltou de lá, depois do nascimento. O parto apenas encerra a vida. E afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão. 2.Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós. 1.Mamãe? Você acredita na mamãe? E onde ela supostamente está? 2.Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria. 1.Eu não acredito! Eu nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que não existe nenhuma. 2.Bem, mas às vezes quando estamos em silêncio, você pode ouvi-la cantando, ou sente, como ela afaga nosso mundo. Saiba, eu penso que só então a vida real nos espera e agora apenas estamos nos preparando para ela...

A outra estória é de um empregado em um frigorífico da Noruega.

Certo dia ao término do trabalho foi inspecionar a câmara frigorífica. Inexplicavelmente, a porta se fechou e ele ficou preso dentro da câmara. Bateu na porta com força, gritou por socorro mas ninguém o ouviu, todos já haviam saído para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo. Já estava quase 5 horas preso, debilitado com a temperatura insuportável. De repente a porta se abriu e o vigia entrou na câmara e o resgatou com vida. Depois de salvar a vida do homem, perguntaram ao vigia: Porque foi abrir a porta da câmara se isto não fazia parte da sua rotina de trabalho? Ele explicou: Trabalho nesta empresa há 35 anos, centenas de empregados entram e saem aqui todos os dias e ele é o único que me cumprimenta ao chegar pela manhã e se despede de mim ao sair. Hoje pela manhã disse “Bom dia” quando chegou. Entretanto não se despediu de mim na hora da saída. Imaginei que poderia ter-lhe acontecido algo. Por isto o procurei e o encontrei… Pergunta: Será que você seria salvo?

A violência e a intolerância têm dominado o mundo. Observe como elas estão ao seu redor, nos noticiários da televisão, nas páginas dos jornais e das revistas, nas conversas em rodas de amigos. Impotentes que nos sentimos diante de sua escalada, recorremos às leis – contratos firmados entre os homens para regular a convivência em sociedade. Uns passam a defender a pena de morte, um maior rigor na aplicação das normas, a antecipação da maioridade penal, etc. Buscamos proteção e sequer percebemos que pouco contribuímos para alcançá-la. Os males que nos afligem decorrem de nossa natureza individualista. Queremos sempre mais. Mais posses, mais bens, mais exposição. Mais coisas quantificáveis, palpáveis, que possam ornamentar uma parede ou serem vistas sobre um móvel de mármore. E, em contrapartida, temos menos carinho, companhia, afeto. Beijamos poucos e abraçamos menos ainda. Todo jovem, em algum momento de sua vida, nutre a utopia de construir uma sociedade mais justa, onde as diferenças socioeconômicas sejam abrandadas. Ele sabe de sua força e da importância de suas ações para obter esse feito. Mas a idade adulta nos visita e passamos a acreditar que a humanidade não pode ser salva e que uma atitude pontual é suficiente para surtir efeito. Aqui reside a grande quebra de paradigma.

São as pequenas ações individuais, tomadas coletiva e sucessivamente, a gênese da transformação. Lembro-me de um provérbio chinês que diz: Antes de iniciares a tarefa de mudar o mundo, dá 3 voltas na tua própria casa. Este processo contínuo e envolvente é chamado de Espiral da Ética. A imagem da espiral remete a algo flexível e em constante movimento ascendente. E a ética invoca aos preceitos morais que habitam com naturalidade nosso íntimo.

Alimentamos esta Espiral da Ética através de nossos comportamentos e atitudes. Poderíamos desfilar aqui muitos exemplos, mas você poderá fazer sua própria lista e começar a colocá-la em prática imediatamente. O Poder da Gentileza nos torna conscientes e nos faz agir em direção a práticas mais nobres e menos superficiais. Você encontrará sua essência, a paz e a calma que tanto merece. Ao fazer isso por você, estará fazendo por todos nós.

Blaise Pascal gênio da matemática, inventor da máquina de calcular e filósofo nos diz: “O espírito de gentileza nunca ganhou centralidade, por isso somos tão vazios e violentos. Hoje ele é urgente. Ou seremos gentis e cuidantes ou nos entre devoraremos.” Embora insistamos em acreditar que a essência de nossa busca deva ser por “coisas”, no fundo, nada mais desejamos – genuinamente – além de felicidade, o que, definitivamente, não está nas “coisas” e sim na relação que mantemos com as pessoas. É isso que pode realmente nos fazer sentir satisfeitos, preenchidos e em paz! Pois: Cego é aquele que é incapaz de enxergar outro mundo. Mudo é aquele que é incapaz de dizer palavras amáveis no momento certo. Pobre é aquele que é atormentado por ambição desmedida... e Rico é aquele cujo o coração está em paz!

E você seria salvo?

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
TROCANDO O CANHÃO PELO COMPUTADOR...
21/06/2013 | 11h28

Ontem à noite, saindo da universidade, ao voltar pra casa, me deparei na "praça do canhão" ou "fatia de queijo", com esta imagem... não resisti e desci do carro para fotografar... Além de toda criatividade de quem colocou o computador para princesa Isabel , "digitar a Lei Áurea", esta imagem reflete inteiramente o momento que passamos em nosso país... trocar as armas pelo computador... a guerrilha pela comunicação transparente... e deixar falar a voz que vem de cada um de nós... é lógico, que devemos  e temos por obrigação respeitar e cuidar do patrimônio público, mas que foi de grande criatividade, não podemos negar ...

Pois o pior cego é aquele que não sabe enxergar o mundo do outro ....

e o pior surdo é aquele que não tem sensibilidade para ouvir o outro ...

Troquemos sempre o canhão pelo computador... estar desarmardo "em todas as situações " é sempre um ganho ...

pois não podemos permitir outras formas de escravidão...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
A Companhia faz a diferença...
19/06/2013 | 20h55

Uma mesa arrumada  com charme cria o clima...

mas  a companhia faz toda a diferença...

Achei estes jogos americanos bem interessantes e práticos...

Gosto muito deste estilo renascença ...

O contraste entre o guardanapo e o sousplat , dá a tônica ...

Vejam como ficou simples... porém charmoso ...

porque quase sempre a beleza está na simplicidade das coisas ...

Com afeto,

Beth Landim

 

Comentar
Compartilhe
MEU PARTIDO É O BRASIL...
18/06/2013 | 11h25

Sim pela pela manifestação pacífica ...pela liberdade de expressão...pela consciência cidadã...

pela EDUCAÇÃO ,SAÚDE, TRANSPORTE ...

Não para o VANDALISMO! SIM A PAZ ...Pelo nosso BRASIL SEMPRE !!!!

Candelária - Rio de Janeiro ontem a noite

Largo do Batata - SP -17-06-2013

Com afeto,

Beth Landim

 

Comentar
Compartilhe
GATINHO DENGOSO...
17/06/2013 | 11h40

Para iniciarmos a semana ...vejam que fofo...

é muito gostoso  quando sentimos  um afago ...

É sempre  bom demonstramos nossos sentimentos,

Faz bem a gente e ao outro ...

 

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=9PjSLs8sMMw[/youtube]

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Pai, tô com fome...
15/06/2013 | 12h19

Esta estória chegou as minhas mãos...

Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou: - Pai, tô com fome!!! O pai, Agenor, sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência... - Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu tô com muita fome, pai!!! Envergonhado, triste e humilhado em seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na padaria a sua frente... Ao entrar dirige-se a um homem no balcão: - Meu senhor estou com meu filho de apenas 6 anos na porta, com muita fome, não tenho nenhum tostão, pois sai cedo para buscar um emprego e nada encontrei, eu lhe peço que em nome de Jesus me forneça um pão para que eu possa matar a fome desse menino, em troca posso varrer o chão de seu estabelecimento, lavar os pratos e copos, ou outro serviço que o senhor precisar!!!

Amaro, o dono da padaria estranha aquele homem de semblante calmo e sofrido, pedir comida em troca de trabalho e pede para que ele chame o filho... Agenor pega o filho pela mão e apresenta-o a Amaro, que, imediatamente, pede que os dois sentem-se junto ao balcão, onde manda servir dois pratos de comida do famoso PF (Prato Feito) - arroz, feijão, bife e ovo... Para Ricardinho era um sonho, comer após tantas horas na rua... Para Agenor, uma dor a mais, já que comer aquela comida maravilhosa fazia-o lembrar-se da esposa e mais dois filhos que ficaram em casa apenas com um punhado de fubá... Grossas lágrimas desciam dos seus olhos já na primeira garfada... A satisfação de ver seu filho devorando aquele prato simples como se fosse um manjar dos deuses, e lembrança de sua pequena família em casa, foi demais para seu coração tão cansado de mais de 2 anos de desemprego, humilhações e necessidades... Amaro se aproxima de Agenor e percebendo a sua emoção, brinca para relaxar: - Ô Maria!!! Sua comida deve estar muito ruim... Olha o meu amigo está até chorando de tristeza desse bife, será que é sola de sapato?! Imediatamente Agenor sorri e diz que nunca comeu comida tão apetitosa, e que agradecia a Deus por ter esse prazer... Amaro pede então que ele sossegue seu coração, que almoçasse em paz e depois conversariam sobre trabalho... Mais confiante, Agenor enxuga as lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome já estava nas costas... Após o almoço, Amaro convida Agenor para uma conversa nos fundos da padaria, onde havia um pequeno escritório... Agenor conta então que há mais de 2 anos havia perdido o emprego e, desde então, sem uma especialidade profissional, sem estudos, ele estava vivendo de pequenos 'biscates aqui e acolá', mas que há 2 meses não recebia nada... Amaro resolve então contratar Agenor para serviços gerais na padaria, e penalizado, faz para o homem uma cesta básica com alimentos para pelo menos 15 dias... Agenor com lágrimas nos olhos agradece a confiança daquele homem e marca para o dia seguinte seu início no trabalho... Ao chegar em casa com toda aquela 'fartura', Agenor é um novo homem.

Sentia esperanças, sentia que sua vida iria tomar novo impulso... Deus estava lhe abrindo mais do que uma porta, era toda uma esperança de dias melhores... No dia seguinte, às 5 da manhã, Agenor estava na porta da padaria ansioso para iniciar seu novo trabalho... Amaro chega logo em seguida e sorri para aquele homem que nem ele sabia porque estava ajudando... Tinham a mesma idade, 32 anos, e histórias diferentes, mas algo dentro dele o chamava para ajudar aquela pessoa... E, ele não se enganou - durante um ano, Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento, sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres... Um dia, Amaro chama Agenor para uma conversa e fala da escola que abriu vagas para a alfabetização de adultos um quarteirão acima da padaria, e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar... Agenor nunca esqueceu seu primeiro dia de aula: a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta... Doze anos se passam desde aquele primeiro dia de aula... Vamos encontrar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros, advogado, abrindo seu escritório para seu cliente, e depois outro, e depois mais outro... Ao meio dia ele desce para um café na padaria do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o "antigo funcionário" tão elegante em seu primeiro terno... Mais dez anos se passam, e agora o Dr. Agenor Baptista, já com uma clientela que mistura os mais necessitados que não podem pagar, e os mais abastados que o pagam muito bem, resolve criar uma Instituição que oferece aos desvalidos da sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de comida, diariamente, na hora do almoço... Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele lugar que é administrado pelo seu filho, o agora nutricionista Ricardo Baptista... Tudo mudou, tudo passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor impressionava a todos que conheciam um pouco da história de cada um...

Ricardinho, o filho mandou gravar na frente da "Casa do Caminho", que seu pai fundou com tanto carinho: “Um dia eu tive fome, e você me alimentou. Um dia eu estava sem esperanças e você me deu um caminho. Um dia acordei sozinho, e você me deu Deus, e isso não tem preço... Que Deus habite em seu coração e alimente sua alma. E, que te sobre o pão da misericórdia para estender a quem precisar!”.

Muitas vezes temos tudo e não damos valor, não olhamos para o lado para quem precisa. Solidariedade e Educação... dois alimentos imprescindíveis ao ser humano. E você tem fome de que?

 

Com afeto,

 

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
PICO DA BANDEIRA ...
14/06/2013 | 13h06

Juventude... desafio... esporte radical... aventura.... aliados ao conhecimento.... e a imprescindível  NATUREZA...

Na foto os alunos do Curso de Educação Física do ISECENSA, em uma das atividades desenvolvidas na disciplina "Esportes na Natureza", subiram o Pico da Bandeira, acompanhados do prof. Thadeu Rocha. A subida foi durante a madrugada, 2h da manhã, para assistir o sol nascer, 6h da manhã... que todos os dias nos proporciona um espetáculo belíssimo...

Uma vista privilegiada... lado a lado com as nuvens... maravilhoso...

Chegar ao "topo" nos gratifica... mas o que fazemos no caminho para chegarmos é que é delicioso... na foto o professor Thadeu Rocha com os alunos.

 

Atividade física na natureza... nada melhor... parabéns a todos !!

Com afeto,

Beth Landim

 

            Comentar
Compartilhe
NÃO ME COMPARES...
13/06/2013 | 11h09

Para ouvir e apreciar ...vale a pena...

...Alejandro Sanz e Ivete Sangalo ...

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=G7JLoOKefvQ[/youtube]

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Da pequena Mornese...
12/06/2013 | 09h40

Magia e simplicidade da paz de Assis...

No alto das colinas de Mornese

Mornese é un pequeno município do Alto Monferrato, na província de Alessândria, situado na metade da estrada entre Gavi e Ovada, no centro de uma colina. Fica sulcada por águas dos afluentes do Orba: Albedosa e Piota, que recolhem as águas abundantes do Gorzente, a 800 metros acima do nível do mar. Mornese pertence ao Vale de Lemme caracterizado por uma cadeia de colinas e de montanhas de um verde ora brilhante, ora escuro.

Aqui  admiramos doces colinas, montanhas que nos circundam como num abraço...  ouvimos o canto dos pássaros na janela ao acordar!!!  O verde é estonteante, e nos traz paz e esperança...

Vinhas em Mornese a caminho da Valponasca...

Senti em Mornese muita paz e gratidão pelo silêncio profundo deste lugar.  Um lugar no interior tão pequeno...  e tão grande...  que está em toda parte do mundo!!!

Casa Valdoco

Na Basílica de São Pedro...

Na primeira capela em Valdoco...

Estamos na  região piemonte onde podemos admirar doces colinas e inúmeras montanhas.... Aqui aprendi muito a enxergar a vida

de forma mais larga...vivendo intensamente a espiritualidade ...os estudos foram puxados ,porém indescritíveis ...

Escrevo daqui, último percurso depois de Roma, Assis, Florença , Pizza e Turim  ...

Casa Valponasca

No Rio Roverno em Mornese

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Fazer o bem sem olhar a quem...
11/06/2013 | 21h51

Emoção... leveza... alegria... prazer... misto de sentimento e emoção na visita à Beneficiência Portuguesa - Campos Goytacazes, dos alunos de Enfermagem do ISECENSA,  projeto HumanISE...

Além da competência profissional e científica, nos dias de hoje é imprenscindível o afeto, o toque, a atenção, o cuidar...

Este é o maior objetivo deste projeto, a humanização do enfermeiro, que com total empenho  fizeram os alunos de enfermagem na visita a maternidade do hospital.

Este projeto existe desde de 2009  e, durante todo o ano, os alunos visitam as enfermarias para um aprendizado humanizado, além da prática acadêmica.

Na foto,  a coordenadora do curso de enfermagem Aline, eu, e os competentes futuros enfermeiros...

Levar música, alegria, afeto, história e atenção...

Fazer o bem sem olhar a quem... é muito, muito, gratificante...

Aprendemos todos nós a cada visita...

Vocês me deixaram com lágrimas nos olhos...

...mas de alegria e orgulho pela forma tão carinhosa de expressar o cuidar...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
UM LUGAR ...
10/06/2013 | 22h44

A Costa Amalfitana é um trecho de 60 km do litoral da Campânia, entre Sorrento e Salerno, com uma estrada costeira que é uma passarela estreitíssima, esculpida, em boa parte, no precipício.

Ao sul de Nápoles, mais ou menos na canela da graciosa bota que é o mapa da Itália, esse paraíso do Mar Tirreno atrai pela exuberância do  litoral maravilhoso. A costa de 50 quilômetros é um verdadeiro  paraíso  natural, com mar azulzíssimo, vistas espetaculares, estradinhas com vilarejos incríveis. A Costa Amalfitana delimita-se ao norte por Vietri Sul Mare, um pouquinho acima de Salerno, e ao sul pela Península de Sorrento. Erguida sob a influência de estilos diferentes como bizantino, barroco e árabe-normando.  Positano faz o visitante esfregar os olhos diante de suas casinhas, posicionadas no morro íngreme, deslumbrantes quando iluminadas à noite, e fica pertinho da Grotta dello Smeraldo, uma espetacular caverna com águas entre o verde e o azul-turquesa. Já as vistas de Ravello , sede de importante festival de música (www.ravellofestival.com), são páreo para as ilhas gregas. A vista a partir de Villa Rufolo, sobre dramáticos penhascos, é belíssima. E as praias como as das cidadezinhas Maiori e Minori são imperdíveis.

Situada em um dos pontos de grande visitação da Costa Amalfitana a belíssima Vista da Vila Rufolo, em Ravello, mostra por si só por que é considerada um ícone do ponto de vista arquitetônico, natural e um dos pontos prediletos para artistas, músicos e poetas. Não é de se admirar o fato deste ter sido o lugar onde Richard Wagner buscava inspiração para suas óperas. 
Uma das três torres que Positano herdou do período em que precisavam se defender das invasões dos Sarracenos e Turcos. Esta é a Fornillo e fica próxima a praia de mesmo nome. Hoje, se tornaram ícones da cidade e enfeitam ainda mais a paisagem natural.
Limões e seus produtos que perfumam as ruas: entre sabonetes, cremes hidratantes, perfumes, licores... Estão entre os souvenirs mais buscados para levar para casa um pouquinho do que este paraíso oferece. Cítricas tentações!
A linda vista aérea das encostas que contornam o mar forma um cartão postal que atrai pessoas de todo o mundo.
Um dos recantos mágicos da Costa em Furore. Sua paisagem muito agradável oferece praias como esta. Em suas águas límpidas e tranquilas, com a luz de um dia típico do verão mediterrâneo, é possível mergulhar e nadar com tranquilidade. As escadarias que levam à praia são convidativas para um passeio em uma paisagem inesquecível.
Conhecida como a Pérola da Costa, Positano é uma charmosa cidade que fica entre montanhas. As coloridas casas dispostas verticalmente criam uma paisagem de contemplação e ajudam a compor visual típico do lugar onde filmes como “Sob o sol da Toscana” foram rodados. Descubra esta cidade à pé e, certamente não se arrependerá...

Jantar ao ar livre no Restaurante DaGabrisa, em Positano. Ambiente em perfeita harmonia que traduz perfeitamente o quanto a noite na Costa é especial e agradável. Fica aberto de abril a outubro e seu cardápio sempre traz novidades para os mais diversos paladares...

Cerâmicas típicas da região dão graça e colorido às ruas em muitas lojinhas. Nas cores e padrões de louças e estampas estão registras as assinaturas de várias culturas deixaram sua marca neste local de história milenar. Além da beleza dos produtos, agrada também o estilo por sua autenticidade...

Hotel Il San Pietro di Positano... uma excelente opção...

Além da vista belissíma... um local encantador pra namorar e apreciar ao entardecer...

Um lugar para se conhecer... imperdível...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Canção do Amor...
07/06/2013 | 22h11

A letra da música -  A Paz - nos diz:

“Deve haver um lugar dentro do seu coração onde a paz brilhe mais que uma lembrança. Sem a luz que ela traz já nem se consegue mais encontrar o caminho da esperança. Sinta, chega o tempo de enxugar o pranto dos homens se fazendo irmão e estendendo a mão. Venha, já é hora de acender a chama da vida e fazer a terra inteira feliz. Se você for capaz de soltar a sua voz pelo ar, como prece de criança, deve então começar e outros vão te acompanhar e cantar com harmonia e esperança. Deixe que esse canto lave o pranto do mundo pra trazer perdão e dividir o pão. Só o amor, muda o que já se fez e a força da paz junta todos outra vez. Venha, já é hora de acender a chama da vida e fazer a terra inteira feliz. Quanta dor e sofrimento em volta a gente ainda tem, pra manter a fé e o sonho dos que ainda vem. A lição pro futuro vem da alma e do coração, pra buscar a paz, não olhar pra trás, com amor. Se você começar outros vão te acompanhar e cantar com harmonia e esperança. Só o amor, muda o que já se fez e a força da paz junta todos outra vez. Venha, já é hora de acender a chama da vida e fazer a terra inteira feliz.”

... Porque, há um jeito que é só seu, de semear o bem... Se tem sabedoria para falar, fale! Há pessoas precisando de quem lhes rasgue novos horizontes. Se tem o dom de ouvir, ouça! Há pessoas precisando falar para reorganizar os pensamentos e sentimentos. Se tem o dom de enxergar os talentos alheios, enalteça-os! Há pessoas que desabrocham por conta de alguém que lhes reconheça um dom. Se tem discernimento o bastante para fazer uma observação construtiva, faça-a! Há pessoas persistindo no mesmo erro, por falta de alguém que as alerte com carinho e firmeza. Se você não tem vocação para engajar-se em movimentos filantrópicos de grande alcance, tenha em mente que o maior bem a ser semeado começa dentro do seu lar. Oferte a sua canção, a sua poesia, a sua hospitalidade, aquele prato que ninguém sabe fazer igual. Oferte a sua diplomacia, a sua liderança ou a sua capacidade de atuar em segundo plano para o bem comum. Oferte o seu talento para contar piadas e fazer rir. A sua ternura natural no trato com crianças, idosos ou animais. A sua capacidade de manter o sangue frio nas horas de crise, quando todos em sua volta desabam. A sua santa paciência de permanecer num hospital ao lado de um enfermo terminal, ou de varar a noite num velório, naquela hora crítica em que todos vão embora. Há um jeito que é só seu e todo seu, mesmo que seja ofertar uma flor sem ser dia de nada. Mesmo que seja uma prece sincera feita no silêncio do seu quarto. Na contabilidade Divina, pouco importa se o seu jeito de semear o bem vai alcançar uma criatura ou milhões de criaturas. Você está fazendo a sua parte, de um jeito que é só seu. É só isto que realmente importa!

Deixo então com vocês o que Drumond maravilhosamente escreveu em Almas Perfumadas:

“Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De sol quando acorda. De flor quando ri. Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. Lambuzando o queixo de sorvete. Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. O tempo é outro. E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver. Tem gente que tem cheiro de colo de Deus. De banho de mar quando a água é quente e o céu é azul. Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis.

Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo. Sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso. Ao lado delas, pode ser abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel. Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra. Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria. Recebendo um buquê de carinhos. Abraçando um filhote de urso panda. Tocando com os olhos os olhos da paz. Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração. Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa. Do brinquedo que a gente não largava. Do acalanto que o silêncio canta. De passeio no jardim. Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo. Corre em outras veias. Pulsa em outro lugar. Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos, Deus está conosco, juntinho ao nosso lado. E a gente ri grande que nem menino arteiro. Tem gente como você que nem percebe como tem a alma perfumada! E que esse perfume é dom de Deus.”

Então, seja você sempre! Do seu jeito, mas faça com que todos ao estarem ao seu lado, na convivência diária, possam ouvir e sentir a canção do amor... que todos nós podemos cantar... exalar... por um mundo melhor, uma vida feliz, não sem problemas, mas de forma que prevaleça sempre o lado bom da vida... Cantemos, então, a canção do amor em nossas vidas... sempre...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Siderúrgica Votorantim
05/06/2013 | 12h05

Teoria e prática... juntas para formar um profissional competente, experiente e visionário... conhecimento  fora dos muros ...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Curso Preparatório para a OAB
04/06/2013 | 12h08
Comentar
Compartilhe
OUTONO GOSTOSO...
03/06/2013 | 13h58

Passei estes dias de feriado em contato direto com a natureza... apreciando... e pude sentir e perceber como é gostoso o outono...

Friozinho na pele, que não é frio gelado... apenas o ardor do gelo para nos aconchegarmos gostoso e nos largarmos nos braços de quem amamos... uma rede na varanda, descortinando o verde que nos enche de energia, o colorido das flores, as borboletas amarelas que dançavam pelos bougainvilles livres e leves...

O canto dos passarinhos  quebrava o silêncio  da fazenda,que se faz música a embalar nossos sonhos ...   de tão gostoso chegava a doer...  Por muitas vezes só ouvia a batida dos cascos do meu cavalo dentro da mata...

A noitinha vem chegando com sereno que cai de mansinho, vem trazendo a lua de presente e   as estrelas a encher aquele céu imenso e no fogo da lareira começava a dança das luzes... e então parei pra pensar:

Como é bom estar viva... estar em contato com a natureza... com você mesma... revigorante...

Uma boa e energizante semana para todos nós... prestando mais atenção a este outono gostoso...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Eu posso dormir enquanto os ventos sopram em minha vida?
01/06/2013 | 11h30

Divido com vocês duas pequenas histórias que nos fazem refletir sobre a nossa caminhada.

Certa vez, um homem tanto falou que seu vizinho era ladrão, que o vizinho acabou sendo preso.  Algum tempo depois, descobriram que o rapaz era inocente, ele foi solto, e, após muita humilhação resolveu processar seu vizinho caluniador.  No tribunal, o caluniador disse ao juiz: Comentários não causam tanto mal... e o Juiz respondeu: - Escreva os comentários que você fez sobre ele num papel, depois pique o papel e jogue os pedaços pelo caminho de casa e amanhã volte para ouvir a sentença!

O homem obedeceu e voltou no dia seguinte, quando o juiz disse: - Antes da sentença, terá que catar os pedaços de papel que espalhou ontem! Não posso fazer isso, meritíssimo! Respondeu o homem. - O vento deve tê-los espalhados por tudo quanto é lugar e já não sei onde estão! Ao que o juiz respondeu: Da mesma maneira, um simples comentário que pode destruir a honra de um homem, espalha-se a ponto de não podermos concertar o mal causado... e, continuou: Se não se pode falar bem de uma pessoa, é melhor que não se diga nada! Sejamos senhores de nossa língua, para não sermos, escravos de nossas palavras! No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é... e, outras que vão te odiar pelo mesmo motivo. Acostume-se! Quem ama não vê defeitos... quem odeia não vê qualidades... e quem é amigo...  vê as duas coisas! Preste atenção em seus pensamentos, pois eles se tornarão palavras. Preste atenção em suas palavras, pois elas se tornarão atos. Preste atenção em seus atos, pois eles se tornarão hábitos. Preste atenção em seus hábitos, pois eles se tornarão seu caráter. Atenção em seu caráter, pois ele determinará seu destino!

Portanto, antes de Falar... Escute... Antes de Escrever... Pense... Antes de Gastar... Ganhe... Antes de Julgar... Espere... Antes de Orar... Perdoe... Antes de Desistir... Tente...

A nossa segunda história nos diz que há alguns anos atrás, um fazendeiro possuía terras ao longo do litoral do Atlântico. Ele constantemente anunciava estar precisando de empregados. A maioria das pessoas estava pouco disposta a trabalhar em fazendas ao longo do Atlântico. Temiam as horrorosas tempestades que varriam aquela região, fazendo estragos nas construções e nas plantações. Procurando por novos empregados, ele recebeu muitas recusas. Finalmente, um homem baixo e magro, de meia-idade, se aproximou do fazendeiro. - Você é um bom lavrador? Perguntou o fazendeiro. - Bem, eu posso dormir enquanto os ventos sopram, respondeu o pequeno homem. Embora confuso com a resposta, o fazendeiro, desesperado por ajuda, o empregou. O pequeno homem trabalhou bem ao redor da fazenda, mantendo-se ocupado do alvorecer até o anoitecer e o fazendeiro estava satisfeito com o trabalho do homem. Então, uma noite, o vento uivou ruidosamente. O fazendeiro pulou da cama, agarrou um lampião e correu até o alojamento dos empregados. Sacudiu o pequeno homem e gritou, - Levanta! Uma tempestade está chegando! Amarre as coisas antes que sejam arrastadas! O pequeno homem virou-se na cama e disse firmemente: - Não senhor. Eu lhe falei: eu posso dormir enquanto os ventos sopram. Enfurecido pela resposta, o fazendeiro estava tentado a despedi-lo imediatamente. Em vez disso, ele se apressou a sair e preparar o terreno para a tempestade. Do empregado, trataria depois. Mas, para seu assombro, ele descobriu que todos os montes de feno tinham sido cobertos com lonas firmemente presas ao solo. As vacas estavam bem protegidas no celeiro, os frangos nos viveiros, e todas as portas muito bem travadas. As janelas bem fechadas e seguras. Tudo foi amarrado. Nada poderia ser arrastado. O fazendeiro então entendeu o que seu empregado quis dizer. Então retornou para sua cama para também dormir enquanto o vento soprava. O que se quer dizer com esta história, é que quando se está preparado - espiritualmente, mentalmente e fisicamente - não se tem nada a temer.

Perguntamos-nos, então:

Eu posso dormir enquanto os ventos sopram em minha vida?

Que possamos então criar o nosso tempo de refletir, pois nós somos os senhores do nosso tempo, não devendo deixar a nossa vida passar em vão, sem buscas, sem metas, sem sentido...

Vamos tomar as rédeas enquanto é tempo, pois somente nós, seremos os responsáveis diante do nosso tempo que é um presente muito precioso para passar em vão.

Portanto, os verbos escutar, pensar, esperar, perdoar, tentar, amar... devem ser verbos recorrentes em nossa vida, fazendo ecoar em nós a nossa melhor forma de conduzir a nossa caminhada.

Como nos diz Saint-Exupèry: “Os seres são vazios, se não são como janelas ou clarabóias abertas para Deus.”. Que sejamos, efetivamente, essas janelas e clarabóias, sempre abertas, deixando a luz penetrar e ao mesmo tempo, sendo luzes e iluminando as pessoas que conosco dividem as trilhas do caminho... ora atalho, ora trilha, mas sempre caminho...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]