A Delicadeza do Tempo...
29/04/2013 | 12h56

Você já se deu conta do quanto nos deixa felizes e renovados fazer algo que nos leva a esquecer do tempo? Para viver em harmonia, precisamos ser orientados pelo tempo interior, que está naturalmente conectado com os ciclos do tempo exterior: o dia e a noite e as quatro estações do ano. No entanto, estamos tão condicionados à necessidade de cumprir as expectativas do tempo imposto pelo relógio, que não nos permitimos mais ser “naturais”, tornamo-nos mecanizados pela pressão do tempo, que exige, de nós, cada vez mais tempo.

O tempo é o adubo do amadurecimento. Forçar o tempo é impossível. Jamais podemos abrir mão da coerência entre o que sentimos e fazemos. Nossas ações devem brilhar de acordo com nossas palavras. Se nos sentimos coerentes em nosso caminho, estamos mantendo clareza de nossos propósitos.

A incoerência surge quando a distância entre o que sentimos dentro de nós e o que vivemos fora de nós torna-se grande demais. Quando perdemos a sintonia entre nossos mundos, interno e externo, sentimo-nos derrotados.

A sensação de estar “perdendo tempo” com alguma coisa, seja no trabalho ou num relacionamento, é um alerta de que estamos nos distanciando de nosso propósito espiritual: o uso significativo do tempo. A questão é que estaremos sempre insatisfeitos enquanto vivemos apenas para satisfazer as expectativas externas que surgem em cada momento da vida. Isto é, usar o tempo apenas para sermos pessoas cada vez mais eficientes não garante nossa felicidade. Para sentirmos felizes, é preciso mais que eficiência. É preciso sentir que estamos crescendo interiormente.

Mas quem já não escutou o “tic-tac” da ansiedade soar em seu interior quando está sob o peso do tempo do relógio?

Nas situações que não podemos mudar, devemos nos esforçar para reavaliar nossas reações internas, pois o tempo interior é tão vasto quanto o espaço infinito. Ele chama-se kairos.

O tempo que é cronológico, linear e, em seqüência, dita o ritmo de nossas vidas, chama-se cronos. A palavra kairos, em grego, significa o momento certo, o aspecto qualitativo do tempo. Sua correspondente em latim, momentum, refere-se ao instante, ocasião ou movimento, que deixa uma impressão forte e única por toda a vida.

Por isso, kairos refere-se a uma experiência temporal na qual percebemos o momento oportuno para determinada ação: saber a hora certa de estar no lugar certo. Sempre que agimos sob o tempo kairos, as coisas costumam se acertar. Por exemplo, quando estamos quase desistindo de algo e resolvemos “dar um tempo” para aliviar a pressão, repentinamente, surgem as pessoas certas que nos ajudam com soluções reais e práticas.

Agir no tempo regido por kairos é simular a um ato mágico!

Kairos

Kairos é o tempo oportuno, livre do peso de cargas passadas e sem ansiedade de anteceder o futuro. Ele se manifesta no presente, instante após instante.

Quando vivemos no tempo kairos, aumentam as oportunidades em nossa vida. Basta pensar como surgiram nossas melhores chances e percebemos que nessas ocasiões estávamos, de certa forma, desprogramados das exigências do tempo cronológico.

Para os gregos, cronos representava o tempo que falta para a morte, em tempo que se consome a si mesmo. Por isso, seu oposto é kairos: momentos afortunados que transcendem as limitações impostas pelo medo da morte!

Cronos

Portanto, para vivermos sob a regência de kairos, precisamos ir além das convenções mundanas: saber seguir cada momento, de acordo com a sintonia de nossas necessidades interiores. Isto não quer dizer que podemos fazer o que quisermos na hora que bem entendermos, mas sim que devemos estar atentos para não deixar que os comandos exteriores ultrapassem os interiores.

Já que a pressão externa é cada vez maior, temos que desenvolver cada vez mais a paz interna. Na maioria das vezes, não encontramos soluções indiretas para as situações externas, então, podemos contar apenas com nossa condição interna. Paz interior é a melhor forma de proteção contra desafios externos. Além de ficarmos mais leves, nos tornamos bonitos também!

A eternidade é tornar os momentos inesquecíveis... portanto vivamos como se fossemos morrer amanhã... sejamos intensos e inteiros em nossas atitudes e relações.

Uma boa e feliz semana para todos!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Existem mil e uma razões para agradecer...
24/04/2013 | 13h07

Existem mil e uma razões para agradecer...

Devemos agradecer a vida, a  família, a  saúde, o nosso trabalho, os nossos amigos... Devemos agradecer pela nossa fé substancial que nos sustenta e acalenta o caminhar...

Agradecer pelas inúmeras oportunidades que recebemos de bendizer e louvar ao universo que conspira a nosso favor, através de nossa espiritualidade, de todas as coisas... sempre nos trazendo bênçãos de paz, mãos cheias de alegrias, de vida, de amores e sabores, de cores e luzes que transformam o nosso caminhar de forma edificante, nos tornando pessoas melhores, mais pacientes, mais humanas...

Diante da infinitude de bênçãos, compartilho neste espaço, o meu sentimento de fé e alegria pelas oportunidades que a vida me proporciona a cada dia...

Retorno de Roma - Turim - Mornese - etapa de estudos e de grande aprendizado, plena de energias revigorantes... que divido com vocês através de abraços, sorrisos e muitas  flores...

Que cada um de vocês  possa receber neste meu momento de retorno o meu caloroso obrigada por tudo o que representam para mim... colhi estas tulipas em Mornese....para vocês ...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
SALVE JORGE!!!
23/04/2013 | 14h57

São Jorge (275 - 23 de abril de 303) foi, de acordo com a tradição, um padre e soldado romano no exército do imperador Diocleciano, venerado como mártir cristão.

São Jorge é um dos santos mais venerados no catolicismo.

Considerado como um dos mais proeminentes santos militares, sua memória é celebrada dia de hoje - 23 de abril - como também em 3 de novembro, quando, por toda parte, se comemora a reconstrução da igreja dedicada a ele em Israel, onde se encontram suas relíquias, erguida a mando do imperador romano Constantino I.

É o santo padroeiro em diversas partes do mundo: Inglaterra, Portugal, Geórgia, Catalunha, Lituânica, Sérvia, Montenegro, Etiópia, cidades de Londres, Genova e Moscou , da cidade do Rio de Janeiro (título oficialmente atribuído a São Sebastião) e da cidade de São Jorge dos Ilhéus, além de ser padroeiro dos escoteiros, e da Cavalaria do Exército Brasileiro. Há uma tradição que aponta o ano  303 como ano da sua morte.  Apesar de sua história se basear em documentos lendários e apócrifos a devoção a São Jorge se espalhou por todo o mundo.

A imagem de São Jorge num cavalo branco com uma lança lutando contra o dragão é originária de uma das inúmeras lendas envolvendo sua história. Havia uma cidade que era oprimida e atacada pelo animal, que vivia em um lago próximo e matava muitas pessoas com seu hálito de fogo. Para que mais pessoas não fossem mortas, a cidade oferecia ao dragão vítimas jovens, que eram sorteadas a cada ataque. Até que um dia, a filha do rei foi sorteada para o sacrifício, e Jorge, que era cristão, compadeceu-se da jovem e se ofereceu para combater o animal. Jorge fez o sinal da cruz, e quando combateu o dragão, o derrotou com uma lança, mas não o matou, e sim o transformou em um dócil cordeiro. Jorge disse que havia combatido o dragão em nome de Jesus Cristo, e então levou à conversão toda aquela cidade, inclusive a filha do imperador. Como recompensa de seu grande feito, recebeu vários bens, e os distribuiu aos pobres.

Mas, o que se sabe realmente é que Jorge foi denunciado como cristão, e por isso, preso e condenado ao martírio. Sua morte também é cercada de diversas lendas.

Sabe-se, entretanto, que Jorge foi um homem que viveu em nome de Jesus Cristo, e viveu o bom combate da fé, pelo poder da cruz. Jorge testemunhou o amor a Deus e ao próximo, vivendo o testemunho que Jesus nos deixou. Que São Jorge interceda por nós para que sejamos guerreiros do amor... e que ele seja um símbolo de fé e força para que enfrentemos o mal em toda a sociedade.

São Jorge, rogai por nós!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Há mais de um caminho certo...
22/04/2013 | 14h57

Nos conta J.M. Ryan em seu livro O Poder da Paciência ...

“Don dirigia o carro comigo ao seu lado. Ao aproximar-se de um cruzamento o sinal ficou amarelo. Em vez de acelerar, ele parou. Suspirei. Você conhece bem esse tipo de suspiro. É aquele dos casais que estão juntos há muito tempo e que significa: “Você está tentando me irritar, mas eu não vou discutir.” O sinal abriu e Don avançou, mas devagar do que eu teria feito. Suspirei de novo. Ele entrou em um estacionamento. “Olha uma vaga”, eu disse, apontando para a primeira que apareceu. Ele continuou dirigindo, procurando uma mais próxima do lugar onde íamos. Suspirei.

Mais tarde, refleti sobre aqueles suspiros e os milhares de outros que dei nos dez anos em que estamos juntos. Não é agradável ficar impaciente com a pessoa que você ama. Então, por que isso acontece comigo com tanta freqüência? De repente, descobri o que era – aquilo acontecia porque eu acredito que há apenas uma maneira correta de fazer qualquer coisa. A minha maneira.

Dentro de mim há um sabe-tudo que fica o tempo todo julgando as pessoas que me cercam. E não estou me referindo apenas a coisas importantes, como moralidade e ética. Estou dizendo que tenho a tendência de julgar negativamente alguém por parar em um sinal amarelo, por escolher um trajeto que eu acho mais longo, por só abrir a bolsa para pagar o supermercado depois de receber a nota!

Nestes momentos a sabe-tudo me domina e fico exasperada. Tudo precisa ser feito como eu quero, quando eu quero; caso contrário fico danada.

Hoje consigo perceber que, quando somos racionais, podemos ver que existem muitas maneiras de fazer as coisas. As pessoas ao nosso redor são diferentes de nós, graças a Deus, e portanto é óbvio que irão agir de maneira diferente. De maneira diferente, e não melhor ou pior. Quanto menos tempo gastarmos julgando-as, mais felizes ficaremos. Além disso, é sinal de respeito e valorização deixar que as pessoas ajam como querem e em seus próprios ritmos. Mostramos assim que sabemos que elas são capazes e que apreciamos suas habilidades.

No entanto, tenho que lutar constantemente contra a minha parte crítica, pois ela é muito forte e passei muito tempo alimentando-a. Comecei a enfrentá-la quando formei uma dupla com uma amiga que tem um traço semelhante. Conversamos muito e nos apoiamos, o que ajuda a nos darmos conta das vezes em que nos achamos superiores às pessoas que nos cercam e queremos impor nosso caminho.

Mas o que mais contribui para segurar minha impaciência nesses momentos é perguntar-me: “Você acha que é Deus”. Isso me faz lembrar que não sou infalível e me ajuda a acertar o passo de dança com todos que me cercam – a dança do dar-e-receber que retrata a verdadeira relação de amor com o outro.”

 Que possamos ao ler este trecho tão significativo refletirmos bem dentro de nós sobre a nossa forma de enfocar tudo o que nos cerca ao longo do caminho. Será que nos comportamos como deuses? A maturidade nos faz repensar muitos momentos já vividos e nos faz ver com outros olhos as pessoas ao nosso entorno. Nos faz acordar enquanto é tempo para a riqueza individual de cada ser humano. Cada um tem suas características próprias, que podemos concordar ou não, mas temos o dever de evitar o terreno pedregoso dos julgamentos, que em muitos momentos nos levam a nos imaginarmos superiores aos que nos cercam... grande ilusão... ao passo que um dos grandes tesouros do nosso momento precioso é a dança do dar-e-receber...

Que a riqueza da vida com seus momentos de subida e descida, altos e baixos, flores e pássaros, mares e rios, solidão e riqueza de amigos, fé abundante e questionamentos, risos e lágrimas, tumulto e paz... nos faça acelerar o nosso despertar de que somos alavancas onde quer que estejamos, e que ao invés de suspiros devemos emitir sorrisos, abraços, apertos de mão...

Procuremos levar uma vida melhor, começando por um reavaliar das nossas relações com os que nos cercam, das nossas cobranças com o outro, com a forma como o outro faz ou deixa de fazer, pela sua forma de olhar o mundo. Podemos ser sempre pessoas muito especiais na vida de todos que estão ao nosso lado, porque então não exercitarmos esse dom desde “ontem”?

Com o exercício contínuo dos dons sagrados que recebemos de Deus podemos nos melhorar a cada tempo e a nossa melhora irá fazer com que os que estão conosco também procurem evoluir, caminhar melhor, reclamar menos e viver mais intensamente, deixar as coisas pequenas de lado e buscar com intensidade ser melhor a cada dia... na diversidade das trilhas do caminho.

Pense nisso e faça o seu caminho “certo” da melhor forma que puder fazer...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Da pequena Mornese...
16/04/2013 | 23h12

Magia e simplicidade da paz de Assis...

No alto das colinas de Mornese

Mornese é un pequeno município do Alto Monferrato, na província de Alessândria, situado na metade da estrada entre Gavi e Ovada, no centro de uma colina. Fica sulcada por águas dos afluentes do Orba: Albedosa e Piota, que recolhem as águas abundantes do Gorzente, a 800 metros acima do nível do mar. Mornese pertence ao Vale de Lemme caracterizado por uma cadeia de colinas e de montanhas de um verde ora brilhante, ora escuro.

Aqui  admiramos doces colinas, montanhas que nos circundam como num abraço...  ouvimos o canto dos pássaros na janela ao acordar!!!  O verde é estonteante, e nos traz paz e esperança...

Vinhas em Mornese a caminho da Valponasca...

Senti em Mornese muita paz e gratidão pelo silêncio profundo deste lugar.  Um lugar no interior tão pequeno...  e tão grande...  que está em toda parte do mundo!!!

Casa Valdoco

Estamos na  região piemonte onde podemos admirar doces colinas e inúmeras montanhas....Aqui aprendi muito a enxergar a vida

de forma mais larga...vivendo intensamente a espiritualidade ...os estudos foram puxados ,porém indescritíveis ...

Escrevo daqui, último percurso depois de Roma, Assis, Florença ,Pizza e Turim  ...

Casa Valponasca

No Rio Roverno em Mornese

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
A felicidade está no caminho...
12/04/2013 | 21h02

Entre os inúmeros e-mails que recebo constantemente, um me chamou a atenção de forma especial e, por isso, gostaria de compartilhá-lo com vocês.

Ao longo de nossa vida, buscamos intensamente a felicidade. Mas qual é o seu verdadeiro sentido? Mas o que é felicidade?

Muitas vezes, o mundo tenta nos convencer de que a vida ficará melhor quando nós formos casados, tivermos um filho e, depois, mais um. Então nos frustramos, porque nossos filhos não têm idade suficiente e achamos que as coisas mudarão quando eles ficarem mais velhos. Então nos frustramos, porque eles viraram adolescentes e querem discutir conosco a respeito de tudo. Mas achamos que tudo ficará melhor, quando eles forem uns 10 anos mais velhos.

Dizemos, então, que a vida melhorará quando nós trabalharmos juntos com nossos parceiros, quando tivermos um carro bonito, quando tirarmos férias, quando descansarmos.

A verdade é que não há nenhum momento melhor para ser feliz do que AGORA. Se não for agora, então quando será?

A nossa vida muda o tempo inteiro. É melhor ter paciência com tudo e decidir ser FELIZ. Durante muito tempo nós pensávamos que a vida começaria a seguir. A vida de verdade. Pensávamos sempre, é preciso primeiro que uma outra coisa aconteça durante esse tempo: realizar alguma coisa, terminar um trabalho, esperar um momento, atingir um objetivo. E depois começaria a vida de verdade tão desejada.        Ultimamente tenho compreendido que o « depois » já é a vida de verdade. Desse ponto de vista, eu entendi que não existe um caminho para ser feliz.

Ser feliz é o CAMINHO!

Então, curta o «ser feliz». Pare de esperar até terminar a escola, até voltar para a escola, perder 5 quilos, ganhar peso, começar a trabalhar, casar-se, até a sexta à noite ou sábado de manhã, esperar um carro novo, ter pago a hipoteca, até a primavera, o verão, o outono ou  o inverno, até que a sua música toque no rádio, até morrer e nascer novamente... decida a ser feliz antes.

A felicidade é uma viagem e não um destino.

Não há melhor momento para ser feliz do que... AGORA! Viva e curta o momento.

Tente responder essas perguntas: Diga o nome das cinco pessoas mais ricas do mundo. Diga o nome das últimas cinco Miss Universo. Diga o nome dos últimos dez ganhadores do Prêmio Nobel. Você não conseguiu? É bem difícil, não é?

Não fique triste, ninguém consegue. Os aplausos passam! As taças se enchem de poeira. Os ganhadores são logo esquecidos.

Agora responda as perguntas a seguir: Diga o nome de três professores que lhe deram aulas. Diga o nome de três amigos que te ajudaram quando você precisou. Diga o nome de uma ou duas pessoas que te deixam com a sensação de ser “especial”. Diga o nome de cinco pessoas com quem você gosta de passar o tempo. Mais fácil de responder? Foi mais simples!

As pessoas que significam algo para você não são “as melhores”, não são as mais ricas, não ganharam os maiores prêmios… São os amigos que se preocupam com você e com os quais você se preocupa. São aqueles que continuam ao seu lado.

Reflita sobre isso por um momento. A vida é tão curta!

Por isso, precisamos constantemente buscar os tesouros da alma que não são encontrados na concorrência desleal, no sucesso e na riqueza, mas encontram-se nas pessoas com as quais convivemos e no mais profundo da nossa alma e coração.

Essa pequena reflexão nos faz compreender o verdadeiro sentido da felicidade, pois, a cada dia, a vida nos oferece uma página em branco no livro da existência. O nosso passado já está escrito e não podemos mais corrigi-lo. Nas páginas amareladas podemos encontrar a nossa história, alguns episódios com cores suaves, outras com cores escuras. Lindas recordações... e grandes lições!

Assim, desfrute este novo dia, escreva mais uma página de sua vida com entusiasmo e amor ao próximo. Faça um inventário de todas as pessoas especiais que existem em sua vida e viva cada hora com ânimo, dando o melhor de si. Não prejudique ninguém, sinta-se feliz por estar vivo, de poder presentear um sorriso, de oferecer sua mão e sua ajuda generosa.

Lembre-se: o fundamental da vida não é o que temos, mas quem temos ao nosso lado, e quando falo lado, falo do lado de dentro, dentro do coração!!!

E agradeça a Deus pelo presente que lhe dá hoje e pela oportunidade de converter este dia em uma viagem rumo à felicidade! Lembre-se de que, apesar de todas as situações adversas, está unicamente em suas mãos viver o dia de hoje. Seja feliz como se fosse o primeiro, o último ou o único dia da sua vida!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Imortalidade...
09/04/2013 | 13h06

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=LaV58ajumh4[/youtube]

Viajar através da IMORTALIDADE dos Bee Gees & Celine Dion...

nos faz reviver emoções...

Traz a tona todos os momentos bons que passamos, que se eternizam em nossos corações, nos fazem nos sentir vivos, plenos de sentimentos a serem compartilhados com os que amamos... com os que desejamos estar ao lado...

Entre neste clima,  escute com o coração e permita-se liberar a sua imaginação...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Rir é o melhor remédio...
06/04/2013 | 21h20

E como hoje é sábado... e ninguém é de ferro... comecemos o dia rindo um pouco, pois o riso é o melhor remédio pra alma e inclusive ótimo relaxante muscular... Levemos a vida de forma leve e com humor sempre... pois depois da noite, sempre existe o raiar do sol...

Divido então com os meus leitores quatro histórias interessantes que nos levam a rir e a refletir:

“No Curso de Medicina, o professor dirige-se ao aluno e pergunta: - Quantos rins nós temos? - Quatro! - responde o aluno. - Quatro? - replica o professor, um arrogante, daqueles que sentem prazer em gozar com os erros dos alunos. - Tragam um fardo de palha, pois temos um burro na sala. - ordena o professor ao seu auxiliar. - E para mim um cafezinho! - pediu o aluno. O professor ficou furioso e expulsou-o da sala. O aluno era Aparício Torelly Aporelly (1895-1971), o “Barão de Itararé”. Ao sair, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o irritado mestre: - O senhor me perguntou quantos rins 'NÓS TEMOS'. 'NÓS' temos quatro: dois meus e dois seus. 'NÓS' é uma expressão usada para o plural. Tenha um bom apetite e delicie-se com o capim. Moral da História: a vida exige muito mais compreensão do que conhecimento. Às vezes as pessoas, por terem um pouco mais de conhecimento ou acreditarem que o tem, se acham no direito de subestimar os outros... E haja palha!!!”

A segunda história “A roupa faz a diferença?” nos diz que... “Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e de forma ríspida, pergunta: - Vocês sabem onde está o médico do hospital? Com tranqüilidade o médico respondeu: - Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil? Ríspida, retorquiu: - Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico? Mantendo-se calmo, contestou: - Boa tarde, senhora! O médico sou eu, em que posso ajudá-la ?!?! - Como?!?! O senhor?! ?! Com essa roupa?!?!... - Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta... - Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que... Vestido assim, o senhor nem parece um médico... - Veja bem as coisas como são...- disse o médico -... as vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um simpatiquíssimo “boa tarde”!”; como se vê, as roupas nem sempre dizem muito... Moral da História: um dos mais belos trajes da alma é a educação. Sabemos que a roupa faz a diferença mas o que não podemos negar é que falta de educação, arrogância, falta de humildade, pessoas que se julgam donas do mundo e da verdade, grosseria e outras "qualidades" derrubam qualquer vestimenta. Bastam às vezes apenas 5 minutos de conversa para que o ouro da vestimenta se transforme em barro.”

Quer ouvir uma “Boa Resposta”? Então leia esta... “Um mecânico está desmontando o cabeçote de uma moto, quando ele vê na oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido. Ele está olhando o mecânico trabalhar. Então o mecânico pára e pergunta: - Ei, doutor, posso lhe fazer uma pergunta? O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até a moto na qual o mecânico está trabalhando. O mecânico se levanta e começa: - Doutor, olhe este motor. Eu abro seu coração, tiro válvulas, conserto-as, ponho-as de volta e fecho novamente, e, quando eu termino, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Como é então, que eu ganho tão pouco e o senhor tanto, quando nosso trabalho é praticamente o mesmo? Então o cirurgião dá um sorriso, se inclina e fala bem baixinho para o mecânico: - Você já tentou fazer como eu faço, com o motor funcionando? Conclusão: Quando a gente pensa que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas.”

Nossa última história de hoje nos fala sobre um “Problema  Sério” e começa assim... “O sujeito vai ao psiquiatra - Doutor - diz ele - estou com um problema: Toda vez que estou na cama, acho que tem alguém em baixo. Aí eu vou em baixo da cama e acho que tem alguém em cima. Pra baixo, pra cima, pra baixo, pra cima. Estou ficando maluco! - Deixe-me tratar de você durante dois anos, diz o psiquiatra. Venha três vezes por semana, e eu curo este problema. - E quanto o senhor cobra? - pergunta o paciente. - R$ 120,00 por sessão - responde o psiquiatra. - Bem, eu vou pensar - conclui o sujeito. Passados seis meses, eles se encontram na rua. - Por que você não me procurou mais? - Pergunta o psiquiatra. - A 120 paus a consulta, três vezes por semana, durante dois anos, ia ficar caro demais, ai um sujeito num bar me curou por 10 reais. - Ah é? Como? Pergunta o psiquiatra. O sujeito responde: - Por R$ 10,00 ele cortou os pés da cama... Moral da História: Muitas vezes o problema é sério, mas a solução pode ser muito simples! Há uma grande diferença entre foco no problema e foco na solução.”

Desejo a todos um maravilhoso sábado, pleno de energias positivas e de muito bom humor!!!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
O encantamento dos jardins...
04/04/2013 | 19h58

Que possamos deixar a nossa imaginação nos conduzir nestes lindos espaços de verde, esperança, colorido das flores, natureza abundante, águas, encantamento e magia... e ver que vale a pena viver com alegria e intensidade a vida!

Jardim de Versalhes - França

Os 101 hectares são recheados de caminhos que conduzem à flores e plantas bem alinhadas, com cantos decorados e estatuária clássica, além de lindos lagos ornamentais.

 

Singapore Botanic Garden

Considerado um dos mais bonitos jardins botânicos do mundo, o jardim botanico de singapura foi criado em 1859. Possui uma variedade de 60.000 orquídeas.

 

Descanso Garden Califórnia

A apenas 20 minutos de carro de Los Angeles, é possível encontrar um paraíso bucólico, com mais de 100.000 plantas e uma das maiores coleções de camélias do mundo. Os jardins e bosques se desdobram em mais de 65 hectares de San Rafael Hills.

 

Butchart Gardens - British Columbia - Canadá

O Butchart Gardens é um exemplo fascinante de um projeto de recuperação ocupando um espaço de uma antiga pedreira, hoje conta com mais de 700 diferentes plantas que florescem de março a outubro.

 

Villa D’Este, Itália

O Villa D ‘Este é embelezado por fascinantes chafarizes. Tem a Avenida das Cem Fontes, onde estátuas de cabeças de animais, lírios, um pequeno barco, bacias, e outros jorram água de maneira magnífica.

 

Dumbarton Oaks, Washington, D.C

É como entrar numa tela de pintura, em meio a árvores impressionantes e um verde intenso. Esta maravilha no extremo norte de Georgetown, torna o bairro de Washington um dos mais agradáveis.

 

Villa Ephrussi de Rothschild, França

Construido no início de 1900, pela baronesa Béatrice Ephrussi, Conta com inumeros caminhos que  serpenteiam através dos sete jardins temáticos, com caminhos de lírios, fontes dançantes e uma replica do tempo do amor o Trianon de Versalhes.

 

Stourhead Warminster, Inglaterra

Stourhead foi feito para os nobres ingleses do século 18, sendo um grandioso exemplo do fascínio que o passado representa, com suas magnificas replicas do Panteão e o Templo de Apolo.

 

The Master-of-Nets Garden - China

Este belo jardim no sudeste da China, chamado Wangshiyuan em chinês, foi criado durante a dinastia Song (960-1270 dC). O arranjo dos pavilhões, salas de música, bosques de bambu, nos revela uma harmonia natural. A seção central é um pequeno mundo dentro de si mesmo, com pilhas de pedras amarelas formando “montanhas”,  cavernas, pontes em arco e lagos.

 

Sans Souci Potsdam, Alemanha

Frederico o Grande da Prússia construiu o esplêndido palácio e seu lindo jardim para ser sua casa de verão. Bustos de imperadores romanos, estátuas decorativas, e uma casa de chá chinês fazem parte deste esplendido jardim.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
O tempo...
02/04/2013 | 23h02

Nos diz Mário Quintana ...

"A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. Quando se vê, já são seis horas! Quando de vê, já é sexta-feira! Quando se vê, já é natal... Quando se vê, já terminou o ano... Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. Quando se vê passaram 50 anos! Agora é tarde demais para ser reprovado... Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará."

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]