Fernando Pessoa ...
29/06/2012 | 21h55

"Existe no silêncio tão profunda sabedoria que às vezes ele se transforma na mais perfeita resposta"...

..."É fácil trocar as palavras, Difícil é interpretar os silêncios! É fácil caminhar lado a lado, Difícil é saber como se encontrar! É fácil beijar o rosto, Difícil é chegar ao coração! É fácil apertar as mãos, Difícil é reter o calor! É fácil sentir o amor, Difícil é conter sua torrente!"...

Desejo um dia  cheio de luz...e flores...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Grafitti Francês
28/06/2012 | 10h08
 

Interessante como a arte pode modificar tudo... apreciemos  ...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Casa Cor - SP
27/06/2012 | 14h55

Eu e Carol, minha filha e futura arquiteta...

Estive em São Paulo na Casa Cor, evento que foi realizado no Jockey Club - SP e reune os melhores arquitetos nacionais em sua mostra...

Deixo com vocês alguns espaços por mim registrados...

Sala de TV projetada para Michel Teló... Ai se...

Jardim vertical de samambaias... um luxo... com esta mini-lareira... tudo de bom...

Área externa num trabalho paisagístico que mistura madeira, iluminação e plantas...

Interessante luminária adaptada da hélice de um avião.

Casa de campo... tudo de bom... flores e jarro aproveitado do latão de leite,  contextualizando com a realidade do campo.

Adorei estas duas cozinhas... além do toque especial deste mini-jardim que aconchega o ambiente na cozinha, a pimenta pode ser degustada in natura e serve também para espantar o mau olhado... Porque tudo que é apimentado é gostoso...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
A idade vai chegar!
25/06/2012 | 22h42
Não haverá misericórdia! A idade vai chegar...Não se iluda!
Barbie completou 50 anos...
Piu Piu completou 60 anos
Superman
Thor
Hulk
Mulher Maravilha
Batman e Robin
Spiderman
 
A vida é curta, quebre regras, perdoe rapidamente, não reclame, não critique,seja amável, agradeça sempre, beije lentamente... ame de verdade,ria descontrolavelmente, e nunca pare de sorrir, por mais estranho que seja o motivo. E lembre-se que não há prazer sem riscos... A vida pode não ser a festa que esperávamos, mas uma vez que estamos aqui, temos que comemorar cada dia e agradecer!!! Aprecie sem moderação... A vida se resume em 4 frascos...
Vamos aproveitá-la, pois já estamos no terceiro...
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Morte... Sexo...
23/06/2012 | 16h20

A morte não precisa e não é o ponto final. Temos muitas vezes o hábito ou o pensar que a morte é finita. A morte é como as reticências... que, aliás, eu adoro... Escrevo muito com reticências, pois as mesmas nos levam para o infinito, para o interminável. Desta forma podemos encarar os nossos relacionamentos, nosso trabalho, nosso prazer, nosso fazer, com reticências. Por que temos que colocar o ponto final? Afinal, se um relacionamento não deu certo, serviu de aprendizado, amadurecimento e de crescimento para outros que poderão vir... Assim encaro a vida e a morte... com reticências! Aliás, morte e sexo, são dois temas que nunca nos são ensinados, aprendemos sempre na prática, no momento de passarmos por eles, e dessa forma podem ser traumáticos ou então, não tem o significado e a beleza que os mesmos representam na valorização do nosso viver. Quando aprendemos a enxergar a morte como uma passagem, enxergamos as reticências, e não o ponto final... Inclusive o “velório” deve ser vivido, como exultação e aclamação de tudo aquilo que aquela pessoa nos fez aprender, chorar, rir, viver... Não devemos ver o velório como uma despedida, apenas não estamos mais no mesmo espaço físico... mas com certeza estamos muito mais intensamente unidos no plano espiritual.

Deveríamos romper estas barreiras e lidar com estes temas com toda naturalidade em nossas casas, com nossos filhos, nossos amigos, até porque, quando vivemos os limites da morte/vida, e a compreensão da passagem, com certeza iremos valorizar muito mais nossa vida, não nos deixando levar por atos pequenos, mesquinhos, discussões bobas, afinal, a vida é um dom e um milagre que nos é oferecido dia a dia...

Às vezes temos o hábito, de viver no futuro: quando eu tiver... quando eu puder... quando meus filhos crescerem... quando ...E então nos esquecemos de viver o presente.

Martin Luther King nos diz: “A pior de todas as tragédias não é morrer jovens, mas completar setenta e cinco anos de idade e ainda não ter realmente vivido.”

 

Às vezes somos um viaduto entre passado e futuro. No entanto, ao conversarmos sobre a morte, algo tão natural e certo em nossa vida terrestre, temos o intenso prazer de valorizar o presente e vivê-lo intensamente, segundo a segundo, sem nos preocuparmos com o futuro...

 

Assim também nos comportamos diante do tabu que é criado em torno do sexo. Não temos o hábito de falar e tratar com normalidade um assunto tão vivo e natural em nossas vidas... Na maioria das vezes fingimos que ele não existe ao não conversarmos com nossos filhos sobre sexo. O sexo é a linguagem corporal do amor, é o prazer encarnado na comunicação entre duas pessoas que se gostam, é a delicadeza do gesto concreto de amar... O sexo não deve vir acompanhado da vergonha, do tabu, do pecado, mas da sinceridade, do amor verdadeiro, do estar vivo, da entrega ao outro que é tão simbólica e prazerosa... Sim, porque às vezes deturpamos as coisas e não nos permitimos ser felizes, ter prazer, viver intensamente, pois em nossa vida terrestre, não existe segundo ato, não existem ensaios e como nos diz o provérbio chinês: “a pedra não pode ser polida sem fricção, nem o homem aperfeiçoado sem tentativas.”

Morremos muitas vezes nessa vida, não apenas fisicamente - no prazo de sete anos, todas as células do nosso corpo são renovadas - mas também emocionalmente e espiritualmente, porque as mudanças nos seguram pela nuca e nos empurram para frente, para uma outra vida, como nos diz José de Alencar: “A alma tem o poder de, nos momentos mais supremos de aflição, suspender-se ao fio mais tênue da esperança.”

Não estamos aqui para simplesmente existir, mas para crescer... Então, abramos nosso coração ao diálogo, encaremos temas como a morte e o sexo como aprendizado e normalidade em nossas vidas, ou melhor, como a pura expressão da vida que pulsa a cada minuto em nosso dia a dia. A sabedoria de Santo Agostinho nos ensina delicadamente sobre a morte...  “A morte não é nada. Apenas passei ao outro mundo. Eu sou eu. Tu és tu. O que fomos um para o outro ainda o somos. Dá-me o nome que sempre me deste. Fala-me como sempre me falaste. Não mudes o tom a um triste ou solene. Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos. Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo. Que o meu nome se pronuncie em casa como sempre se pronunciou. Sem nenhuma ênfase, sem rosto de sombra. A vida continua significando o que significou: continua sendo o que era. O cordão de união não se quebrou. Porque eu estaria fora de teus pensamentos, apenas porque estou fora de tua vista? Não estou longe, somente estou do outro lado do caminho. Já verás, tudo está bem. Redescobrirás o meu coração, e nele redescobrirás a ternura mais pura. Seca tuas lágrimas e se me amas, não chores mais.”

Desta forma, devemos nos desarmar dos tabus e dos preconceitos referentes a temas tão profundos e substanciais, mas que se vividos com naturalidade, nos trarão liberdade interior de vivermos cada vez mais intensamente todos os nossos sentimentos...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Elvis não morreu...
22/06/2012 | 12h57
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Ha87Hh6-itw[/youtube]

Para descontairmos neste final de tarde de sexta feira, sentindo a liberdade e pureza das crianças...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
“EU LEVO OU DÊXO?”
16/06/2012 | 11h28

Duas estórias que nos fazem refletir sobre a relevância da comunicação nos dias atuais...

A primeira nos conta uma lenda. Ruy Barbosa ao chegar a casa, certo dia, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal. Foi averiguar e constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação.

Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus patos, disse-lhe: “- Oh, bucéfalo anácrono!!!... Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica, bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina nada”. E o ladrão, confuso, diz: “- Dotô, resumino... Eu levo ou dexo os pato???...”

A segunda nos fala sobre a magia da comunicação. “Havia um cego que pedia esmola à entrada do Viaduto do Chá, em São Paulo. Todos os dias passava por ele, de manhã e à noite, um publicitário que deixava sempre alguns centavos no chapéu do pedinte. O cego trazia pendurado no pescoço um cartaz com a frase: Cego de nascimento. Uma esmola por favor. Certa manhã o publicitário teve uma idéia, virou o letreiro do cego ao contrario e escreveu outra frase. À noite depois de um dia de trabalho perguntou ao cego como é que tinha sido seu dia. O cego respondeu, muito contente: -"Até parece mentira, mas hoje foi um dia extraordinário. Todos que passavam por mim deixavam alguma coisa. Afinal, o que é que o senhor escreveu no letreiro??? O publicitário havia escrito uma frase breve, mas com sentido e carga emotiva suficientes para convencer os que passavam a deixarem algo para o cego. A frase era: Em breve chegará a primavera e eu não poderei vê-la.”

Após a leitura das estórias podemos observar que vivemos formas diferentes de comunicação, que expressam múltiplas situações pessoais, interpessoais, grupais e sociais de conhecer, sentir e viver, que são dinâmicas, que vão evoluindo, modificando-se, modificando-nos e modificando os outros.

Há processos de comunicação superficiais - que expressam mais a exterioridade das coisas - e outros mais profundos - que relacionam o exterior com o interior, que desvendam quem somos, como pensamos, por que agimos de determinada forma. Há processos de comunicação mais autênticos - que expressam o que somos, até onde nos percebemos, que manifestam coerentemente a nossa percepção de nós mesmos e dos outros. Há processos de comunicação inautênticos, que não correspondem ao que percebemos, pensamos e sentimos, que servem a determinados propósitos, que podem levar-nos a deturpar a leitura que os outros fazem de nós - mais ou menos propositalmente. Há processos de comunicação que produzem mudanças, que nos modificam e modificam outras pessoas, enquanto outros processos não nos modificam, nos deixam onde estávamos, nos confirmam em nossos universos mentais pessoais ou grupais.

 

E assim é a vida... Muitas vezes nos deparamos com situações como estas, pois a comunicação sempre fez toda a diferença e no mundo contemporâneo, tornou-se imprescindível, sendo reconhecida como o quinto poder. E então presenciamos de tudo... Pessoas que utilizam da beleza das palavras para iludir o “outro”... pessoas que através de palavras “difíceis” querem demonstrar grande conhecimento, sem ter a consistência verdadeira... Pessoas que se utilizam da comunicação para agredir simplesmente, esquecendo da ética, da educação, da gentileza que deve reger as nossas relações... Como nos diz Nelson Mandela... “Se você falar com um homem numa linguagem que ele compreende, isso entra na cabeça dele. Se você falar com ele em sua própria linguagem, você atinge seu coração.”

E este é um dos grandes desafios da humanidade, aprender a arte de comunicar-se, pois da comunicação depende, muitas vezes, a desgraça ou a felicidade, a guerra ou a paz. A pequena passagem de Ruy Barbosa, um dos intelectuais mais brilhantes do seu tempo, tendo sido um dos organizadores da República e co-autor da constituição da Primeira República nos mostram como é nobre o domínio das palavras mas também o domínio sobre a forma de empregá-las. Palavra em latim é parabola, que por sua vez deriva do grego parabolé, representa um conjunto de letras ou sons de uma língua juntamente com a idéia associada a este conjunto. A função da palavra é representar partes do pensamento humano. A palavra deve ser uma ponte, unindo pessoas da melhor forma, transformando sempre positivamente contextos e situações, levando a verdade, mas não perdendo o sentido nobre da sua função, pois é através das palavras que formamos os fios com os quais tecemos nossas experiências.

Pense nisso e observe bem se você “leva ou dêxa” a desejar com a forma em que usa as suas palavras e se você contribui através delas para um relacionamento melhor com sua família, no seu ambiente profissional, com seus filhos, seus amigos, enfim, para um mundo melhor... pois a palavra é a arte de ir ao encontro do outro.

Uma boa e bem humorada semana para todos nós...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Rio+20
15/06/2012 | 12h22

O Rio de Janeiro está sediando a Rio+20, conferência da ONU que reunirá líderes do mundo todo para discutir meios de transformar o planeta em um lugar melhor para se viver. O evento será realizado no Rio de Janeiro, 20 anos depois da Eco92.

A conferência acontecerá dos dias 13 a 22 de junho na capital fluminense e  muitas instituições já começaram a discutir assuntos sobre o meio ambiente e a sustentabilidade. A Conferência terá dois temas principais: A economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza e a estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.

Rio+20 é uma nova etapa no itinerário de uma comunidade mundial emergente. É fundamental não enxergar a Cúpula, como aconteceu em Copenhague, como um momento decisivo para a humanidade, como um tudo ou nada onde o destino do planeta está em jogo em uns dias apenas. De fato, os processos de negociação internacional estão estagnados há mais de dez anos, seja em relação às negociações comerciais, com a paralisação do ciclo de Doha, ou as negociações climáticas após o fracasso de Copenhague, ou ainda, perante a incapacidade de reformar profundamente o sistema das Nações Unidas concebido após a segunda guerra mundial. Só o G20 pode parecer hoje um reconhecimento tímido e ambíguo do fato que os países mais ricos se empossaram como diretores do mundo, pela necessidade de um governo mundial multipolar.

Vinte anos depois, a Rio+20 reunirá os líderes de todo o mundo para fazer um balanço do que foi feito nas últimas duas décadas e discutir novas maneiras de recuperar os estragos que já fizemos no planeta, sem deixar de progredir. Mas pensar em alternativas para diminuir o impacto da humanidade na Terra não é responsabilidade, apenas, dos governantes: é nossa também. Afinal, todas as atitudes que tomamos no dia a dia - do tempo que demoramos para escovar os dentes ao meio de transporte que escolhemos para ir à escola,trabalhar e etc.., afetam de alguma maneira, o planeta e, por consequência, nossa vida.

A ideia é que todos os setores da sociedade discutam, ao mesmo tempo, maneiras de transformar o planeta em um lugar melhor para vivermos. Afinal, a união faz a força, certo? E até mesmo quem estiver de fora dessas duas reuniões pode ajudar, pensando em maneiras de diminuir seu impacto na Terra. Que tal tomar banhos mais curtos? Ou desligar a TV, enquanto usa o computador e vice-versa? Pense em atitudes que você pode adotar para melhorar o planeta em que vivemos e compartilhe com seus amigos, pais e professores - e, também, aqui, com a gente! Você pode incentivar muitas outras pessoas a fazer o mesmo...

Campos também registra sua presença no Rio+20, produz cerca de 300 toneladas de lixo por dia, entre os materiais, sucatas de aparelhos eletrônicos. O que para muitos pode ser descartável, para um artista campista se transforma em arte.

Ricardo Salgado trabalha há quase três anos com peças de computador, vídeo game, ventiladores, enfim, lixo eletrônico. Os materiais são doados por amigos, que nas mãos dele viram obras de arte. As invenções começaram de uma forma muito curiosa, aos poucos a lavanderia da casa dele virou oficina de engenhocas.

Por insistência de um amigo o artista resolveu expor sua arte numa feira chamada “Luxo do Lixo”, e a partir daí a aceitação foi imediata. Entre as invenções uma aranha, um helicóptero, uma plataforma e até uma Maria Fumaça. Não existe limite para as criações, mas segundo Ricardo, o mais importante é transformar o que seria descartável de forma irresponsável em peças que vão trazer uma idéia ecologicamente certa.

E um trabalho tão especial merece  reconhecimento.  Além de expor suas peças, Ricardo vai ser responsável por uma oficina.

Com afeto,

Beth Landim

 

 

Comentar
Compartilhe
Lugares absolutamente espetaculares!
13/06/2012 | 23h14

Lucca, Italy

Ilhéu da Vila, Portugal

San Marco, Venice, Italy

Thor’s Well, Cape Perpetua, Oregon

Maldives, islands off India

Vale a pena deixar a imaginação nos levar...

Para onde...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
POR VOCÊ...
11/06/2012 | 21h46

Por você eu dançaria tango no teto,

eu limparia os trilhos do metrô,

eu iria a pé do Rio a Salvador...

Pois foi assim como ver o mar a primeira vez que meus olhos se viram no seu olhar

Não tive a intenção de me apaixonar, mera distração e já era o momento de se gostar...

Quando eu dei por mim nem tentei fugir do visgo que me prendeu dentro do seu olhar Quando eu mergulhei no azul do mar sabia que era amor e vinha pra ficar...

Assim é o amor... quando estamos apaixonados, fazemos loucuras...

não nos preocupamos com a lógica...

pois o que sentimos é tão forte e intenso, que até o silêncio, se traduz em sonoras palavras de acalento...

É como unir todas as coisas, como eu poderia explicar?

Eu quero apenas estar no seu pensamento...

Por um momento pensar que você pensa em mim...

Onde você estiver, não se esqueça de mim...

Um doce mistério de rio com a transparência de um mar...

Sentimento fundo de água com toda a leveza do ar...

luz tão intensa... a mais doce presença...

Você só precisa existir... pra me completar...

Por você  eu aceitaria a vida como ela é ...

viajaria a prazo pro inferno, eu tomaria banho gelado no inverno,

eu iria a pé do Rio a Salvador...

Por você...  ... meu amor... eu completo  meu existir...

Por você...

Feliz Dia dos Namorados!!!!

Com afeto,

Beth Landim

           
Comentar
Compartilhe
Évora...
11/06/2012 | 21h43

Estamos em ÉVORA...

Évora e sua região circundante tem uma rica história que recua a mais de dois milênios. Évora é uma cidade portuguesa situada na região de Alentejo com uma população de cerca de 41  mil habitantes. Évora é a única cidade portuguesa membro da rede de cidades européias mais antigas. É como  se estivessemos vivendo na época medieval... a cidade dentro das muralhas é pitoresca... interessante.... nos transporta aos sonhos adormecidos.... Visitar o templo de Diana, o museu, as igrejas, cada uma com sua peculiaridade e estilo renacentista, nos faz entrar numa viagem de arte plena...

Aqui tenho valiosos amigos na Universidade Pública de Évora, o que para mim não tem preço, pois amigos são um tesouro "perdido"ou "achado" no tempo...

Deixo com vocês algumas fotos para que possam saborear junto comigo esta viagem... que me trouxe muita liberdade interior e grandes descobertas e alegrias ao vencer meus própios desafios...... nesta viagem que fiz este ano em março.

Praça Principal da cidade - Praça do Giraldo - com a Igreja de Santo Antão ao fundo.

Fonte da Praça do Giraldo...

Em plena praça pública - a famosa Praça do Giraldo, um evento de degustação maravilhoso em plena manhã de sábado!!!

Na Igreja de Santo Antão...

Em um dos altares da Igreja de Santo Antão.

No alto da Igreja dos Loios em entardecer chuvoso de sábado...

Templo de Diana - templo romano de Évora chamado desta forma pois associou-se com a deusa romana da caça. Este templo foi construído em homenagem ao imperador Augusto que era venerado como um Deus durante o seu reinado.

As ruelas de Évora - charme e encantamento...

Universidade de Évora - templo consagrado ao saber - que já faz história há 500 anos, recebendo estudantes de todo o mundo...

Imaginem só que em Évora encontrei uma travessa chamanda TRAVESSA DE LANDIM!!!

Dia muito especial em Monsaraz...  cidadela de 60 habitantes próxima a Évora.

O castelo de Monsaraz é suposto ter sido edificado em 1310, sobre uma estrutura defensiva já existente, que terá começado por um castro pré-histórico e mais tarde por construções romanas, visigóticas e árabes.

... Domingo de sol radiante em Lisboa...

Em visita ao Castelo São Jorge...

Visitando o Mosteiro dos Jerônimos...

Curtindo uma típica feira nos jardins dos Jerônimos...

Lindo mini templo budista no Jardim dos Jerônimos...

Viajar enriquece e liberta a alma ...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Elizabeth II celebra Jubileu de Diamante!!!
05/06/2012 | 11h44

Na Inglaterra, o tempo estava feio, com chuva. Mas a festa foi linda de qualquer jeito. O Reino Unido celebrou os 60 anos do reinado de Elizabeth II com uma procissão.

Foi um domingo histórico, memorável. Uma celebração da realeza. O cenário da festa não poderia ter sido mais britânico: tempo fechado, frio e chuva. Os súditos levaram guarda-chuva, capa, chapéu. Todo mundo ficou encharcado e feliz, cantando e agitando bandeiras.

Príncipe Charles beija a mão da rainha Elizabeth II durante show de comemoração do Jubileu de Diamante
Príncipe Charles beija a mão da rainha Elizabeth II durante show de comemoração do Jubileu de Diamante

Mais de um milhão de pessoas ocuparam as duas margens do Rio Tâmisa. Foi um desfile também em terra: os britânicos se vestiram com as cores azul, vermelha e branca da bandeira nacional. A grande atração da cerimônia fluvial foi a enorme barca real, que navegou rio abaixo com Elizabeth II saudando a multidão. A rainha de 86 anos estava acompanhada do marido – o príncipe Philip – e dos netos. Três outras embarcações levaram os integrantes da família e a comitiva.

O desfile celebrou os 60 anos do reinado de Elizabeth II e a tradição marítima do Reino Unido. Uma procissão de mil barcos de todos os estilos, épocas e tamanhos percorreu 11 quilômetros do Rio Tâmisa. Eles vieram de 53 países que fizeram parte do império britânico. No final, uma salva de tiros na ponte da Torre de Londres marcou o espetáculo e o início da noite.

A festa não acabou. Mais tarde, a Rainha Elizabeth abriu  os jardins do Palácio De Buckingham para um concerto ao ar livre. No palco, só estrelas: Elton John e Paul MacCartney,  Steve Wonder ,entre outros.

Queima de fogos durante show no Palácio de Buckingham
Queima de fogos durante show no Palácio de Buckingham

Elton John durante o seu show

Palco montado em frente ao Palácio de Buckingham nas comemorações do jublieu de diamante da Rainha Elizaberth IIPalco montado em frente ao Palácio de Buckingham nas comemorações do jublieu de diamante da Rainha Elizaberth II

Bolo decorado em comemoração ao jubileu de diamante da Rainha Elizabeth II

A duquesa de Cambridge, Catherine Middleton, entre os príncipes Harry e William

O dia festivo correu conforme o script, com tradição, pompa e precisão!!!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Natureza Espetacular!!
04/06/2012 | 12h48

Palominito Island, Puerto Rico

Isle of Skye, Scotland

Dunn’s River Falls, Jamaica

Sea Caves, Benagil, Portugal

Capilano Suspension Bridge, Vancouver, British Columbia

Uma ilha...céu  e  mar ....

O verde para acolher ....

O amor a iluminar ...

Não precisamos de mais nada...

Apreciemos então , a beleza do mundo ...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
OVOS FABERGÉ
01/06/2012 | 09h15

Os Ovos Fabergé são obras-primas da joalharia produzidas por Peter Carl Fabergé e seus assistentes no período de 1885 a 1917 para os czares da Rússia. Os ovos, cuidadosamente elaborados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, escondiam surpresas e miniaturas encomendados e oferecidos na Páscoa entre os membros da família imperial. Disputados por colecionadores em todo o mundo, os famosos ovos da Páscoa criados pelo joalheiro russo são admirados pela perfeição e considerados expoentes da arte joalheira.

 

Apreciar a arte, o belo é sempre bom...

Com afeto,

Beth Landim

 
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]