A constante busca pelos melhores resultados
27/04/2012 | 21h15

“Certa vez, um velho lenhador, conhecido por sempre vencer os torneios que participava, foi desafiado por um outro lenhador, jovem e forte, para uma disputa. A competição chamou a atenção de todos os moradores da localidade. Muitos acreditavam que, finalmente, o velho perderia a condição de campeão dos lenhadores, em função da grande vantagem física do jovem desafiante.

No dia marcado, os dois competidores começaram a disputa, na qual o jovem se entregou com grande energia e convicto de que seria o novo campeão. De tempos em tempos, olhava para o velho e, às vezes, percebia que ele estava sentado. Pensou que o adversário estava velho demais para a disputa, e continuou cortando lenha com todo vigor.

Ao final do prazo estipulado para a competição, foram medir a produtividade dos dois lenhadores e pasmem! O velho vencera novamente, por larga margem, aquele jovem e forte lenhador.

Intrigado, o moço questionou o velho: - Não entendo! Muitas das vezes quando eu olhei para o senhor, durante a competição, notei que estava sentando, descansando, e, no entanto, conseguiu cortar muito mais lenha do que eu. Como pode?

- Engano seu! Disse o velho. Quando você me via sentado, na verdade, eu estava amolando meu machado e percebi que você usava muita força e obtinha pouco resultado.”

Esta parábola suscita importantes questões para os dias atuais. Com o mercado de trabalho tão competitivo e tanta exigência técnica, as organizações, muitas vezes, esquecem o real valor da experiência e da atualização como fatores responsáveis pelo melhor utilização dos conhecimentos técnicos adquiridos.

Não basta ter conhecimento técnico se o profissional não souber utilizar um conjunto de habilidades que possam transformar esse conhecimento em eficiência.

Na parábola, um dos lenhadores apostou em seu vigor físico, seu conhecimento técnico e, acima de tudo, em sua jovialidade como elementos imbatíveis para a competição. No entanto, foram a experiência, a capacidade de adaptação e observação, certamente desenvolvidas com a maturidade, que deram a vitória ao velho lenhador.

“Amolar o machado” periodicamente fez toda a diferença em uma disputa que parecia ter o resultado definido.

Assim acontece também conosco, nas mais diversas funções desempenhadas. É preciso buscar, continuamente, os melhores caminhos para alcançarmos os objetivos propostos. A observação e a capacidade de mudanças estratégicas devem ser componentes prioritários na vida de todo profissional.

Hoje, encontramos diversos centros educativos especializados em formação técnica de excelente nível. O crescimento desse segmento educacional é incontestável e necessário. No entanto, este crescimento não deve ser desassociado ao desenvolvimento das habilidades inerentes ao ser humano, que fazem, do conhecimento técnico, um instrumento mais eficaz. Essa é uma responsabilidade dividida com as mais diversas classes. O educador, o gerente, o empresário, o diretor, o colega de trabalho... todos devem incentivar essa associação de valores.  O uso das habilidades comportamentais para melhor desempenho técnico deve ser motivado por todo aquele que almeja melhoria de resultados seja do seu aluno, do seu subordinado, de sua empresa, do seu grupo de trabalho ou até mesmo de sua vida.

A valorização do ser humano, a motivação e a cooperação entre as pessoas sempre fizeram e continuarão sendo um diferencial de atuação.

A experiência profissional, fruto dos anos de dedicação e, conseqüentemente, de uma idade mais avançada, tende a ser desvalorizada com o surgimento do novo. Prova disso é a quantidade de senhores e senhoras que são considerados inativos quando ainda teriam tanto a contribuir. Quanta experiência é desperdiçada quando não valorizamos o potencial humano! Quanto perdemos quando achamos ser desnecessário sentar  e “amolar, diariamente, o nosso machado” em busca dos melhores caminhos!

Que nesse feriado prolongado, em homenagem ao dia dos trabalhadores, possamos refletir sobre nossas atitudes enquanto empregados e empregadores, enquanto seres humanos, para que, dessa forma, possamos sempre alcançar os resultados esperados.

Parabéns aos jovens e, sobretudo, aos experientes e sábios trabalhadores!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Aquarela...
26/04/2012 | 22h41

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=rtd-DFn1fzk&feature=fvwrel[/youtube]

Vamos nos permitir um momento de suavidade junto a linda Aquarela de Toquinho...

Permita-se ser levado pela sua imaginação e flutuar em meio as cores do arco-íris da vida...

Seja capaz de respirar junto a tudo de bom que você recebe através da natureza e renove as suas energias...

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo e com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo...

Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva e se faço chover com dois riscos tenho um guarda-chuva...

Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu...

Vai voando contornando a imensa curva Norte e Sul vou com ela viajando Havaí Pequim ou Istambul... Pinto um barco a vela brando navegando é tanto céu e mar num beijo azul...

Entre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e grená... Tudo em volta colorindo Com suas luzes a piscar...

Basta imaginar e ele está partindo, sereno e lindo se a gente quiser ele vai pousar...

Numa folha qualquer eu desenho um navio de partida com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida...

De uma América a outra eu consigo passar num segundo giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo...

Um menino caminha e caminhando chega no muro E ali logo em frente A esperar pela gente O futuro está...

E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar Não tem tempo, nem piedade nem tem hora de chegar sem pedir licença muda a nossa vida e depois convida a rir ou chorar...

Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá o fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar... Vamos todos numa linda passarela de uma aquarela que um dia enfim descolorirá...

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo... Que descolorirá! E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo...

Giro um simples compasso num círculo eu faço o mundo...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Duas estórias em uma...
20/04/2012 | 12h48

Deixo-lhes hoje duas pequenas estórias que nos fazem refletir sobre a nossa caminhada...

“Uma senhora chinesa já idosa, carregava dois vasos grandes, cada um pendurado na ponta de uma madeira que se apoiava em seus ombros. Um dos vasos tinha uma rachadura, e o outro era perfeito e sempre levava todo o seu conteúdo de água. No fim do longo percurso o vaso defeituoso chegava sempre com metade do seu conteúdo. E foi assim por dois longos anos, a senhora idosa levava para casa um vaso e meio de água. O vaso perfeito era orgulhoso, pois cumpria sempre a sua obrigação. O vaso defeituoso ao contrário envergonhava-se da sua imperfeição, perdia sempre metade do seu conteúdo. Depois de dois anos, reconhecendo seu defeito durante um trajeto, falou com a senhora idosa: “Sinto muito, que por causa do meu defeito perca metade do meu conteúdo.” A senhora idosa sorriu e disse: Já reparaste nas flores que estão do teu lado? Enquanto no outro lado não. Isto porque eu sempre soube que em ti havia uma rachadura, então plantei sementes do teu lado e a cada dia que fazia este trajeto tu regavas as sementes. Por dois anos recolhi estas maravilhosas flores para decorar a nossa mesa. Sem ti e a tua maneira de ser, não seria possível esta beleza para alegrar a nossa casa. Cada um de nós tem o seu defeito particular… Mas são as rachaduras e os defeitos que fazem as nossas vidas assim interessantes e gratificantes. Devemos aceitar as pessoas como são, procurando ver nelas aquilo que têm de melhor.”

Na revolução da alma, Aristóteles, filósofo grego, escreveu este texto no ano 360 A.C. e é eterno... “Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregue sua alegria, sua paz sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém. Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja. A razão da sua vida é você mesmo. A tua paz interior é a tua meta de vida, quando sentires um vazio na alma, quando acreditares que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, remete teu pensamento para os teus desejos mais íntimos e busque a divindade que existe em você. Pare de colocar sua felicidade cada dia mais distante de você. Não coloque objetivo longe demais de suas mãos, abrace os que estão ao seu alcance hoje. Se andas desesperado por problemas financeiros, amorosos, ou de relacionamentos familiares, busca em teu interior a resposta para acalmar-te, você é reflexo do que pensas diariamente. Pare de pensar mal de você mesmo, e seja seu melhor amigo sempre. Sorrir significa aprovar, aceitar, felicitar. Então abra um sorriso para aprovar o mundo que te quer oferecer o melhor. Com um sorriso no rosto as pessoas terão as melhores impressões de você, e você estará afirmando para você mesmo, que está "pronto" para ser feliz. Trabalhe, trabalhe muito a seu favor. Pare de esperar a felicidade sem esforços. Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda. Critique menos, trabalhe mais. E, não se esqueça nunca de agradecer. Agradeça tudo que está em sua vida nesse momento, inclusive a dor. Nossa compreensão do universo, ainda é muito pequena para julgar o que quer que seja na nossa vida. A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las."

Estas estórias nos fazem refletir sobre a nossa caminhada: dias melhores, dias piores, dias ensolarados, dias cinzentos, dias de chuva, dias com brilho, dias sem brilho, mas... todos são dias a serem vividos por nós e no cômputo do nosso tempo, todos eles farão parte desta conta. Então nos resta com grande propriedade darmos o melhor de nós a cada dia, buscando sempre a forma mais equilibrada de convivência com todos que nos cercam, ao longo das experiências do caminho.

Saint-Exupéry nos diz: “Os homens cultivam cinco mil rosas num mesmo jardim e não encontram o que procuram. E, no entanto, o que eles buscam poderia ser achado numa só rosa”. Realmente, assim somos nós humanos, buscadores eternos de realidades longínquas, muitas vezes insatisfeitos e incompletos, com os olhos vendados diante de tanto amor, de tantas realizações e de tantas oportunidades que se renovam a cada dia em nossas trilhas... Buscando num canteiro de cinco mil rosas que cultivamos o que está dentro de nós mesmos... e não somos capazes de encontrar, de cultivar, de multiplicar...  para reforçar os nossos laços com o divino que vive em nós. Recomeçar sempre, recebendo das planuras do céu o sol que nos ilumina e nos convida a termos forças e coragem. Recomeçar com energia positiva, com confiança em dias melhores que sempre chegam, nos mostrando que as pedras e as quedas são condições sine qua non para o nosso crescimento espiritual, como seres humanos voltados para a luz. Recomeçar fazendo dos “vasos quebrados” que surgem na nossa convivência diária, oportunidades de burilamento da nossa paciência, da nossa fé renovada, da nossa reflexão, do nosso entendimento de que somos imperfeitos também e, portanto necessitamos de compreensão, de perdão, de braços que nos abracem nos mostrando que apesar de tudo estamos caminhando no sentido da luz, da iluminação pessoal, da busca constante de florir caminhos por onde possamos passar junto com todos que conosco caminham rumo ao divino, reconhecendo sempre que a felicidade não só está dentro de nós, mas pelo caminho e não somente no topo da chegada. Vivamos estes momentos intensamente e então eles se tornarão eternos.

Por fim, é preciso entender o que você busca, para encontrar o que você precisa...

Uma boa semana para todos!!!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Violetas sempre voltam!
19/04/2012 | 11h10
"O destino une e separa as pessoas, mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas que, por algum motivo,um dia nos fizeram felizes"...
Chega um momento na vida em que você sabe quem é importante para você, quem nunca foi, quem não é mais e quem o será sempre.
"Antes de julgares a "minha vida" ou meu "caráter"... Calça os MEUS sapatos e percorre o caminho que EU percorri, vive as "minhas tristezas", as "minhas dúvidas",as "minhas alegrias" !!!Percorre os anos que e EU percorri, tropeça onde EU tropecei e levanta-te assim como EU o fiz!!!Cada um tem a sua própria história !!!E então, só aí poderás "julgar-me!"

(Mário Quintana)

Com afeto,

Beth Landim

 

Comentar
Compartilhe
Melhores Ondas
17/04/2012 | 09h22

Principais picos de surf para você curtir

O surf é para muitos não só um esporte, mas sim um estilo de vida . Deslizar pelas ondas, sentir o vento no rosto e o shape em seus pés, parece fazer tudo em volta andar em câmera lenta. Surfar não é apenas estar em cima da prancha. É viver tudo que envolve o mundo das ondas.

Os primeiros registros da prática do surf datam de 1778, no Havaí, porém não se sabe ao certo desde quando o surf é praticado por lá. Boatos sobre a invenção do surf podem se atribuir até mesmo aos peruanos, mas a ideia mais aceita realmente tende aos havaianos. O esporte ficou mundialmente conhecido a partir do século XX, o havaiano Duke Paoa Kahanamoku foi o responsável por popularizar o surf. Durante as Olimpíadas de 1912, em Estocolmo, Duke conquistou uma medalha de ouro na natação, ficando conhecido mundialmente e apresentando o surf ao público.

Ao decorrer das décadas, o surfe evoluiu e influenciou comportamentos pelo globo. Na década de 50, com o surgimento das primeiras pranchas de poliuretano, o esporte não parou mais de crescer. Novos desenhos de shape proporcionaram maior agilidade na prática de manobras.  Começou assim o fortalecimento da ideia de comunidade voltada para o esporte.

Deixo com vocês  algumas dicas dos maiores picos para prática de surf do mundo, as melhores ondas, praias belas e em algumas ocasiões, perigosas.

5ª Lugar - Califórnia

As ondas da Califórnia (EUA), ficaram famosas pela sua força e altura, o principal pico, Mavericks proporciona facilmente ondas de 10 metros. Em novembro de 2001, o brasileiro Carlos Burle dropou em um paredão de 21 metros de altura, sendo considerada a maior onda já surfada da história. Para conseguir chegar ao pico, o surfista tem de ser puxado por uma jet-ski, modalidade de surfe conhecida como tow-in.

4ª Lugar - Brasil

Identificar uma praia em especial para prática do surf na costa brasileira não é  trabalho fácil, nosso litoral tem 7.367 km de extensão, apresentando vários picos ótimos para prática do surf. Destaque para praia do Bonete em Ilhabela e Sapé em Ubatuba.

Mas levando em consideração o ambiente, visual e a qualidade das ondas, Fernando de Noronha  se destaca.  Considerado o Havaí brasileiro, a ilha proporciona vários picos ótimos. De dezembro a março com a mudança dos ventos, Noronha proporciona ondas perfeitas, sendo atrativa pelos tubos incríveis que apresenta. Nesta época ocorre uma das etapas do WQS na praia Cacimba do Padre, atraindo surfistas do mundo todo.

3ª Lugar - Austrália

A Austrália tem um grande tradicionalismo na prática do surf, a geologia da costa australiana ajuda na formação de ondas grandes e bem desenhadas. Destaque para a praia de Burleigh Heads, que mistura o fundo do mar em pedra e areia. É considerada uma praia urbana, mundialmente conhecida pelas suas ondas. Burleigh Heads é bem movimentada, se quiser pegar uma onda em paz, é bom chegar bem cedo e aproveitar ao máximo.

A praia faz parte do chamado Gold Coast, lista de 10 melhores picos da Austrália para prática de surf.

A direita de Burleigh Heads é considerada perfeita, em dias de “mar pequeno” é boa para quem está aprendendo a surfar.

2ª Lugar - Sumatra

A ilha de Sumatra na Indonésia é um dos grandes paraísos dos surfistas. Águas mornas e transparentes proporcionam um visual lindo. Barcos partem da ilha levando os surfistas até os principais pontos para o surf, as ondas não são das maiores do mundo, médias de até quatro metros. Mas o principal atrativo de Sumatra é a tranquilidade, os vários picos em torno da ilha fazem com que a aglomeração de surfistas seja mínima.

Devido as dificuldades de comunicação e cultura, a Ilha de Sumatra ainda é pouco explorada pelos turistas, os surfistas sãos os principais visitantes, os melhores picos ainda estão sendo descobertos, é uma boa pedida para quem pode e quer se aventurar pelas ondas do mundo.

1ª Lugar - Havaí

O berço do surfe também é o paraíso para os surfistas, paisagens belíssimas em harmonia com o mar e a cultura local, fazem do Havaí o objetivo de vida de muitos surfistas pelo mundo.

O Havaí oferece várias praias perfeitas para a prática do surf, uma das principais é a Waimea Bay, localizada na costa norte da ilha de Oahu. As ondas podem chegar até a 20 pés (seis a sete metros) de altura, verdadeiros paredões de água, lá em baixo, corais e rochas te esperam. Ondas para quem sabe o que está fazendo.

Entre os meses de Dezembro e Fevereiro é organizado o campeonato “In Memory of Eddie Aikau”, evento em homenagem ao primeiro salva vidas do Havaí, morto ao tentar salvar tripulantes de um navio que estava afundando. O campeonato só é realizado quando as ondas atingem os 20 pés de altura, sendo uma das principais competições em ondas grandes de mundo.

 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
A Águia e o Pardal
16/04/2012 | 12h47

O sol anunciava o final de mais um dia e lá, entre as árvores, estava Andala, um pardal que não se cansava de observar Yan, a grande águia. Seu vôo preciso, perfeito, enchia seus olhos de admiração. Sentia vontade de voar como a águia, mas não sabia como o fazer. Sentia vontade de ser forte como a águia, mas não conseguia assim ser. Todavia, não cansava de segui-la por entre as árvores só para vislumbrar tamanha beleza.

Um dia estava a voar por entre a mata a observar o vôo de Yan, e de repente a águia sumiu de sua visão. Voou mais rápido para reencontrá-la, mas a águia havia desaparecido. Foi quando levou um enorme susto, deparou de uma forma muito repentina com a grande águia a sua frente. Tentou conter o seu vôo, mas foi impossível, acabou batendo de frente com o belo pássaro. Caiu desnorteado no chão e quando voltou a si, pode ver aquele pássaro imenso bem ao seu lado observando-o. Sentiu um calafrio no peito, suas asas ficaram arrepiadas e pôs-se em posição de luta.

A águia em sua quietude apenas o olhava calma e mansamente, e com uma expressão séria, perguntou-lhe: - Por que estás a me vigiar, Andala?

- Quero ser uma águia como tu, Yan. Mas meu vôo é baixo, pois minhas asas são curtas e vislumbro pouco por não conseguir ultrapassar seus limites.

- E como te sentes amigo sem poder desfrutar, usufruir de tudo aquilo que está além do que podes alcançar com tuas pequenas asas?  - Sinto tristeza. Uma profunda tristeza. A vontade é muito grande de realizar esse sonho...

- O pardal suspirou olhando para o chão...

E disse: - Todos os dias acordo muito cedo para vê-la voar e caçar. És tão única, tão bela. Passo o dia a observar-te.  E não voas? Ficas o tempo inteiro a me observar? Indagou Yan.

- Sim. A grande verdade é que gostaria de voar como tu voas... Mas as tuas alturas são demasiadas para mim e creio não ter forças para suportar os mesmos ventos que, com graça e experiência, tu cortas harmoniosamente...

- Andala, bem sabes que a natureza de cada um de nós é diferente, e isso não quer dizer que nunca poderás voar como uma águia. Sê firme em teu propósito e deixa que a águia que vive em ti possa dar rumos diferentes aos teus instintos. Se abrires apenas uma fresta para que esta águia que está em ti possa te guiar, esta dar-te-á a possibilidade de vires a voar tão alto como eu. Acredita!- E assim, a águia preparou-se para levantar vôo, mas voltou-se novamente ao pequeno pássaro que a ouvia atentamente: Andala, apenas mais uma coisa: - Não poderás voar como uma águia, se não treinares incansavelmente por todos os dias. O treino é o que dá conhecimento, fortalecimento e compreensão para que possas dar realidade a teus sonhos. Se não pões em prática a tua vontade, teu sonho sempre será apenas um sonho.

Caríssimos leitores, esta metáfora serve de reflexão apenas para aqueles que não temem quebrar limites, crenças, conhecendo o que deve ser realmente conhecido. É para aqueles que acreditam ser livres, e que trazem a liberdade em seu coração. Com essas virtudes poderão adquirir as formas que desejarem, pois já não estarão apegados a nenhuma forma pronta e acabada. Somos livres, podemos escolher, lutar e realizar!  Um pardal poderá, sempre, transfigurar-se internamente numa águia, se esta for sua vontade. Mas para essa transfiguração é preciso confiar em si mesmo e voar, entregando tuas asas aos ventos e aprendendo o equilíbrio com eles.

Tudo é possível para aqueles que compreenderam que são seres livres, basta apenas acreditar, ter disciplina, perseverança, confiar na sua capacidade de aprender, trabalhar muito  e ser feliz com sua escolha. Na vida temos pessoas que admiramos que são como águias, são fortes e perspicazes, mas também devemos encontrar e destacar no pardal qualidades que a águia não terá como leveza, agilidade e a habilidade de viver coletivamente.

Todos temos dentro de nós uma águia e um pardal, e precisamos dessas duas faces para enfrentar os desafios do cotidiano. Muitas vezes nos acostumamos a olhar para os outros, para as vitórias, as habilidades alheias, valorizando-as. Esquecemos de olhar nosso interior, nossas próprias habilidades que são tão interessantes quanto as dos outros. Tratar a auto-estima deveria ser uma das principais metas do ser humano: quem não gosta de si nunca poderá amar e conviver com o outro, muito menos ser feliz com suas conquistas.

Reflitam sobre isso e tenham uma ótima semana!

Com afeto,

Beth Landim

   
Comentar
Compartilhe
Caminhos Surpreendentes...
12/04/2012 | 12h58

A sabedoria consiste em sabermos escolher os caminhos, pois a felicidade não está no fim e sim durante o caminho.... E, às vezes, as retas são monótonas e não nos trazem os desafios e sabores  de experimentarmos o novo e aprendermos com o inesperado....

Renova-te. Renasce em ti mesmo. Multiplica os teus olhos para verem mais. Multiplica os teus braços para semeares tudo. Destrói os olhos que tiverem visto. Cria outros, para as visões novas. Destrói os braços que tiverem semeado, para se esquecerem de colher. Sê sempre o mesmo. Sempre outro. Mas sempre alto. Sempre longe. E dentro de tudo.

As pessoas se esquecerão do que você disse...... Esquecerão do que você fez..... Mas nunca esquecerão como você as tratou. Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam! Tudo Passa...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Ilhas Gregas
10/04/2012 | 12h12

Um pouco do encanto das ilhas gregas ...

A paixão dos argonautas pelo mar é compreensível. Esta lenda da mitologia grega é cheia de mistérios e encantamentos ligados ao mar. Em busca ao Velo de Ouro, os destemidos heróis viajaram por anos, conhecendo vários pontos do velho mundo incluindo o litoral grego.

Todo o encanto da Grécia a transforma em um grande destino turístico. As mais de 3000 ilhas são o ponto alto do turismo local. Sendo 167 delas habitadas. É um prato cheio para os aventureiros que gostam de conhecer lugares novos e cheios de histórias e curiosidades.

A incrível harmonia entre a arquitetura típica grega, que mantem muitas das habitações pintadas de branco, entra em contraste com os belíssimos tons de azul do mar e do céu. Lembrando as cores da bandeira do país. Uma incrível conscidência...

O arquipélago mais visitado é o das Ilhas Cíclades: Mykonos e Santorini, ricas em peculiaridades. A ilha Mykonos encanta pelos seus moinhos de vento,  Santorini  deixa os turistas atordoados com a beleza do seu pôr-do-sol, a vista pode ser apreciada do povoado de Oia.

Outros pontos imperdíveis são As ilhas do Golfo Sarônico, do Golgo Argólico, de Creta, as ilhas do Dodecaneso e as ilhas do mar Jônico. Ilhas que também fazem parte dos principais roteiros de viagem. Estes destinos apresentam clima ameno e ensolarado boa parte do ano.

Santorini

A ilha em forma de meia lua está localizada sobre o que sobrou de um antigo vulcão extinto. Com área total de 76KM² é um dos polos turísticos da região. Suas belas praias de areia levemente acinzentadas e mar calmo e muito azul, chamam a atenção. Destaque para as praias localizadas em Perissa, Kamari, Perivolos, Vlihada e Red beach. É famosa também pelos bons vinhos e comidas típicas, praticamente toda a base de frutos do mar.

Mykonos

Chama a atenção pelos pequenos povoados locais, a arquitetura típica deixa os turistas boquiabertos. Igrejas e bons museus são ótimas pedidas para conhecer melhor a cultura local. Com cerca de 85 km², pertence ao grupo de ilhas das Cíclades no Mar Egeu. Mykonos também é  famosa pela sua vida noturna muito ativa, é comum celebridades do cinema mundial circularem pela ilha, curtindo suas atrações.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Tempo de Recomeçar...
09/04/2012 | 14h43

      A origem da comemoração da Páscoa remonta muitos séculos atrás. O termo “Páscoa” tem uma origem religiosa que vem do latim Pascae. Na GréciaAntiga, este termo também é encontrado como Paska, porém sua origem mais remota é entre os hebreus, onde aparece o termo Pesach ou Peseach, cujo significado é passagem.

A celebração da páscoa retrata muitos momentos, mas dois momentos merecem ser analisados: a morte e a ressurreição. Eles nos levam a refletir sobre os desafios que a vida nos impõe, pois temos duas opções: focalizar a morte ou nos alegrar com a ressurreição.   

 Certamente somos conscientes da celebração da ressurreição de Jesus, mas não sabemos se todos sentem esse milagre acontecer em suas vidas. Percebe-se que muitos continuam diante do Jesus crucificado. Pois, apesar da mensagem da ressurreição, muitos continuam, por causa dos mais diversos problemas e dificuldades, sem razão para viver. As tensões, as angústias, as depressões, a violência, a doença, as mudanças e tantas outras dores e contratempos transformam a vida, de muitos, numa eterna crucificação! Num eterno muro de lamentações! Lamentar-se, entristecer-se é focalizar a morte. Todavia, é essencial transformar esse sentimento de morte em vida, em ressurreição. Creio que é possível transformar o sofrimento em uma vida plena de sentido. Cheia de realizações. A diferença está em administrar os sofrimentos no interior e acreditar que, a partir dele, algo de muito melhor irá acontecer.

 

     Temos a obrigação de fazer ressurgir o belo, bonito e maravilhoso que existe dentro de cada um de nós. Transformar o sofrimento em triunfo é saber-se, em primeiro lugar, amado por Deus. E quem se sente amado por Deus encontra, em seu âmago, a força para transformar sofrimento em pérola. Para transformar sofrimento em uma vida plena de sentido.

            Não podemos ficar estagnados na sexta-feira da paixão, mas devemos lembrar que Cristo vive para que possamos viver. Deixe a mensagem da ressurreição, o amor ilimitado de Deus revelado em Cristo Jesus, encher sua vida de alegria e esperança de vida, pois quando o amor de Jesus habita nossas mentes e corações, sempre ressurge a vida plena e abundante.

    É fundamental deixar-se encher pela luz de Cristo e irradiá-la por todos os cantos. Ressurreição quer dizer levantar-se sempre de novo, trilhando novos caminhos. Somos protagonistas de nossa vida e não espectadores. E, como ela é feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos. Ao falar de ressurreição é fundamental destacar duas ações retratadas nas passagens da Bíblia: encher-se de alegria e sair para comunicar aos outros. Isso reforça a idéia de que se fôssemos resumir, em uma palavra, a festa da Páscoa, com certeza a palavra seria alegria. Alegria imensa, que explode e contagia.  

            Por isso, na paixão, a Cruz deixou de ser símbolo de castigo para converter-se em sinal de VITÓRIA. Essa alegria que o Ressuscitado nos comunica é interior e subjetiva, mas é também, e sobretudo, concreta, vivencial, prática, objetiva. Desejo que todos nós possamos viver a Páscoa em nosso íntimo, sendo capazes de mudar, de partilhar a vida na esperança, de lutar para vencer e de dizer sim ao amor e à vida. Só assim, investindo na fraternidade, lutaremos por um mundo melhor, ajudando mais gente a ser gente em constante libertação! Celebramos, na Páscoa, a ressurreição de Jesus Cristo como centro e alicerce da nossa fé e como fonte de esperança e alegria para todo o mundo. É esta alegria que desejo a todos: uma alegria enraizada no íntimo dos corações e irradiante onde estivermos.

Feliz Páscoa!

 Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Mesas de Páscoa
05/04/2012 | 10h21

Reunir a família ao redor da mesa, é sempre um momento de alegria , união e sobretudo de intimidade.... Momentos  descontraídos, carinhosos que nos fazem olhar com os olhos da alma e enxergar o outro como  ele é ...viver o verdadeiro amor !!!!!

E com uma mesa arrumada, fica mais gostosa, pois a beleza faz parte da vida .... e a rotina deve ser sempre superada pela alegria e vontade de viver intensamente todos os momentos.....

Deixo com vocês algumas dicas coloridas e simples para o  almoço de domingo, que com certeza terá,  como "prato principal", a FAMÍLIA....

 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Sorvetes Exóticos
03/04/2012 | 10h05

Como a maioria das receitas de fama mundial, o sorvete deu seus primeiros sinais de vida na antiga civilização chinesa. Mas, assim como o macarrão - outra invenção dos nossos amigos orientais – o sorvete ganhou fama na Itália graças às viagens de Marco Polo até a China.

Atualmente os EUA é o maior produtor de sorvetes do mundo, foram eles que criaram as três receitas mais pedidas ao redor do globo: O sundae, a banana slipt e o ice cream soda.

Sorvete de Bacon: Para quem come bacon no desjejum, um sorvetinho de bacon não parece assim tão inimaginável. Como não podia ser diferente, a receita foi criada por um americano.

Sorvete de Caviar:Desenvolvido por Philippe Faur e Armen Petrossian, sorveteiros e donos de uma empresa de criação e comercialização de sorvetes artesanais, o sorvete contém mais de 60% de puro caviar de esturjão e demora mais de seis meses para ficar pronto.

Sorvete de Cobra: Que delícia, né?! Bom, aqueles que experimentaram não concordam, e ainda exaltam que de doce essa sobremesa não tem nada. Criado no Japão, esse sorvete é feito a partir de uma cobra típica da Ásia, chamada mamushi, que dá o gosto característico de alho.

Sorvete de Cerveja:Cerveja e calor combinam. Sorvete e verão são melhores amigos. Que tal unir o doce do sorvete com o amargo da cerveja e ver o que dá? O chef Greigor Caisley uniu sua paixão pelas duas coisas e preparou o Guinness Ice Cream. Não satisfeito em fazer uma receita de sorvete com cerveja, ele ainda escolheu a irlandesa Guinness como ingrediente principal.

Sorvete de Alho: Não é uma boa pedida para o dia dos namorados e nem para aniversário de casamento, mas o sorvete de alho faz sucesso na Suécia.O sorvete é feito com dentes de alho mergulhados em chocolate e misturados a morangos com sorvete de mel.

Sorvete de Gergelim: A receita é bem simples e pode ser feita em casa! Basta misturar leite condensado, creme de leite, tahine e, claro, gergelim.

Sorvete de Carvão: A china como sempre se mantem na vanguarda das criações mirabolantes. O sorvete de carvão só é vendido por lá, e ninguém sabe se ele é mesmo feito com pedras de carvão ou se apenas o sabor é parecido.

Sorvete de Ouro: Um restaurante Nova-Iorquino ilustrou as páginas do Guinness com o sorvete mais caro do mundo! Como não poderia ser diferente, o sorvete é feito com folhas comestíveis de ouro .Além das cinco gramas de ouro comestível de 23 quilates, a receita contém 28 tipos de cacau procedentes de 14 países, e custa US$1.000. Aos que querem desembolsar essa grana para tomar um sorvete de chocolate com cobertura dourada é preciso fazer a encomenda com 48 horas de antecedência.
Com afeto,
Beth Landim
   
Comentar
Compartilhe
Poder X Autoridade
02/04/2012 | 11h41

“Ter poder”: esta expressão ecoa forte no coração humano. O poder deslumbra, ofusca e pode facilmente se tornar o centro da identidade de um indivíduo. Seu brilho encanta e seduz, sua proposta é extremamente atraente e para muitos ele é a suprema ambição. Na verdade, o poder é uma das forças mais sedutoras em todos os tempos, e que se expressa nas atitudes de dominar, manipular, subjugar para que tudo possa ser feito segundo o próprio gosto e os próprios interesses. Não há ser humano que não tenha sido tentado pelo canto desta sereia. A cultura do poder suga o “espírito” da vida de uma comunidade, minando sua criatividade e fragilizando seus laços de convivência. Quem tem poder não age, dá ordens, jamais suja as próprias mãos, é impune e não deixa  impressões digitais. Com isso, a vida se torna uma arena de disputas e competições. É o extremo de perversidade e de desvio do coração humano. Uma das mais graves distorções do poder é a cegueira situacional. Ao ocupar função de mando, a pessoa perde a visão do conjunto, sofre atrofia ótica e passa a enxergar tão-somente a sua situação de poder. O poder sobe à cabeça e induz, a quem o exerce.

Manter-se no poder a todo custo preocupa mais a pessoa que fazer bom uso dele. O poder não constrói comunidade, pois a pessoa se cerca de subservientes que cumprem suas ordens, dizem amém às suas idéias ou, ainda que críticos, calam-se coniventes, pois nutrem também suas ambições e não querem ser rifados por quem possui mais poder que eles.    Jesus despoja-se do poder. Ele tem autoridade: “ensinava-lhes com autoridade e não como os escribas”. E a autoridade de Jesus não tem nada a ver com o poder que se impõe ou a liderança que arrasta. O poder nunca é mediação para a libertação do ser humano. A palavra “autoridade” vem do verbo latino “augere”, que significa literalmente aumentar, acrescentar, fazer crescer, dar vigor, robustecer, sustentar, elevar...

É a qualidade, a virtude e a força que serve para apoiar, para alentar, para sustentar, para ajudar as pessoa a serem elas mesmas, para fazê-las crescer, desenvolvendo suas próprias potencialidades. A autoridade é essencialmente amor. Jesus revela sua autoridade ao fazer cada pessoa descobrir, em seu interior, uma força capaz de libertá-la radicalmente. A oferta de vida nova feita por Jesus permite comprovar que há no fundo de cada ser humano uma força criadora e criativa, que não há poder algum que possa destruí-la, nem sequer a morte.

Neste sentido, a autoridade traz a paz, ilumina e faz crescer, ao passo que o poder gera ansiedade, medo e faz o outro se sentir inferior. A autoridade inspira e motiva as outras pessoas a fazer as coisas com boa vontade e ânimo: o poder as obriga, por causa de sua posição de força. Por seu caráter impositivo, o poder deteriora relacionamentos, resvalando-se para o terreno pantanoso da competição, da suspeita, da intriga. A autoridade reconhece a riqueza e a possibilidade do outro. Ela anima, sustenta, desafia e impulsiona aquilo que cada um tem de melhor em seu interior. Os Evangelhos relatam que também os discípulos de Jesus demonstravam apetite pelo poder: discutiam entre si qual deles era o maior, alguns pretendiam ocupar os primeiros lugares. Mas Jesus, que foi tão tolerante com aqueles homens em outras coisas, neste ponto foi taxativo: “aquele dentre vós que quiser ser o maior, seja o vosso servidor, e aquele que quiser se o primeiro dentre vós, seja o servo de todos”.

Que estes últimos dias que antecedem a celebração da Páscoa possam nos levar a reflexões, orações e conversões espirituais de forma mais intensa, nos permitindo a aproximação com Jesus e o nosso crescimento espiritual, fazendo com que estejamos preparados para um recomeço, um renascimento, pois somos o reflexo de nossas atitudes, dos nossos atos, e podemos e devemos sempre repensá-los para que possamos trilhar um caminho que nos leve ao encontro da felicidade, pois ela é feita sempre de pequenos momentos... Uma feliz e boa semana para todos!

Com afeto,

Beth Landim

 

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]