CARROÇA VAZIA ...
30/09/2011 | 20h32

Divido com vocês pequenas histórias que são capazes de nos fazer refletir na nossa caminhada.

Certa manhã, meu pai convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer. Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou: - Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa? Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi: - Estou ouvindo um barulho de carroça. - Isso mesmo, disse meu pai. É uma carroça vazia... Perguntei ao meu pai: - Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos? - Ora, respondeu meu pai. É muito fácil saber que uma carroça está vazia, por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz. Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, inoportuna, interrompendo a conversa de todo mundo, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo:Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz...

É necessário entendermos que temos a responsabilidade de sermos seres com conhecimento, valores, princípios... pois “carroças vazias” trepidam, trepidam, fazem barulho, mas não possuem consistência para o conhecimento profissional, humano e familiar. Isso significa entender que nossa busca por aprender deve ser diária e constante, pois vivemos na era do pensamento complexo, que corresponde à multiplicidade, ao entrelaçamento e a interação contínua da infinidade de sistemas e de fenômenos que compõem o mundo, e para tanto, temos que nos desafiar a todo o momento, buscando sempre a complementaridade das relações e do conhecimento.

Não é possível reduzir a complexidade a explicações simplistas, a regras rígidas, a fórmulas simplificadoras ou a esquemas fechados. Pois não podemos viver na simbologia do “ou” e sim do “e”... O mundo é feito para agregar, completar, preencher, somar e crescer, para que possamos preencher corretamente “nossas carroças”... O que significa que nossa busca deve ser intensa e nossas raízes profundas. Pensando assim, me remeto a história do bambu chinês...

Diz a lenda que os cultivadores do bambu chinês nos contam que depois de plantada a semente deste incrível arbusto, não se vê nada, durante cinco anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, mas, uma maciça e fibrosa estrutura de raiz, que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída. Um escritor americano escreveu: "Muitas coisas na vida pessoal e profissional são iguais ao bambu chinês": você trabalha, investe tempo, esforço, faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento, e, às vezes não vê nada por semanas, meses, ou anos. Mas, se tiver paciência para continuar trabalhando, persistindo e nutrindo, o seu 5º ano chegará e, com ele, virão um crescimento e mudanças que você jamais esperava... O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos projetos, de nossos sonhos... especialmente no nosso trabalho, (que é sempre um grande projeto em nossas vidas). Devemos lembrar do bambu chinês, para não desistirmos facilmente diante das dificuldades que surgirão. Tenhamos sempre dois hábitos: Persistência e Paciência, pois você merece alcançar todos os sonhos!!! É preciso muita fibra para chegar às alturas e, ao mesmo tempo, muita flexibilidade para se curvar ao chão. E então de uma coisa podemos ter certeza: de nada adianta querer apressar as coisas. Tudo vem ao seu tempo, dentro do prazo que lhe foi previsto. Mas a natureza humana não é muito paciente. Temos pressa em tudo! Aí acontecem os atropelos do destino, aquela situação que você mesmo provoca, por pura ansiedade de não aguardar o tempo certo. Mas alguém poderia dizer: - Mas qual é esse tempo certo? Bom, basta observar os sinais. Geralmente quando alguma coisa está para acontecer ou chegar até sua vida, pequenas manifestações do cotidiano, enviarão sinais indicando o caminho certo. Pode ser a palavra de um amigo, um texto lido, uma observação qualquer. Mas com certeza, o sincronismo se encarregará de colocar você no lugar certo, na hora certa, no momento certo, diante da situação ou da pessoa certa! Basta você acreditar que nada acontece por acaso! E talvez seja por isso que você esteja agora lendo essas linhas. Tente observar melhor o que está a sua volta. Com certeza alguns desses sinais já estão por perto, e você nem os notou ainda. Lembre-se que o universo, sempre conspira a seu favor, quando você possui um objetivo claro e uma disponibilidade de crescimento.

Portanto pensemos sempre como está nossa “carroça”? Está vazia? Está com entulhos? Está somente trepidando? Temos colocado amortecedores em nossa “carroça” para nos protegermos dos eventuais “buracos da estrada”?

Você é do tamanho dos seus sonhos, e como diz o ditado “saco vazio não pára em pé” e ...“carroça vazia” vai do nada a lugar nenhum...

Pense nisso!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
ROCK IN RIO
30/09/2011 | 15h25

Um pouquinho de Elton John  e Stevie Wonder no Rock  in Rio ....curta o finalzinho de tarde  ...

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=4gaFN-oBygg&feature=related[/youtube]

 

 

 

 

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=rX6QJeiSEMI[/youtube]

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Teatro Amazonas
29/09/2011 | 16h01

Conhecendo um pouquinho do Teatro Amazonas....

Linda arquitetura....vale a pena conferir as fotos...

                 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
ARQUITETURAS ARROJADAS...
27/09/2011 | 20h04

Vale a pena conferir as fotos até o final....o homem e sua criação ....sinônimo de uma arquitetura de traços comtemporâneos ...

Apreciemos ....

 

           

Com afeto ,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
FOTOS CURIOSAS...
27/09/2011 | 09h23

Fotos curiosas... que fazem o nosso dia-a-dia...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
FELICIDADE E ALEGRIA!!!
23/09/2011 | 21h54

Muitas pessoas, sábios, estudiosos, religiosos e pesquisadores, refletiram sobre o sentido da alegria e da felicidade e já foi dito, por uma grande maioria, que elas são resultados do sentimento de bem estar e da paz interior.

Felicidade e alegria são algumas das palavras mais desejadas por nós seres humanos. Mas, pensando sobre elas, questionei: qual o verdadeiro significado de ambas? Existe alguma diferença entre felicidade e alegria?

Ao pesquisar sobre ambas as palavras e seus significados constatei que Felicidade refere-se a um estado de espírito interno que independe do que acontece à nossa volta, pois podemos ser felizes mesmo quando estamos tristes, pois a tristeza é causada pelo que acontece, enquanto que a felicidade está dentro de nós, pelo fato de estarmos vivos e usufruindo – do jeito que for possível – a vida. A tristeza é provisória e a felicidade é permanente e, certamente, possível para todos nós. Ser feliz é um aprendizado. Para mim, o objetivo mais importante de uma terapia – e também das coisas que escrevo – é ajudar as pessoas a se encontrar com a sua felicidade. Assim, podemos dizer que a diferença entre felicidade e alegria é instrutiva.

Alegria e felicidade são palavras diferentes, pois felicidade é um sentimento ... Já alegria é uma emoção. Felicidade é um sentimento, que não depende do momento, porque vive no interior da alma, que pode ser agitada ou calma!

Alegria é uma emoção momentânea, que sempre é viva e espontânea!

James C. Hunter também comenta sobre a diferença entre alegria e felicidade.

Para ele, a “Felicidade é baseada em acontecimentos (...)

Alegria é um sentimento muito mais profundo, que não depende de circunstâncias externas (...)

Alegria é a satisfação interior, é a convicção de saber que você está verdadeiramente em sintonia com os princípios profundos e permanentes da vida.”

Quando as pessoas falam que estão alegres hoje, pode-se substituir a palavra por “felizes”.

A pseudo-alegria humana atualmente é baseada em conquistas, em ganhos...

Estou feliz porque comprei um novo carro, comprei minha casa própria, estou com saúde...

E as coisas profundas e permanentes?

Temos nos envolvido na correria diária, querendo alcançar os outros, que a nosso ver estão a anos luz de distância, só por realização pessoal e sucesso econômico. Esta correria sem fundamentos, sem significado, nos tem cegado ante as coisas realmente importantes da vida. Vivemos distante de nossos filhos, longe do convívio familiar, da vida em fraternidade. Diante desta realidade que vivemos é preciso parar e refletir, pois a verdadeira alegria emana da busca de viver intensamente a vida e não a superficialidade. É essencial também pensarmos sobre o sentido da palavra “intensamente” neste contexto, pois logo a interpretamos de forma pejorativa, como fazer tudo que temos vontade, viver a liberdade exacerbadamente, sem pensar nas conseqüências. Esse é o grande problema, pensar que a felicidade está no imediatismo, na superficialidade e numa aparente realização instantânea. Certamente esse é o grande engano, pois apesar da felicidade relacionar-se a liberdade, viver a liberdade significa antes de tudo ter responsabilidade; ou seja, fazer o que quero, mas ter a consciência de que minhas ações podem ser exemplos para os demais.

Todos nós queremos ser felizes, mas, sem sentir, buscamos essa felicidade fora de nós mesmos! Muitos pensam encontrá-la no Amor, porém o egoísmo ou medo de sofrer não os deixa amar de verdade! Outros no reconhecimento, mas a má vontade é incompatível com a evolução! Há os que buscam essa felicidade em bens materiais, falsa prosperidade, confundindo ambição com ganância!

Não vivemos sozinhos, somos seres de relação e por isso precisamos estar conectados com os outros, nossa família, amigos, companheiros de trabalho, vizinhos, pois as pessoas que nos cercam nos retratam emocionalmente e revelam como somos psicologicamente. Somos espelhos para os outros e os outros são nossos espelhos. Precisamos quebrar nossos muros do egoísmo e ir ao encontro das pessoas, tornando-nos menos egocêntricas e mais conscientes dos outros, pois a alegria e a felicidade são conseqüências desta doação.

Felicidade é Paz interior! Essa Paz tem que ser conquistada aos     poucos e sempre: cultivando o Amor ao Próximo, tendo a consciência sempre tranqüila de que fazemos o melhor, perdoando-nos pelos erros cometidos, agradecendo o que se tem, respeitando o direito e a individualidade de cada ser humano, procurando fazer o outro feliz, confiando em Deus! Quem vive a fim de prejudicar ou magoar alguém, seja com atos ou palavras, não pode reclamar que a "sorte" não lhe sorri!

Não é bem mais fácil cada um cuidar de sua própria vida, buscando essa Felicidade dentro de si mesmo?

Então, encare a vida positivamente, seja otimista, procure a felicidade interior que ela atrairá a alegria exterior, os grandes segredos do sucesso, alegria e felicidade estão mais próximos do que você imagina. Faça de cada dia, um dia especial para viver. Cada novo dia é uma nova oportunidade de Deus para você. Cada um de nós faz o seu caminho para a felicidade, desejo imensamente que você encontre o seu!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Fotos antigas de Campos
22/09/2011 | 10h21

Sempre é bom relembrar....nossa história,nossas raízes, nossa cidade...

Vale a pena conferir...

             

Com afeto,

Beth Landim

       
Comentar
Compartilhe
PERDOAR... UM SANTO REMÉDIO...
16/09/2011 | 22h36

Nos diz o psicólogo Antônio Roberto Soares que em todos os caminhos de crescimento humano, tanto psicológico quanto espiritual, uma ênfase especial é dada à questão da mágoa. Não só pelo sofrimento que ela produz, mas também pelo transtorno que provoca nos relacionamentos. Qualquer que seja o nome que damos a esse sentimento, seja mágoa, rancor, ressentimento ou vingança, ele se caracteriza pela amargura na alma, uma sensação de injustiça a partir do mal que alguém nos fez.

Além da dor, o componente fundamental da mágoa é a sua permanência. É uma incapacidade de parar de sofrer, mesmo com o passar do tempo. E como é impossível levar nossas vidas sem sermos machucados pelas outras pessoas, de vez em quando, tendo em vista a imperfeição da natureza humana, corremos o risco de acumular feridas e nos tornarmos pessoas amargas, desiludidas e sofredoras. A mágoa é uma forma de guardarmos para depois, coisas que não queremos resolver na hora. Uma das características da vida é que ela só pode ser vivida no presente. O passado e o futuro, apesar de existirem na nossa cabeça, não têm existência real. Seria uma grande tolice imaginarmos que podemos respirar para amanhã, que podemos viver ontem. O natural é que as coisas sejam vividas, mesmo as ruins, no momento em que elas ocorrem.

O sentimento de raiva, que é natural, tem o objetivo de nos ajudar a resolver nossos problemas, incluindo as ofensas, traições ou quaisquer outros atos que as pessoas produzam. Quando somos inibidos na nossa raiva, quando temos medo de expressá-la, ela esfria dentro de cada um de nós e se transforma em mágoa. Mágoa é toda a raiva que ficou para depois. É a raiva dentro da geladeira. É o medo de resolvermos nossos conflitos com outras pessoas no momento em que aparecem.

Guimarães Rosa define, magistralmente, a mágoa no seu livro Grande Sertão Veredas: “Mágoa é lamber frio o que o outro cozinhou quente demais para nós”. A pessoa rancorosa apresenta as seguintes dificuldades: aceitar a imperfeição humana, idealizando uma realidade onde as pessoas nunca falhem com ela; expressar a raiva na colocação clara do seu desagrado diante do outro; viver o momento presente, sendo extremamente apegada ao passado. Por isso, quem guarda mágoa, em geral, é também um saudosista e culposo, características dos que vivem no passado. Uma vez, porém, instalada a mágoa, só nos resta uma saída: o perdão. Se a mágoa nos envenena e machuca, o perdão nos alivia e cura. Pode-se medir a sanidade psicológica de alguém por sua capacidade de perdoar.

O perdão é a ponte que nos faz sair da depressão para a alegria: “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aqueles que nos têm ofendido”. Por que tanta dificuldade em perdoar? Porque há equívocos em torno do perdão que dificultam o exercício dele. Primeiramente há uma crença falsa de que o beneficiário do perdão é a pessoa que nos ofendeu. O perdão é algo bom para quem perdoa. Perdoar é ficar livre da dor causada pelo outro. É ficar livre daqueles que nos magoaram. É um presente dado a mim mesmo. Em segundo lugar, há uma idéia igualmente falsa de que, ao perdoarmos, devemos esquecer o mal que nos fizeram e voltar a ter com a pessoa o mesmo relacionamento de antes. Perdoar não é esquecer. É apenas parar de sofrer.

“Devemos, porém, aprender com a experiência e podemos, a partir daí, escolher qual relacionamento teremos com o ofensor”.

Perdoar não significa fazer de conta que nada aconteceu. Pelo contrário, temos de levar em conta a experiência, revendo a relação, e por isso mesmo, nos livrando do sofrimento. Perdoar os outros é o presente que oferecemos a nós mesmos. Chega de carregar na alma as ofensas e os que nos ofenderam. Melhor do que perdoar é não se ofender.

E então, quando lavamos nossa alma com o perdão, deixamos também de ser vítima dos problemas e nos tornamos autores da própria história. É saber atravessar desertos fora de si, mas também ser capaz de encontrar um oásis no interior de nossa alma. Quando aprendemos a perdoar, passamos a ter mais segurança e maturidade para receber uma crítica, mesmo que injusta, pois o perdão nos deixa inteiros, nos renova, nos deixa LIVRE...

E a liberdade vem junto com a felicidade...

"És precária e veloz, felicidade. Custa a vir, e, quando vens, não se demoras. Foste tu que ensinaste aos homens que havia tempo, e, para te medir, se inventaram as horas..."

Cecília Meireles expressou tão bem, em seus versos, o que tanto buscamos... a felicidade.

E para saborear a tão sonhada felicidade, precisamos aprender a perdoar, a não olhar pelo retrovisor, a não guardar mágoas, aprender inclusive a nos perdoar, para depois compreendermos o outro...

Livre-se então do sentimento de culpa, olhe-se por inteiro e terá a inteireza para olhar, perdoar e ser feliz...

Uma boa semana para todos...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
STEVIE WONDER... PARA VOCÊ...
15/09/2011 | 16h10

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=8r92A7ndnZk[/youtube]

Stevie Wonder com participação especial de Keith John e Dejah Gomez para aquecer o final de semana que se aproxima... sinta a delícia do toque da gaita...

Quem não se lembra dessas músicas... então curta um pouquinho o talento de Stevie que tem a cegueira desde pequeno mas enxerga o mundo de forma MARAVILHOSA... tocando nossos corações de forma indelével...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Mulheres Fortes
14/09/2011 | 09h24

Forte, sem perder a leveza do ser , do acreditar que vale a pena lutar ....

Mulher ...muitas vezes incompreendida...outras tantas sempre compreensível....

As fotos dizem tudo....

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
PELUQUERIA...
12/09/2011 | 17h13

Para começarmos bem a semana..... com muito humor.... porque a vida é bela!!!!

É preciso sempre ter "força na peruca".... muito alto astral para....

sairmos do zero a zero ...

Deixe-se levar pela brincadeira ....

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
DITADURAS E JABUTICABAS...
09/09/2011 | 21h47

Muito se fala em democracia e, por vivermos em uma, isso se torna algo muito comum e natural. Mas essa palavra é simplesmente ignorada. Hoje, há pelo menos 40 ditadores no mundo e quase 2 bilhões de pessoas vivendo sob esse regime. O historiador Guilherme Almeida ressalta que praticamente todas as ditaduras têm aspectos em comum como falta de liberdade de expressão, controle das mídias e das fronteiras, personalização do poder político, militarização do país, polícia para controle social, entre outros.

O mundo vem acompanhando a ditadura na Líbia. As recentes conquistas dos rebeldes contra Mamar Kadafi, mostram que o regime do ditador está em seus últimos momentos, após 42 anos no poder. Em 23 de agosto, grupos rebeldes invadiram o complexo onde fica a residência de Kadafi, dois dias depois de terem tomado a capital do país, Trípoli.

O custo de tanto despotismo é muito alto: milhões de vidas roubadas, desemprego, pobreza e ações de tirania que chocam a todos. A Freedom House e Human Rights Watch fez uma edição especial, publicando os piores tiranos do mundo, intitulada “O pior do pior”. Confira alguns dos piores tiranos do mundo: Kim Jong II na Coréia do Norte, Robert Mugabe em Zimbábue, Than Shwe em Burma, Omar Hassan Al-Bashir no Sudão, Gurbanguly Berdimuhamedov em Turcomenistão, Islam Karimov no Uzbequistão,  Mahmoud Ahmadinejad no Irã, Meles Zenawi na Etiópia, Hu Jintao na China, Bashar al-Assad  na Síria, Raúl Castro em Cuba e Kim Jong II na Coréia do Norte, entre outros.

Mas não são apenas estas ditaduras que atormentam o mundo. Vivemos sob o bombardeio da ditadura da beleza, da magreza, do sucesso profissional, do poder do dinheiro, da mídia, etc... Todas estas, sem exceção, política ou não, tiram o valor mais precioso do ser humano: a liberdade. A liberdade de ir e vir, a liberdade de pensar diferente e ser diferente, a liberdade de discordar... Sentimos-nos muitas vezes, como se estivéssemos com um esparadrapo na boca e nas mãos: Impotentes... Ser diferente, pensar diferente, não valorizar estes tipos de beleza, focar sua vida em outros valores, discutir idéias e ideais e não pessoas, nos faz pagar um preço muito alto. Muitas vezes, por vivermos em uma democracia, não damos valor a tudo que ela nos proporciona, e esquecemos até de lutar, de discordar, de sermos nós mesmos, por sermos displicentes com a nossa liberdade.

Lembro-me então das sábias palavras de Rubem Alves que fala do tempo e das jabuticabas.

“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquela menina que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ela chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço. Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte. Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos. Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos para reverter a miséria do mundo. Não quero que me convidem para eventos de um fim de semana com a proposta de abalar o milênio. Já não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos e regimentos internos. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões, de 'confrontação', onde 'tiramos fatos a limpo'. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral. Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: 'as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa... Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos lizados, e deseja tão somente andar ao lado do que é justo. Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, desfrutar desse amor absolutamente sem fraudes, nunca será perda de tempo.' O essencial faz a vida valer a pena.”

Que este 7 de setembro que passou, seja motivo de reflexão para todos nós. Que possamos nos perguntar em qual destas ditaduras cada um de nós vive... Que busquemos incessantemente a liberdade não nos esquecendo da essência, da consistência de valores em nossas vidas... tanto mais felizes seremos se tivermos muitas rugas no rosto, como marcas de trabalho, dedicação, de amor à família, tão em falta hoje em dia... do que rostos belíssimos onde não percebemos nenhuma expressão...  tanto mais felizes seremos, se pudermos ser nós mesmos, sem perder o amor à nossa bandeira, a nossa pátria, à nossa liberdade.

E como diz a música: "Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós..."

E você... o que fez com a sua bacia de jabuticabas? Aprendeu a saboreá-las até o caroço?

Pense nisso...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
JABUTICABAS...
08/09/2011 | 22h22

Nunca é demais relembrar Rubem Alves...

... então se encante com

O TEMPO E AS JABUTICABAS

"Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquela menina que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ela chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos. Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos para reverter a miséria do mundo. Não quero que me convidem para eventos de um fim de semana com a proposta de abalar o milênio.

Já não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos e regimentos internos. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de 'confrontação', onde 'tiramos fatos a limpo'. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.

Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: 'as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja tão somente andar ao lado do que é justo.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, desfrutar desse amor absolutamente sem fraudes, nunca será perda de tempo. O essencial faz a vida valer a pena!"

E você ...o que fez com sua bacia de jabuticabas?

Aprendeu a saboreá-las até o caroço?

Pense nisso...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Casas pintadas na Bavária
08/09/2011 | 11h44

Para apreciarmos um pouco de arte...estas casa são pintadas por artistas da própria cidade !

 

Com afeto,

BethLandim

Comentar
Compartilhe
CORRIDA RÚSTICA CENSA E ISECENSA...
05/09/2011 | 22h23

Domingo maravilhoso para a corrida rústica do CENSA e  ISE CENSA: sol de primavera, participantes altamente preparados, organização de "primeira" e muiiiiiiiiita animação e bom humor... Parabenizo José Renato pela criação da  bela charge, publicada no Jornal Folha da Manhã .

Que venham outras corridas, pois se exercitar faz um bem enorme para o corpo e para a mente.... Então vamos nos mexer !!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
A arte dos relacionamentos duradouros...
03/09/2011 | 18h33

Muitos de nós nos perguntamos qual é a receita para construir relacionamentos duradouros. As experiências nos mostram que não há uma receita pronta a ser seguida. Mas então, qual é o segredo? Outro dia encontrei um texto belíssimo que nos revela esse segredo e gostaria muito de partilhar com vocês meus leitores...

Conta uma lenda dos índios sioux que, certa vez, Touro Bravo e Nuvem Azul chegaram de mãos dadas à tenda do velho feiticeiro da tribo e pediram:

- Nós nos amamos e vamos nos casar. Mas nos amamos tanto que queremos um conselho que nos garanta ficar sempre juntos, que nos assegure estar um ao lado do outro até a morte. Há algo que possamos fazer?

E o velho Pajé emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:

- Há o que possa ser feito, ainda que sejam tarefas muito difíceis.

Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte da aldeia apenas com uma rede, caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui, com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono; lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias. Somente com uma rede deverás apanhá-la, trazendo-a para mim viva!

Os jovens se abraçaram com ternura e logo partiram para cumprir a missão. No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves. O velho tirou-as dos sacos e constatou que eram verdadeiramente formosos exemplares dos animais que ele tinha pedido.

- E agora, o que faremos? Os jovens perguntaram.

- Peguem as aves e amarrem uma à outra pelos pés com essas fitas de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas para que voem livres. Eles fizeram o que lhes foi ordenado e soltaram os pássaros. A águia e o falcão tentaram voar, mas conseguiram apenas saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela impossibilidade do vôo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando-se até se machucar.

Então o velho disse:

- Jamais esqueçam do que estão vendo, esse é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão. Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar um ao outro. Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados. Libere a pessoa que você ama para que ela possa voar com as próprias asas. Essa é uma verdade no casamento e também nas relações familiares, de amizade e profissionais. Respeite o direito das pessoas de voar rumo ao sonho delas.

A lição principal é saber que somente livres as pessoas são capazes de amar.

Assim podemos constatar que não há uma fórmula especial para relacionamentos duradouros, o que é essencial é transformar as pequenas coisas cotidianas em grandes coisas.

É jamais se achar muito velho para dar-se as mãos.

É lembrar de dizer "te amo", pelo menos uma vez ao dia.

É nunca ir dormir zangado. É ter valores e objetivos comuns.

É estar unidos ao enfrentar o mundo.

É formar um círculo de amor que una toda a família.

É proferir elogios e ter capacidade para perdoar e esquecer.

É proporcionar uma atmosfera onde cada qual possa crescer na busca recíproca do bem e do belo.

É não só casar-se com a pessoa certa, mas ser o companheiro perfeito.

E para ser o companheiro perfeito é preciso ter bom humor e otimismo.

Ser natural e saber agir com tato.

É saber escutar com atenção, sem interromper a cada instante.

É mostrar admiração e confiança, interessando-se pelos problemas e atividades do outro.

Perguntar o que o atormenta, o que o deixa feliz, por que está aborrecido.

É ser discreto, sabendo o momento de deixar o companheiro a sós para que coloque em ordem seus pensamentos.

É distribuir carinho e compreensão, combinando amor e poesia, sem esquecer galanteios e cortesia.

É ter sabedoria para repetir os momentos do namoro.

Aqueles momentos mágicos em que a orquestra do mundo parecia tocar somente para os dois.

É ser o apoio diante dos demais. É ter cuidado no linguajar, é ser firme, leal.

É ter atenção além do trivial e conseguir descobrir quando um se tiver esmerado na apresentação para o outro.

É saber dar atenção para a família do outro, pois, ao se unir o casal, as duas famílias formam uma unidade.

É cultivar o desejo constante de superação.

É responder dignamente e de forma justa por todos os atos.

É ser grato por tudo o que um significa na vida do outro.

O amor real, por manter as suas raízes no equilíbrio, vai se firmando dia a dia, através da convivência estreita.

O amor, nascido de uma vivência progressiva e madura, não tende a acabar, mas amplia-se, uma vez que os envolvidos passam a conhecer vícios e virtudes, manias e costumes de um e de outro.

O equilíbrio do amor promove a prática da justiça e da bondade, da cooperação e do senso de dever, da afetividade e advertência amadurecida. O segredo dos relacionamentos está em regá-lo todos os dias, com liberdade ...

Quem é livre é atencioso, sabe  cuidar sem sufocar ....

Pense nisso!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
FABIANA É OURO!!!
02/09/2011 | 17h08

A disciplina ,a técnica ,a perseverança e a garra de Fabiana , traduziu-se na medalha de ouro,que tão merecidamente  recebeu !

Sua aparência franzina , meiga em nada traduz seu espírito de luta ,de esportista que  ultrapassa limites!!Quantas Fabianas  conhecemos ?

Esta medalha de ouro, é nossa !!!Representa nossas lutas,nossos saltos,nossas quedas....e novamente a saltar e a cair....sem nunca desistir de levantar e tentar e tentar  e tentar....quantas vezes for preciso...

Fabiana  é recordista brasileira e sul americana do salto com vara (4,85 m). O recorde sul-americano foi quebrado em San Fernando em 4 de junho de 2010, durante a disputa do Campeonato Ibero-Americano. Fabiana Murer também possui o recorde sul-americano indoor (pistas cobertas), com a marca de 4,82 m, obtidos no Grand Prix Indoor de Birmingham, na Inglaterra, em 20 de fevereiro de 2010, superando a campeã mundial Anna Rogowska.

No Campeonato Mundial de Atletismo de 2011, Fabiana Murer realizou feito histórico ao ser campeã, derrotando a recordista mundial e bicampeã olímpica Yelena Isinbayeva, a campeã mundial Anna Rogowska e toda a elite do esporte presente, igualando o recorde sul-americano com 4,85m. Essa foi à primeira medalha de ouro do Brasil em Campeonatos Mundiais da IAAF.

Parabéns Fabiana, você faz história no esporte de nosso país!!

Que venham mais Fabianas...que o esporte em nosso país  seja realmente levado a sério e que estas medalhas não sejam isoladas...

Que nossa bandeira, tão lindamente erguida por Fabiana, seja motivo de orgulho ,de disciplina,honestidade e justiça !!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]