PÍLULAS DA GENTILEZA...
30/07/2011 | 16h59

A violência e a intolerância têm dominado o mundo. Observe como elas estão ao seu redor; nos noticiários da televisão, nas páginas dos jornais e das revistas, nas conversas em rodas de amigos.

Impotentes que nos sentimos diante de sua escalada, recorremos às leis – contratos firmados entre os homens para regular a convivência em sociedade. Uns passam a defender a pena de morte, um maior rigor na aplicação das normas, a antecipação da maioridade penal, etc. Buscamos proteção e sequer percebemos que pouco contribuímos para alcançá-la.

O efeito estufa ganha notoriedade e o aquecimento global deixa de ser retórica de cientistas para mostrar sua face real. Estamos comprometendo nossa sustentabilidade e as gerações futuras.

Os males que nos afligem decorrem de nossa natureza individualista. Queremos sempre mais. Mais posses, mais bens, mais exposição. Mais coisas quantificáveis, palpáveis, que possam ornamentar uma parede ou serem vistas sobre um móvel de mármore. E, em contrapartida, temos menos carinho, companhia, afeto. Beijamos pouco e abraçamos menos ainda.

Todo jovem, em algum momento de sua vida, nutre a utopia de construir uma sociedade mais justa, onde as diferenças socioeconômicas sejam abrandadas. Ele sabe de sua força e da importância de suas ações para obter esse feito. Mas a idade adulta nos visita e passamos a acreditar que a humanidade não pode ser salva e que uma atitude pontual é suficiente para surtir efeito.

Aqui reside a grande quebra de paradigma. São as pequenas ações individuais, tomadas coletiva e sucessivamente, a gênese da transformação. Lembro-me de um provérbio chinês que diz: Antes de iniciares a tarefa de mudar o mundo, dá três voltas na tua própria casa.

Este processo contínuo e envolvente é chamado de Espiral da Ética. A imagem da espiral remete a algo flexível e em constante movimento ascendente. E a ética invoca aos preceitos morais que habitam com naturalidade nosso íntimo.

Alimentamos esta Espiral da Ética através de nossos comportamentos e atitudes. Poderíamos desfilar aqui muitos exemplos, mas você poderá fazer sua própria lista e começar a colocá-la em prática imediatamente. Cada uma destas ações é chamada de ‘pílula de gentileza’.

Trata-se de pequenas drágeas encapsuladas na mente e sorvidas pelo coração. O princípio ativo é dado pelo amor, com elevada concentração de generosidade e benevolência. A posologia recomenda administrar uma autêntica overdose diária. Os efeitos colaterais são variados e os estudos a este respeito ainda não foram concluídos. Sabe-se apenas que a curto prazo foram observados a ocorrência de brilho no olhar, redução da angústia e da ansiedade, surtos freqüentes de entusiasmo e alegria. E no longo prazo, a expectativa de um lugar melhor para se viver.

O Poder da Gentileza nos torna conscientes e nos faz agir em direção a práticas mais nobres e menos superficiais. Você encontrará sua essência, a paz e a calma que tanto merece. Ao fazer isso por você, estará fazendo por todos nós.

Nunca vi nem nunca ouvi dizer, em toda minha vida, sobre alguém que não gostasse de ser tratado com gentileza. Também nunca soube de alguém que tenha se ofendido ao ser considerado gentil. Sendo assim, creio que o assunto aqui abordado seja de interesse universal: o desejo amplo e irrestrito de ser tratado com consideração, com respeito e – por que não dizer? – com carinho.

Entretanto, aí é que está a questão: em detrimento do que é essencial, passamos a investir tempo e energia demais em comportamentos que consideramos, equivocadamente, mais importantes, mais valiosos e com status mais elevado.

Blaise Pascal (1623-1662), gênio da matemática, inventor da máquina de calcular, filósofo e místico nos diz: “... O espírito de gentileza nunca ganhou centralidade, por isso somos tão vazios e violentos. Hoje ele é urgente. Ou seremos gentis e cuidantes ou nos entredevoraremos.”

Tudo isso se deve, muito provavelmente, ao fato de que, dia após dia, temos tentado garantir nosso lugar ao sol, como se lutássemos uns contra os outros, correndo o risco de perder prestígio, bens materiais, posição social, entre outros valores que, em última instância, não têm nos conduzido ao lugar em que realmente gostaríamos de estar.

Embora insistamos em acreditar que a essência de nossa busca deva ser por “coisas” (ainda que para impressionar ou agradar quem amamos), no fundo, no fundo, nada mais desejamos – genuinamente – além de felicidade, prazer e amor – o que, definitivamente, não está nas “coisas” e sim na relação que mantemos com as pessoas. É isso, e somente isso, que pode realmente nos fazer sentir satisfeitos, preenchidos e em paz!

Com afeto,

Beth Landim

 

Comentar
Compartilhe
AMIGO DA ONÇA...
28/07/2011 | 17h04

Amigo da onça, do leão, do urso, do tigre ... enfim... o convívio com os animais é sempre sincero  e carinhoso... Os animais fazem o que tem que fazer... são autênticos nas relações, não esperam nada em troca... Estive no Zoológico de Lujan, Argentina,  e passei um dia incrível, pois os''leões'' de lá não mordem como os de cá ...

Trata-se de um zoo  único e inovador!

É interessante percebermos como o homem e também os animais são produtos do meio. Estes animais  são criados desde que nascem com cachorros "vira -latas"  e acostumados com a presença constante de pessoas: seus cuidadores e os visitantes (que entram dentro das jaulas).

Por analogia, percebemos claramente que  a lei é de ação e reação... Recebemos o que damos... SEMPRE!!!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
O BAILE DA VIDA.....
25/07/2011 | 21h51

Vale a pena ver as fotos... A dança é uma das linguagems mais  expressivas ....

Dançar é poder extravasar,usar e abusar da sensualidade do corpo ... é falar através do movimento  que nos embala e envolve nossos pensamentos e desejos. Particulamente gosto de outros ritmos e danças, mas o ballet é arte pura ...

Apreciemos um pouco ...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
FELICIDADE E ALEGRIA!!!
23/07/2011 | 22h17

Muitas pessoas, sábios, estudiosos, religiosos e pesquisadores, refletiram sobre o sentido da alegria e da felicidade e já foi dito, por uma grande maioria, que elas são resultados do sentimento de bem estar e da paz interior.

Felicidade e alegria são algumas das palavras mais desejadas por nós seres humanos. Mas, pensando sobre elas, questionei: qual o verdadeiro significado de ambas? Existe alguma diferença entre felicidade e alegria?

Ao pesquisar sobre ambas as palavras e seus significados constatei que Felicidade refere-se a um estado de espírito interno que independe do que acontece à nossa volta, pois podemos ser felizes mesmo quando estamos tristes, pois a tristeza é causada pelo que acontece, enquanto que a felicidade está dentro de nós, pelo fato de estarmos vivos e usufruindo – do jeito que for possível – a vida. A tristeza é provisória e a felicidade é permanente e, certamente, possível para todos nós. Ser feliz é um aprendizado. Para mim, o objetivo mais importante de uma terapia – e também das coisas que escrevo – é ajudar as pessoas a se encontrar com a sua felicidade. Assim, podemos dizer que a diferença entre felicidade e alegria é instrutiva.

Alegria e felicidade são palavras diferentes, pois felicidade é um sentimento... Já alegria é uma emoção. Felicidade é um sentimento, que não depende do momento, porque vive no interior da alma, que pode ser agitada ou calma! Alegria é uma emoção momentânea, que sempre é viva e espontânea!

James C. Hunter também comenta sobre a diferença entre alegria e felicidade. Para ele, a “Felicidade é baseada em acontecimentos (...) Alegria é um sentimento muito mais profundo, que não depende de circunstâncias externas (...) Alegria é a satisfação interior, é a convicção de saber que você está verdadeiramente em sintonia com os princípios profundos e permanentes da vida.” Quando as pessoas falam que estão alegres hoje, pode-se substituir a palavra por “felizes”. A pseudo-alegria humana atualmente é baseada em conquistas, em ganhos... “Estou feliz porque comprei um novo carro, comprei minha casa própria, estou com saúde...” E as coisas profundas e permanentes?

Temos nos envolvido na correria diária, querendo alcançar os outros, que a nosso ver estão a anos luz de distância, só por realização pessoal e sucesso econômico. Esta correria sem fundamentos, sem significado, nos tem cegado ante as coisas realmente importantes da vida. Vivemos distante de nossos filhos, longe do convívio familiar, da vida em fraternidade. Diante desta realidade que vivemos é preciso parar e refletir, pois a verdadeira alegria emana da busca de viver intensamente a vida e não a superficialidade. É essencial também pensarmos sobre o sentido da palavra “intensamente” neste contexto, pois logo a interpretamos de forma pejorativa, como fazer tudo que temos vontade, viver a liberdade exacerbadamente, sem pensar nas conseqüências. Esse é o grande problema, pensar que a felicidade está no imediatismo, na superficialidade e numa aparente realização instantânea. Certamente esse é o grande engano, pois apesar da felicidade relacionar-se a liberdade, viver a liberdade significa antes de tudo ter responsabilidade; ou seja, fazer o que quero, mas ter a consciência de que minhas ações podem ser exemplos para os demais.

Todos nós queremos ser felizes, mas, sem sentir, buscamos essa felicidade fora de nós mesmos! Muitos pensam encontrá-la no Amor, porém o egoísmo ou medo de sofrer não os deixa amar de verdade! Outros no reconhecimento, mas a má vontade é incompatível com a evolução! Há os que buscam essa felicidade em bens materiais, confundindo ambição com ganância!

Não vivemos sozinhos, somos seres de relação e por isso precisamos estar conectados com os outros, nossa família, amigos, companheiros de trabalho, vizinhos, pois as pessoas que nos cercam nos retratam emocionalmente e revelam como somos psicologicamente. Somos espelhos para os outros e os outros são nossos espelhos. Precisamos quebrar nossos muros do egoísmo e ir ao encontro das pessoas, tornando-nos menos egocêntricas e mais conscientes dos outros, pois a alegria e a felicidade são conseqüências desta doação.

Felicidade é Paz interior! Essa Paz tem que ser conquistada aos poucos e sempre: cultivando o Amor ao Próximo, tendo a consciência sempre tranqüila de que fazemos o melhor, perdoando-nos pelos erros cometidos, agradecendo o que se tem, respeitando o direito e a individualidade de cada ser humano, procurando fazer o outro feliz, confiando em Deus! Quem vive a fim de prejudicar ou magoar alguém, seja com atos ou palavras, não pode reclamar que a "sorte" não lhe sorri! Não é bem mais fácil cada um cuidar de sua própria vida, buscando essa Felicidade dentro de si mesmo?

Então, encare a vida positivamente, seja otimista, procure a felicidade interior que ela atrairá a alegria exterior, os grandes segredos do sucesso, alegria e felicidade estão mais próximos do que você imagina. Faça de cada dia, um dia especial para viver. Cada novo dia é uma nova oportunidade de Deus para você. Fale expressões positivas desde a manhã, quando acordar, até à hora em que você for dormir.

E seja feliz!!!

Com muita felicidade, alegria e afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
PAZ...PARA VOCÊ...
22/07/2011 | 10h37

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=FDg38OhjfdI[/youtube]A vocês amigos que quero muito bem...

desejo com muita intensidade a PAZ neste dia...

e aproveito para agradecer as lindas mensagens sobre o Dia do Amigo!

TE DESEJO A...

PAZ para agradecer o dia que começa,

PAZ para agradecer a família que temos,

PAZ para agradecer os amigos que amamos, pois se constituem em uma família que acolhemos em nosso coração,

PAZ para agradecer o nosso labor diário, a empresa que nos acolhe para o dia de trabalho,

PAZ para acolher os dissabores que porventura vierem nos visitar neste dia,

PAZ para nos sentirmos grandes diante de tantos problemas que nos tornam pequenos,

PAZ para olhar o mundo com os olhos da ESPERANÇA,

PAZ para lutar por um mundo melhor, onde possamos nos sentir força ativa nesta construção!

Te convido a deixar a sua mensagem sobre a PAZ, abra o seu coração sensível e grande e permita-se falar sobre tudo de bom que você tem bem dentro de você!

Com afeto e muitaaaaa paz!

Beth Landim

 
Comentar
Compartilhe
AMIGOS PARA SEMPRE...
20/07/2011 | 21h11

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=E2TJ8ufdqdw&feature=fvsr[/youtube]

Aos amigos o meu abraço especial pelo nosso dia!

Que ao som de "Amigos para Sempre" vocês possam sentir o calor da amizade... pois a música nos inspira e nos leva a muitos lugares... nos faz recordar eternos momentos...

Então ligue o som e sinta a energia que vem da verdadeira amizade...

Aproveite o momento para dizer a todos os seus amigos, de alguma forma, a intensidade do seu amor por eles...

O Dia do Amigo, celebrado hoje, 20 de julho,  nasceu em  Buenos Aires, na Argentina.

Enrique Ernesto Febbraro professor de psicologia, filosofia e história, além de músico e odontólogo foi o criador do Dia Internacional do amigo. Ele se inspirou no lançamento do Apolo XI em 20 de julho de 1969, ao constatar que uma vez na história todos os cidadãos deste mundo estariam unidos.

Enviou, então, mil cartas a personalidades de cem países e recebeu setecentas respostas.

Febbraro considerava a chegada do homem a lua "um feito que demonstra que se o homem se unir com seus semelhantes, não há objetivos impossíveis".

Aos poucos a data foi sendo adotada em outros países e hoje, em quase todo o mundo, o dia 20 de julho é o Dia do Amigo.

É quando as pessoas trocam presentes e mensagens, se abraçam e declaram sua amizade umas as outras.

No Brasil o dia do amigo é comemorado popularmente em  18 de abril, porém o nosso país também vem adotando a data internacional, 20 de julho!

Com afeto, flores e amizade...

Beth Landim


Comentar
Compartilhe
ABRAÇO...
18/07/2011 | 20h46

Precisamos de quatro abraços por dia para sobreviver. Precisamos de oito abraços por dia para nos manter. Precisamos de doze abraços por dia para crescer. Virginia Satir

Abraçar é saudável.

Ajuda o sistema imunológico, mantém você mais saudável, cura a depressão, reduz o estresse, induz o sono, é revigorante, rejuvenesce, não tem efeitos colaterais indesejáveis, e é nada menos do que um remédio milagroso.

Abraçar é totalmente natural.

É orgânico, naturalmente doce, não contém aditivos químicos, não contém conservantes, não contém ingredientes artificiais e é cem por cento integral.

Abraçar é praticamente perfeito. Não tem partes móveis, não tem baterias que acabam, não necessita de check-ups periódicos, requer baixo consumo de energia, produz muita energia, é à prova de inflação, não engorda, não exige prestações mensais, não exige seguro, é à prova de roubo, não tributável, não poluente e, é claro, completamente retornável.

Eu, particularmente, adooooooooooorooooooo um abraço....

Pois não sei viver sem afeto!

Acho o abraço caloroso, protetor, mas o melhor é quando mata a saudade ...

Deixo meu abraço pra você ...

Com calor e afeto...

Recebeu aí?

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
ESCUTE SUA MÚSICA INTERIOR...
16/07/2011 | 19h07

Algumas das coisas que me encantam : música, o sertão e cavalos...  então, role o post ouvindo a música...  e deixe o pensamento voar...

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=HhS7qixxIh0[/youtube]

Você já se flagrou escutando uma melodia espontânea, sem começo, nem fim, entoando em seu interior? Se isso já aconteceu com você, lembre-se: este é um sinal de que você está em paz consigo mesmo, e, portanto, com o mundo a sua volta!

Por vezes, podemos estar aparentemente calmos, sentados frente à TV, mas, internamente, nossa mente não soa bem: escutamos sons, palavras soltas e pensamentos desconexos que revelam a inquietude de nosso mundo interior.

No entanto, quando nossa mente está descansada, calma e aberta, podemos escutar melodias enviadas por nós mesmos. Todos nós somos compositores de nosso mundo interior!

Como um eco de nossa alma, escutar a música interior é uma das formas mais íntimas de sentirmos a vibração da própria vida. O tom, o ritmo e a cadência desta desconhecida melodia, nos revelam mensagens de nosso corpo e de nossas emoções: expressões de sentimentos profundos que estão além das palavras.

Como nos faz bem escutá-las!

A escuta da melodia interior purifica nossos pensamentos negativos e gera bem-estar. Finalmente relaxamos: não temos mais a necessidade seguir os impulsos da mente crítica, que nos impede de sentir e intuir soluções criativas. A música estimula o hemisfério cerebral direito!

Enquanto o hemisfério cerebral esquerdo está ligado à experiência humana da racionalidade -  uma função própria da energia masculina, o direito refere-se ao subjetivo, afetivo, imaginário e intuitivo - funções da energia feminina.

Para ativar a mente sensorial que nos aproxima do mundo interior, precisamos aquietar a mente racional, viciada em avaliar e julgar tudo que ouve e vê.

Quantas vezes nos pegamos julgando atitudes como se fossemos árbitros. Estamos tão viciados nos estímulos do mundo exterior que, na maioria das vezes, desconhecemos as melodias de nosso mundo interior. Raramente paramos para escutá-las.

Infelizmente, uma das grandes perdas em nossa evolução humana tem sido justamente a queda de nossa sensibilidade: estamos mais toscos, mais grosseiros, menos seletivos. Muitas vezes, a música está presente e nem nos damos conta de que há uma música sendo tocada.

Uma das razões pelas quais os sons da natureza nos fazem bem é que eles simplesmente não ultrapassam o limite tolerado pelo ser humano, o nosso limite interior! Os sons dos pássaros,  da água, do vento batendo nas folhas são naturalmente regeneradores!

Por isso é que a simplicidade e a musicalidade do sertão nos fazem tão bem!

Sentir o cheiro da terra, o canto dos pássaros, barulho da água corrente, o vento que acaricia as plantas, enfim, a simplicidade da vida que se forma, tão bela por ser SIMPLES!

Sinto falta da sinceridade da alma do sertão, da fé daqueles que acreditam na terra, na simplicidade das respostas, em Deus que tudo vê e provê!

É no cotidiano simples de um ambiente rural, que podemos observar grandes lições da natureza: a força da semente, que apesar de pequena, rompe a terra e torna-se broto... a paciência das flores que esperam a estação certa para expandir sua beleza... o ciclo da lagarta que rasteja o tempo necessário para se fortalecer e, mais tarde, alçar vôo...a acidez do limão, que bruto torna-se intragável, mas, acrescido do açúcar na quantidade certa, transforma-se em gostosa limonada... a inteligente arquitetura do joão-de-barro que observa atentamente a posição do vento e da chuva, antes de construir seu ninho...

Remeto-me a música de Victor e Leo:

“Casa simplesinha, rede pra dormir, de noite um show no céu deito pra assistir. De volta pra casa, queima a lenha no fogão e junto ao som da mata vou eu e um violão. Trabalho cantando a terra é a inspiração Deus eu no sertão”.

Desejo a todos uma semana tranqüila e rica em aprendizado.

Que belas canções possam ecoar em seu interior!

Com afeto,

Beth Landim

 
Comentar
Compartilhe
DOUG LANDIS... IMAGENS INCRÍVEIS...
13/07/2011 | 22h14

Um grave acidente na prática de wrestling (luta, arte marcial) lesou a coluna, DOUG LANDIS perdeu os movimentos principais de braços e pernas. Foi pela iniciativa do irmão, triste por vê-lo cair em forte depressão, que Doug começou a desenhar e retomar o gosto pela vida. Ele pode ter perdido muito de sua liberdade física, mas conseguiu libertar seu espírito.

Ele é categórico ao afirmar: “Encontrei um talento em mim, que me leva a crer que todo mundo tenha talento. Se eu posso fazer de alguma maneira, todos podem encontrar a sua própria maneira de fazer. Encontrar seu talento ajuda a ter esperança e a atravessar melhor a vida”. Após recente exposição na Bélgica, onde seu trabalho recebeu resposta extraordinária, muitas oportunidades surgiram. Doug tem se especializado cada vez mais na anatomia de animais, principalmente os situados em via de extinção. Muitas vezes arranjamos desculpas para não fazer as coisas devido às dificuldades, mas, quando há vontade de fazer, sempre há uma maneira de se conseguir.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
ANIVERSÁRIO DE CASAMENTO!
12/07/2011 | 14h10

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=ekTQfCN-hhI[/youtube]

 Para rir um pouquinho...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
A BORDADEIRA DE FERRO!!!
11/07/2011 | 16h52

De uma delicadeza sem igual ....até o ferro se curvou a arte de Cal  Lane ...Veja até o fim, vale a pena ...Na dureza da vida ,bordemos  as rendas,pois tudo pode ser mudado, até o ferro ...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
FELIZ POR NADA...
09/07/2011 | 18h56

Divido com vocês este texto sensível  de Martha Medeiros... que nos mostra que a felicidade está mais perto de nós do que imaginamos... Vamos nos despir das dificuldades que sempre circulam as nossas mentes, buscarmos uma sintonia com o universo , nos voltarmos para o nosso interior tão rico, e nos deixar levar pela leitura inteligente que nos alimenta a alma!

“Geralmente, quando uma pessoa exclama: “Estou tão feliz!”é porque engatou um novo amor, conseguiu uma promoção, ganhou uma bolsa de estudos, perdeu os quilos que precisava, ou algo do tipo. Há sempre um por que. Eu costumo torcer para que essa felicidade dure um bom tempo, mas sei que essas novidades envelhecem e que não é seguro se sentir feliz apenas por atingimento de metas. Muito melhor é ser feliz por nada. Digamos: feliz porque ainda temos longos oito meses para fazer desse um ano memorável. Feliz por estar com as dívidas pagas. Feliz porque se achou bonita. Feliz porque existe uma perspectiva de uma viagem daqui a alguns meses. Feliz porque você não magoou ninguém hoje. Feliz porque daqui a pouco será hora de dormir e não há melhor lugar no mundo do que a sua cama. Esquece. Mesmo sendo motivos prosaicos, isso ainda é ser feliz por muito. Feliz por nada, nada mesmo? Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. Faça isso, faça aquilo. A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?"

Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando realizado, também. Estando triste, felicíssimo igual.

Porque felicidade é calma. Consciência. Felicidade é ter talento para aturar, é divertir-se com o imprevisto, transformar as zebras em piadas, assombrar-se positivamente consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo? Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo. Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem. Eu levo a vida assim... estou sempre buscando o bom humor, o sorriso, a descontração... tudo isso me deixa mais leve. Rio dos meus problemas... Feliz por nada talvez seja isso!

Liberte-se do que te aflige! Veja tudo de bom que você já conquistou e que te traz a alegria da conquista e da vitória! Seja capaz de se energizar por estas razões e aproveite para deixar a felicidade fazer parte da sua vida, da sua caminhada, do seu cotidiano, sem medo de ser feliz!

Então, se liberte, seja livre, seja feliz por nada...

Não precisamos de motivo para ser feliz, nossa existência por si só já nos torna seres de luz intensa...

Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu... Sonhe alto, queira o melhor do melhor, queira coisas boas para a sua vida. Quando pensamos firmemente, o universo conspira a nosso favor. Dê asas aos seus sonhos, permita-se voar... pois nascemos para sermos felizes por nada...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
RIR FAZ BEM ...
07/07/2011 | 09h26

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=hVR95Oh1KRQ&playnext=1&list=PL3BAF420406D582A6[/youtube]

Rir é um dos melhores remédios ....

Aproveite um pouquinho ...

 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
EU TENHO UM SENTIMENTO....
06/07/2011 | 09h26

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=1aSbKvm_mKA[/youtube]

Eu Tenho Um Sentimento

"Eu tenho um sentimento profundo aqui dentro...

um sentimento que não posso esconder...

Que tudo o que eu procurava era por alguém... Que se parecesse com você..."

O sentimento move o mundo, vejam no aniversário de Oprha, como milhares de pessoas se mobilizaram e juntas fizeram uma contagiante dança ...

Vale a pena conferir até o final, até porque a música é eletrizante...

Recebe aí  a energia ....

Com afeto,

Beth Landim

 
Comentar
Compartilhe
CINEMAGRAPHS...
05/07/2011 | 13h16

A fotógrafa novaiorquina Jamie Beck mudou totalmente o conceito de GIFs animados ao criar uma respeitada forma de arte, apresentando fotos extremamente impressionantes. Para quem não sabe, os GIFs animados são famosos na internet. Entretanto, a grande maioria tem caráter humorístico e não guarda grandes preocupações com a qualidade das imagens.

O que Jamie faz é exatamente o contrário. As imagens possuem incrível realismo e chama atenção pelos detalhes. Batizadas como “cinemagraphs”, ela busca não esgotar as possibilidades de uma imagem. Esta realmente parece ser a chave para criar uma arte respeitável.Olhe bem as fotos e veja os detalhes em movimento ....Uma novidade para a mídia web!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
DANÇA COMIGO?
04/07/2011 | 09h12

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=4mFsJGKHNWk&feature=related[/youtube]

Quem dança seus males espanta... Mais que isso aquece o corpo, nos embala pra longe...

Dançar é deixar o corpo falar.... Eu adoro e você ?

Então pare um pouquinho o que está fazendo  e deixe seu corpo e seus pensamentos dançarem  neste tango...

"Dança Comigo?"...

Com afeto ,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
A DELICADEZA DO TEMPO...
02/07/2011 | 17h54

Você já se deu conta do quanto nos deixa felizes e renovados fazer algo que nos leva a esquecer do tempo? Para viver em harmonia, precisamos ser orientados pelo tempo interior, que está naturalmente conectado com os ciclos do tempo exterior: o dia e a noite e as quatro estações do ano. No entanto, estamos tão condicionados à necessidade de cumprir as expectativas do tempo imposto pelo relógio, que não nos permitimos mais ser “naturais”, tornamo-nos mecanizados pela pressão do tempo, que exige, de nós, cada vez mais tempo.

O tempo é o adubo do amadurecimento. Forçar o tempo é impossível. Jamais podemos abrir mão da coerência entre o que sentimos e fazemos. Nossas ações devem brilhar de acordo com nossas palavras. Se nos sentimos coerentes em nosso caminho, estamos mantendo clareza de nossos propósitos.

A incoerência surge quando a distância entre o que sentimos dentro de nós e o que vivemos fora de nós torna-se grande demais. Quando perdemos a sintonia entre nossos mundos, interno e externo, sentimo-nos derrotados.

A sensação de estar “perdendo tempo” com alguma coisa, seja no trabalho ou num relacionamento, é um alerta de que estamos nos distanciando de nosso propósito espiritual: o uso significativo do tempo. A questão é que estaremos sempre insatisfeitos enquanto vivemos apenas para satisfazer as expectativas externas que surgem em cada momento da vida. Isto é, usar o tempo apenas para sermos pessoas cada vez mais eficientes não garante nossa felicidade. Para sentirmos felizes, é preciso mais que eficiência. É preciso sentir que estamos crescendo interiormente.

Mas quem já não escutou o “tic-tac” da ansiedade soar em seu interior quando está sob o peso do tempo do relógio?

Nas situações que não podemos mudar, devemos nos esforçar para reavaliar nossas reações internas, pois o tempo interior é tão vasto quanto o espaço infinito. Ele chama-se kairos.

O tempo que é cronológico, linear e, em seqüência, dita o ritmo de nossas vidas, chama-se cronos. A palavra kairos, em grego, significa o momento certo, o aspecto qualitativo do tempo. Sua correspondente em latim, momentum, refere-se ao instante, ocasião ou movimento, que deixa uma impressão forte e única por toda a vida.

Por isso, kairos refere-se a uma experiência temporal na qual percebemos o momento oportuno para determinada ação: saber a hora certa de estar no lugar certo. Sempre que agimos sob o tempo kairos, as coisas costumam se acertar. Por exemplo, quando estamos quase desistindo de algo e resolvemos “dar um tempo” para aliviar a pressão, repentinamente, surgem as pessoas certas que nos ajudam com soluções reais e práticas.

Agir no tempo regido por kairos é simular a um ato mágico!

Kairos é o tempo oportuno, livre do peso de cargas passadas e sem ansiedade de anteceder o futuro. Ele se manifesta no presente, instante após instante.

Quando vivemos no tempo kairos, aumentam as oportunidades em nossa vida. Basta pensar como surgiram nossas melhores chances e percebemos que nessas ocasiões estávamos, de certa forma, desprogramados das exigências do tempo cronológico.

Para os gregos, cronos representava o tempo que falta para a morte, em tempo que se consome a si mesmo. Por isso, seu oposto é kairos: momentos afortunados que transcendem as limitações impostas pelo medo da morte!

Portanto, para vivermos sob a regência de kairos, precisamos ir além das convenções mundanas: saber seguir cada momento, de acordo com a sintonia de nossas necessidades interiores. Isto não quer dizer que podemos fazer o que quisermos na hora que bem entendermos, mas sim que devemos estar atentos para não deixar que os comandos exteriores ultrapassem os interiores.

Já que a pressão externa é cada vez maior, temos que desenvolver cada vez mais a paz interna. Na maioria das vezes, não encontramos soluções indiretas para as situações externas, então, podemos contar apenas com nossa condição interna. Paz interior é a melhor forma de proteção contra desafios externos. Além de ficarmos mais leves, nos tornamos bonitos também!

A eternidade é tornar os momentos inesquecíveis... portanto vivamos como se fossemos morrer amanhã... sejamos intensos e inteiros em nossas atitudes e relações.

Uma boa e feliz semana para todos!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
SEM BRAÇOS, SEM PERNAS E SEM PREOCUPAÇÕES...
01/07/2011 | 13h14

Nick Vujicic nasceu sem extremidades e os médicos não encontram explicação científica para este defeito  de nascimento. Como você pode imaginar ele deve ter encarado  muitos obstáculos.

“Nasci na manhã do dia 4 de dezembro de 1982, em Melbourne – Austrália. Meus pais não foram preparados para me receber. Os médicos estavam atônitos e não tinham respostas para nada. Não existe explicação médica para o que me aconteceu. Tenho um irmão e uma irmã que nasceram perfeitos, como qualquer bebê.” Diz Nick

Todos se perguntavam:Por que?

Meu pai pensou que eu nem sobreviveria muito tempo, mas os exames revelaram que eu era um bebê muito saudável, a exceção da falta de extremidades.

Obviamente meus pais estavam consternados e tinham muito medo do tipo de vida que eu teria que enfrentar. A lei na Austrália não permitia que eu me integrasse à uma escola comum, devido à minha incapacidade física. Deus, milagrosamente, deu à minha mãe força necessária para lutar para que essa lei fosse mudada. Fui um dos primeiros estudantes incapacitados que foi integrado às escolas comuns.

Eu gostava de ir à escola e tentava viver como todos os outros, mas em meus primeiros anos de escola tive que enfrentar momentos de rejeição pela minha diferença física. Era muito difícil lidar com isso mas, com a ajuda dos meus pais, comecei a desenvolver aptidões e valores que me ajudaram a superar essa época. Sabia que eu era diferente por fora mas, no meu interior, era exatamente igual aos outros. Houve muitas ocasiões em que me sentia inferiorizado e não queria ir à escola, para não ter que enfrentar aquela atenção negativa. Meus pais me deram força necessária para ignorar . Eu fui fazendo amigos simplesmente conversando com meus coleguinhas. Logo os estudantes entenderam que eu era como eles e Deus me abençoou com novos amigos.

Houve momentos em que caía em depressão e ficava com raiva porque

não podia fazer nada para mudar meu físico. Pensava que, de todas as crianças da escola, eu era o único assim e cheguei até pensar em terminar com minha vida. Dou graças a Deus pelos meus pais e minha família que sempre estiveram aí pra me consolar e me dar forças.

Para compensar meus problemas emocionais de auto-estima e solidão, Deus me premiou com a emoção de compartilhar minha história e experiência para ajudar aos outros a enfrentar a deficiência física em suas vidas. Minha meta de vida é levar minha força, ensinar a converter a tristeza em bênção, fortalecer-se, inspirar-se, utilizar seu potencial ao máximo, ter esperança sempre e não permitir que alguém o impeça de seguir seu caminho até realizar seus sonhos.

Com 21 anos e terminei meus estudos de Comércio, Planificação Financeira e Contabilidade.  Sou conferencista corporativo e motivacional e amo viajar para compartilhar minha história e testemunho em conferências para animar e fortalecer estudantes sobre tópicos que afetam os jovens de hoje.

Apaixona-me chegar aos jovens. Tenho muitos sonhos e metas por atingir na minha vida. Eu quero ser o melhor mensageiro do amor e da esperança. Eu quero ser independente, financeiramente, aos 25 anos, me dedicando a invenções. Quero escrever muitos best-sellers, é um dos meus sonhos e espero terminar o primeiro no final deste ano, com o título: “No Arms, No Legs, No Worries” (Sem braços, sem pernas, sem preocupações).

Acredito que se você toma a decisão e tem a paixão para fazer algo, conseguirá fazê-lo no tempo certo. Como humanos, continuamente nos impomos limites sem nenhuma razão! O pior de tudo é nos impor limites.

O melhor de tudo é quando queremos fazer algo e conseguimos.

Sabe quantas coisas somos capazes de fazer?

E você ainda fica aí sentado, pensando que não há nada que você possa fazer para melhorar a sua vida?

E A GENTE AINDA SE QUEIXA DA VIDA, HEIN?

Talvez você não viva dificuldades tão grandes quanto a incapacidade física de Ricke  Nick, mas todos nós temos derrotas, frustrações, momentos em nossas vidas que pensamos em desistir ou então, sentimos que não valeu a pena. Esse é o momento de você pensar que se não deu certo, TENTE OUTRA VEZ. Deseje profundo, pois você é capaz de sacudir o mundo... Nós podemos...

É isso , deseje profundamente...

Com afeto ,

Beth Landim

 

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]