A ÁRVORE TORTA
29/10/2010 | 22h25

Nos conta a lenda, que um dia diante da velha árvore torta, um pinheiro todo vergado pelo tempo, o sábio da aldeia ofereceu a sua própria casa para aquele discípulo que “conseguisse ver o pinheiro na posição correta”.

Todos se aproximaram e ficaram pensando na possibilidade de ganhar a casa e o prestígio, mas como seria  “enxergar o pinheiro na posição correta”? O mesmo era tão torto que a pessoa candidata ao prêmio teria que ser no mínimo contorcionista.

Ninguém ganhou o prêmio e o velho sábio explicou ao povo ansioso, que ver aquela árvore em sua posição correta era “vê-la como uma árvore torta”.

Nós temos em nós, esse jeito, essa mania de querer “consertar as coisas, as pessoas, e tudo mais” de acordo com a nossa visão pessoal. Não que não tenhamos que evoluir e construir nossa evolução e corrigir erros em nosso contexto. Falo de ver as coisas de nosso único ângulo.

Quando olhamos para uma árvore torta é extremamente importante enxergá-la como árvore torta, sem querer endireitá-la, pois é assim que ela é. Se você tentar “endireitar” a velha árvore torta, ela vai rachar e morrer, por isso é fundamental aceitá-la como ela é.

Nos relacionamentos, é comum um criar no outro expectativas próprias,  esperar que o outro faça aquilo que ele “sonha” e não o que o outro pode oferecer. Sofremos antecipadamente por criarmos expectativas que não estão ao alcance dos outros, porque temos essa visão de “consertar” o que achamos errado.

Se tentássemos enxergar as coisas como elas realmente são, muito sofrimento seria poupado.

Os pais sofreriam menos com os seus filhos, pois os conhecendo, não colocariam expectativas que são suas, na vida dos mesmos, gerando crianças doentes, frustradas, rebeldes e até vazias.

Tente,  pelo menos tente, ver as pessoas como elas realmente são, pare de imaginar como elas deveriam ser, ou tentar consertá-las da maneira que você acha melhor. O torto pode ser a melhor forma de uma árvore crescer.

Não crie mais dificuldades no seu relacionamento. Se vemos as coisas como elas são muitas dos nossos problemas deixam de existir, sem mágoas, sem brigas, sem ressentimentos.

Perdemos muito tempo em nossa vida com pequenas coisas, com críticas vazias, lamentando o leite já derramado, sem entender que este tempo não voltará para nós, é um tempo jogado fora. Neste ínterim muitas outras coisas aconteceram ao nosso redor e nós deixamos passar: o nosso sorriso, a atenção com a nossa família, a partilha da alegria com os nossos amigos, a nossa atitude positiva diante da vida...

Ficamos sem forças para rezar, nos distanciamos de Deus e de nós mesmos, muitas vezes nos tornamos um templo vazio e abandonado... Tudo isso por tentarmos DESENTORTAR pessoas.

A vida passa muito rápido para tantas oportunidades jogadas fora. Vivamos intensamente com positividade!

O tempo passa. A vida acontece. As distâncias separam, mas não fazem esquecer o que realmente sentimos, pois não há distância capaz de superar os sentimentos.

Às vezes, vivemos amargurados, querendo que nossa opinião prevaleça. Implicamos com tudo e com todos. Só nos satisfazemos se tudo ocorrer exclusivamente de acordo com nossa vontade. E então nos tornamos egoístas, pequenos, e vemos todos como árvores tortas. Nos tornamos também diabéticos, pois como nos diz o poeta Mário Quintana, diabético é aquele que não consegue ser doce.

Que possamos, tortos ou não, darmos frutos doces, sombras frondosas, termos raízes fincadas em valores firmes, que mesmo o maior vendaval não tire o nosso chão. Que nossos galhos e folhas sejam flexíveis e estejam, acima de tudo, buscando sempre a luz do sol que aquece o nosso coração, e ao anoitecer, a lua com seus mistérios, nos encha a alma de paixão.

Há um tempo, como nos diz Fernando Pessoa, em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Olhe para você mesmo com os “olhos de ver” e enxergue as possibilidades, as coisas que você ainda pode fazer e não fez. Pode ser que a sua árvore seja torta aos olhos das outras pessoas, mas pode ser a mais frutífera, a mais bonita, a mais doce, a mais perfumada da região, e isso, não depende de mais ninguém para acontecer, depende só de você.

Seus comentários são muito importantes para mim.

Deixe aqui um pedacinho da sua árvore.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
UM A ZERO
25/10/2010 | 18h14

Pensei muito antes de escrever estas linhas ... de expor minhas dores, meus sentimentos e medos! Mas não posso me permitir não dividir informação, prevenção e um pouco de experiência!

Falo do câncer! Muitas vezes encontramos pessoas que até evitam falar a palavra “câncer”, por medo de contagio, ainda no século XXI, como se a palavra tivesse o dom de atrair a doença!

O preconceito e o medo bloqueiam as pessoas. E não é raro acometer pessoas bem próximas e esclarecidas. Neste ponto posso falar, esta é a única forma que o contagio não ocorre! Desde 2003, foi diagnosticado um câncer de pele em meu nariz. De lá pra cá fiz cinco cirurgias. O câncer de pele não mata, MULTILA! Por isso, não mata. Temos que tirá-lo sempre para que não entre nas cartilagens, nos ossos, nos órgãos. Neste ano, após a última cirurgia, a biopsia apontou para neoplasia em uma das margens, ainda! E aí, o mundo desaba! E a gente começa a se perguntar por que? Porque comigo? Ter que fazer enxerto, retirar uma grande parte de seu rosto, mas acima de tudo conviver com o medo da reincidência, de não ter o controle e extermínio da doença.

A exposição excessiva ao sol é o principal fator de risco do câncer de pele. Pessoas que vivem em países tropicais como Brasil e Austrália, país com o maior registro de câncer de pele no mundo, estão mais expostos a esse tipo de doença. Uma doença que acomete 70% a 80% dos brasileiros.

Uma entrevista de José de Alencar me chamou a atenção. A cada nova cirurgia, seus médicos pensam que é a última, mas novos tumores apareciam. Ele poderia ter optado pelo pessimismo ou fraqueza, mas preferiu encarar a luta contra o câncer de frente, com coragem e uma pitada de bom humor.

Por isso escrevo, para as pessoas que ainda não alcançaram êxito. Não desanimem,  lutem sempre,  tenham fé e força para percorrer este caminho que por experiência sei que não é fácil. Porém o acreditar, o querer viver, o querer vencer, o emocional, são fatores preponderantes e incisivos no tratamento desta doença.

Peço sempre a Deus que ilumine os cientistas e os médicos, na cura desta doença. Que as grandes empresas se sensibilizem e envidem esforços para patrocinar cada vez mais pesquisas sobre o câncer!

E nesta hora, como faz toda a diferença o carinho, o afeto, a atenção, o aconchego, a segurança, a torcida da família, dos amigos. Poucas coisas no mundo são mais poderosas que um impulso positivo, um sorriso. Um mundo de otimismo e esperança, um “você consegue” quando as coisas estão difíceis. Tenham certeza, este é um dos mais fortes e melhores remédios em qualquer doença. Sentir-se amado, ver as pessoas estarem torcendo e rezando por você, te faz sentir mais forte para lutar. Lutar, SIM, porque depois de se perguntar o porquê (comigo esta fase sempre é bem pequena), começo a lutar. Digo pequena, porque não fico remoendo os problemas. Depois do impacto de qualquer notícia, reúno forças para tomar pé da situação, do problema e lutar. Como nos diz Santo Agostinho: “Enquanto houver vontade de lutar, haverá esperança de vencer.” Luto com todas as forças, não me entrego! Continuei a trabalhar enquanto fiz as sessões de radioterapia. Mudei muito pouco minha vida, somente quando ia fazer as sessões, e os limites que elas me impunha! Realmente limites doídos, sofridos! Fora isso continuei a viver, a lutar muito, a trabalhar sempre, a sentir o carinho da família e dos amigos, algo indispensável em minha vida!

Uma coisa mudou, passei a rezar muito mais e é dessa experiência de fé, que tanto me marcou, que quero testemunhar! Conversei muito com Jesus, pedi muito. Às vezes pensamos até em não ser merecedores! Mas para Jesus não existe isto! E depois da nova biopsia, dos seis meses de tratamento, senti a graça da cura, que é algo indescritível!

Sentir a liberdade de estar curada, a graça que aquece nosso coração por nos sentirmos amados por Deus, muda muito nossos pensamentos, ações, nosso tempo, nossa vida!

Meu enxerto seria muito grande, assim como grande é o meu sentimento de gratidão, pelas inúmeras palavras recebidas durante este período! Temos que a cada dia olhar para tudo que diferente surge em nosso corpo. O tempo de descoberta para o câncer faz toda a diferença no tratamento e na cura! Assim como a fé, o carinho e a oração também fazem a diferença em nossa recuperação. Nos sentimos mais fortes, quando vencemos esta horrível doença! Portanto não descuide nunca! Lutar e Rezar Sempre! 1 X 0 pra mim. Venci a primeira batalha, pois temos que fazer o acompanhamento. A eminência da reincidência sempre existe, mas a alegria de viver e lutar deverão estar sempre em nossos pensamentos! Não desanimemos nunca, viver é dom precioso que Jesus nos deu!

Um outubro rosa para todos, de bons pensamentos, muita fé, persistência e saúde !!

Comentar
Compartilhe
DENTRO DE MIM .....
23/10/2010 | 17h56
  

"Dentro de mim há pensamentos demais, o que torna tudo meio apertado, mas tenho tentado dar uma arrumada nessas idéias para que cada uma fique na sua gaveta. Há também sentimentos demais, mas de forma alguma vou expulsá-los, deixo que circulem à vontade pelo meu corpo. Dentro de mim as estações são bem definidas: verão é verão, inverno é inverno. Toca música aqui dentro quase o tempo todo, e há uma satisfação secreta que precisa se manter secreta para não passar por boba. Há crianças e adultos dentro de mim, todos da mesma idade.  Aqui dentro existe uma praia e uma montanha coladas uma na outra, parece até Rio de Janeiro, só que os tiroteios são raros. O último bangue-bangue emocional que metralhou minha alma faz quase um ano. Dentro de mim estão muitas lágrimas que não foram choradas pra fora e muitos sorrisos que, de tão íntimos, também guardei. Dentro de mim, às vezes, são produzidas algumas cenas sofisticadas e roteiros de filme B. Como não gostar de viver aqui dentro?  E você, tem sido um bom hospedeiro de si mesmo?" Lendo este texto de Martha Medeiros, parei para pensar no que existe dentro de mim.  

Às vezes queremos mudar o mundo, mas somos incapazes de nos mudar internamente!  É lógico que é muito mais difícil pois na maioria das vezes não enxergamos  nossos defeitos, nossos limites e dificuldades, só vemos virtudes. Começar a enxergar o nosso mundo é o primeiro passo. Só amamos aquilo que conhecemos. E amar a si próprio é ter auto estima elevada e para tanto é preciso fazer esta viagem dentro de nós mesmos!  

Será que conhecemos nosso mundo interior?  Será que sabemos o que realmente gostamos ou do que não gostamos? O que queremos ou não? Se fizemos as escolhas certas? Sinto minha vida colorida, ora de tons vibrantes, como sou perante a vida, ora com tons mais pastéis (minoria). Sinto a música a todo tempo! Viajo nos meus pensamentos, a música me faz sonhar (não um sonho utópico), mas um sonho de quem está VIVO e quer descobrir mais, viver intensamente, perseguir seus sonhos e ideais!  

Agradeço a Deus, persigo sempre a felicidade!  

Sou feliz! Tenho sido para mim uma hospedagem singular!  

 E você? Tem sido um bom hospedeiro de si mesmo?   

Com afeto,  

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Porque o afeto?
21/10/2010 | 22h07

Outro dia, conversando com uma leitora e freqüentadora de blog, ela me perguntou por que termino sempre os meus textos escrevendo “com afeto”.

De pronto respondi, porque vejo que o afeto é um dos sentimentos que mais fazem falta no mundo, e sua importância é demasiadamente grande para a humanidade.

Com afeto, um “não” necessário, pode se tornar um sim para a vida! As relações deixam de ser ríspidas. Nossos ouvidos, olhos e sentidos, ficam mais receptivos e em empatia com o outro, para que possamos entender melhor a alegria ou a dor do outro.

Hoje, as pessoas precisam ser afetadas! Afetadas pela ética, pelo carinho, pela solidariedade, pelo limite do direito e respeito ao próximo, para serem mais educadas, mais humanizadas! Podemos afetar nossas relações de forma positiva e carinhosa!

Hoje as grandes empresas e corporações investem nas relações pessoais e humanizadoras de seus funcionários e gestores!

Particularmente, sou uma pessoa afetiva, movida a sentimento e penso que tanto no mundo profissional ou das relações pessoais, o afeto tem importância fundamental!

Por vezes nos importamos tanto com a forma e dizer as coisas e esquecemos o principal, que é a comunicação através do sentimento. É válido que nos preocupemos com as pessoas, mas é importante que elas saibam, que elas sintam isso.

Para que haja comunicação é preciso que as pessoas "ouçam" a linguagem do nosso coração, pois, em matéria de afeto, os sentimentos sempre falam mais alto do que as palavras. Por isso que um beijo, revestido de afeto, cura a dor de cabeça, o arranhão no joelho, o medo do escuro. As pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas sabem registrar um gesto de amor.

Por isso, finalizo meus textos sempre desta forma, pois é o que sinto de coração!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
NEM MAIS NEM MENOS... O MELHOR SEMPRE!!!
20/10/2010 | 23h47

“Não é função do governo fazer um pouco pior ou um pouco melhor o que os outros podem fazer, e sim fazer o que ninguém pode fazer”. (Lord Keynes)

Pensar desta forma é ter certeza que as instituições públicas devem ter planejamento, estratégia, objetivos claros, gestores profissionais e fazer sempre o melhor. O Estado está para a população, não para fazer o que dá pra fazer, mas para perseguir metas de fazer o melhor firmemente.

Que o profissionalismo seja exigido, que o retorno para a população e a produtividade sejam metas perseguidas. Que nós cidadãos tenhamos consciência de nossos direitos e deveres em respeitar e cobrar ações e atitudes dos gestores públicos, pois a política rege a vida de nosso país, estado e município!

É esse olhar patriótico, futurista, desenvolvimentista e ético, que queremos para o nosso PAÍS!!!

Desejo profundamente  que nosso povo retome o amor ao coletivo, multiplicando idéias e ações, subtraindo  o individualismo  e dividindo a sabedoria e o conhecimento em todo nosso  chão ! Que tenhamos orgulho de  ser Brasileiros!!

Participar, acompanhar, colaborar sempre!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Delicioso ... ... receber ROSAS!!!
19/10/2010 | 21h20

Penso que todos adoram receber flores ... as mulheres em especial!

Sentir-se amada, lembrada, presenteada, inesperadamente ou por alguma data especial, é perfumar a vida!

Quem não se lembra daquele buquê de rosas recebido de quem nos ama? Ou daqueles pelo reconhecimento, pela gratidão, pelo aniversário, enfim, para as rosas, não precisam datas, motivos, hora e local! Existe apenas a magia do seu perfume, da beleza que carregam consigo, da cor que colore o dia de quem as recebe, da alegria de recebê-las, da paixão de quem as encontra!

Rosas, um perfume delicioso!!! Experimente pronunciar a palavra DELICIOSA ... ela nos enche a boca e a alma!

Pense em algo delicioso, dê-se ao luxo de viajar no tempo, no seu tempo, que é só seu, que ninguém nem nada pode interferir. Sentirá, então, o gosto delicioso do desejo ou o perfume das rosas, ou do que quer que queira sentir!

Não se esqueça, mande rosas! Sempre!

Mande rosas para seus filhos, namorados, maridos, para quem você ama!

Inverta a ordem, mande rosas!

Mande rosas para você!

Nós somos merecedores!

É muito bom se presentear!

Envio estas para vocês!

Que a beleza e perfume delas, alegrem e coloram um pouco mais a sua vida.

Quando o inverno chegar

Eu quero estar junto a ti

Pode o outono voltar

Eu quero estar junto a ti......

Trago esta rosa para te dar.......

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Decisão
17/10/2010 | 12h31

DECISÃO

Decidir significa escolher uma alternativa de ação.

Toda decisão é, portanto, um processo que envolve simultaneamente escolha e renúncia. Acima de tudo, é essencial ter em mente que não existem decisões certas nem decisões erradas.

Em outras palavras, a qualidade da decisão tomada no passado é julgada com fundamento em suas conseqüências no presente.

Portanto, o mais importante, é sabermos que toda decisão gera uma conseqüência e que toda escolha, renúncia ou omissão se traduzem em uma decisão!

Vamos interagir com as nossas decisões, lembrando que é sempre tempo de RECOMEÇAR ...  uma nova etapa, um novo caminho, uma nova perspectiva de felicidade e de esperança!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Ao ensinar a gente aprende!
15/10/2010 | 11h24

Ao ensinar a gente aprende

Educador, em latim educ?tor, ?ris, significa “o que cria, nutre, diretor, pedagogo”. A palavra professor vem de "professar", que, além de lecionar, significa “declarar publicamente uma convicção ou um compromisso de conduta", como a de uma profissão. Não por acaso, as duas têm a mesma raiz. Nós, mestres, somos profissionais em vários sentidos: por ensinarmos e por nos comprometermos com condutas de trabalho, numa atividade que exige a contínua exposição de convicções. Essa condição também envolve responsabilidades múltiplas, com conhecimentos e procedimentos, especialmente por lidarmos com muitos jovens e crianças e por um tempo longo.

A cada dia há uma nova aprendizagem em nossa vida. Ao ensinar a gente aprende e, com essa aprendizagem, a gente ensina melhor. Isso sempre se transforma num círculo contínuo e, o melhor, produtivo.

Para de fato sermos educadores, é preciso ser inteiro nas lágrimas e no sorriso. Inteiro no ensinar e no aprender. É saber que nossos alunos precisam de nós, e nós precisamos deles. Por isso, somos tão especiais. E nesta nobre missão de educar, nossa humanidade se enriquece ainda mais. Precisamos nos lembrar disso não para nos sentirmos mais importantes do que já somos, mas para termos consciência de que, no desempenho dessa função social, não dá para ignorar limitações pessoais e problemas, ou seja, nossa condição humana.

É inegável que exercer o magistério causa certo fascínio, pois supõe a capacidade de influenciar as pessoas a ver, ouvir, sentir a beleza da vida e, sobretudo, plantar a semente de mudança para um mundo melhor! É por isso, que hoje escrevo para todos os meus professores de ontem, de hoje e de amanhã, a fim de lembrá-los de que a profissão docente é a base que sustenta toda sociedade, pois todas as profissões se fazem e se constituem a partir dela.

O exercício dessa profissão é árduo e exaustivo. Os percalços do dia a dia da sala de aula são constantes. O professor tem que educar, transmitir conhecimento, estar aberto ao novo, mediar conflitos, trabalhar o conhecimento de forma interligada, ter conhecimento pleno sobre a evolução do processo cognitivo de seu aluno e outros. Aos professores de Campos, a minha homenagem pelo nosso dia, minha gratidão eterna!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Enquanto há vida, há esperança!
14/10/2010 | 21h04

Não existem palavras para descrever a emoção que acompanhou o resgate dos mineiros chilenos.

O "Acampamento Esperança"  abrigou as famílias dos 33 mineiros chilenos, em barracas, durante os últimos dois meses, em pleno deserto do Atacama no Chile. Ontem, todos  desfizeram as suas  barracas e partiram rumo a vida fora do acampamento. As famílias se concentraram no terreno vazio ao redor da mina San José depois do desabamento do dia 5 de agosto, temendo que todos os mineiros estivessem mortos, mas se recusaram a desistir. O ambiente no "Acampamento Esperança" era de companheirismo e de intensa oração.  Dezessete dias após o colapso da mina, as equipes de busca descobriram que os mineiros estavam vivos, fazendo com que a cidade de tendas aumentasse rapidamente de tamanho. Alguns parentes, dizem agora, que querem transformar o terreno inóspito em um santuário.

Com o fim da operação de resgate dos mineradores no Chile, o país agora se volta para as histórias que começam a ser contadas pelos sobreviventes. Nesta quinta-feira, dia 14 de outubro, os 33 operários se encontraram no hospital com o presidente e  contaram sobre a experiência que mudou a vida de todos.

Fica para nós, expectadores deste acontecimento ao redor do mundo, uma mensagem de ESPERANÇA, de FÉ e de SOLIDARIEDADE HUMANA. Fomos capazes de nos unir em torno deste fato e vibrar em uma única sintonia: o AMOR AO PRÓXIMO. Que esta lição vivenciada por estes 33 homens, compartilhada por todos nós, possa nos levar a constatar a grandeza da vida, a pequenez dos nossos problemas e a capacidade de superação do ser humano sob as bênçãos de Deus.

Enquanto há vida, há esperança!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Espaço Burle Marx
14/10/2010 | 10h48

 

Inauguração do  Espaço Burle Marx 

Marco da expansão do ISECENSA na comemoração dos 85 anos de sua Mantenedora “Auxiliadora” e o 5º Aniversário do curso de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo, o Espaço Burle Marx acaba de ser incorporado ao cotidiano acadêmico da instituição, juntando-se ao Escritório Modelo Lúcio Costa, ao Laboratório Digital com 32 máquinas de última geração exclusivo para o Curso de arquitetura, além de 7 Ateliers e uma equipada maquetaria, todos situados no prédio principal. O amplo espaço do ambiente térreo, atelier 1, tem a capacidade de acomodar até 30 pranchetas para disciplinas práticas e teóricas. Sua marcante característica multifuncional, cercado de elementos construtivos, vegetação e cores estimulantes, sugerem e possibilita os estudantes do curso perceberem o abrangente campo de atuação dos arquitetos graduados no Brasil e se habilitarem a todas as áreas que o compõe o campo profissional. O amplo espaço do ambiente do mezanino, atelier 2, acomoda também 30 pranchetas para ministrar disciplinas práticas e teóricas em várias configurações, como também permite organizar exposições de pequeno e médio porte. Enquanto o espaço no pátio da cobertura, atelier 3, permite amplas possibilidades de atividades acadêmicas. A parte coberta da área e um abrigo para equipamentos e materiais didáticos somados a área aberta com seu arco romano para estudos de estrutu 

ra formam um conjunto, harmonioso e colorido com as plantas do jardim suspenso. Sendo este inclusive um local distinto para momentos de descontração e socialização dos estudantes. E para participar da programação de inauguração do inovador edifício laboratório, a Instituição recebeu o renomado professor arquiteto paisagista Benedito Abbud.  Ministrou aulas na PUC-Campinas, de 1977 a 1981. É pós-graduado e mestre pela FAU-USP, na qual foi professor da disciplina de paisagismo de 1980 a 1985. Foi presidente da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (Abap) durante os biênios de 1987-1988 e 1999-2000. Seu escritório atua em diferentes produtos e escalas, que vão desde cidades, bairros, parques, praças, hotéis, flats, resorts, loteamentos até empreendimentos corporativos e comerciais, condomínios residenciais, shoppings centers, habitações compactas e residências unifamiliares, somando mais de 5000 projetos paisagísticos desenvolvidos em todo Brasil e Exterior. 

       [gallery link="file" columns="2"]

Comentar
Compartilhe
12 de outubro
12/10/2010 | 14h02

No dia 12 de outubro, comemoram-se três datas, embora poucos lembrem-se de todas elas: Nossa Senhora Aparecida, padroeira oficial do Brasil, o Dia das Crianças e o Descobrimento da América. Nosso feriado nacional, no entanto, deve-se somente à primeira data, e, embora a devoção à santa remonte aos idos do século XVIII, só foi decretado em 1980.

O Dia da Criança foi criado oficialmente no Brasil por um decreto do presidente Artur Bernardes, em 1924. Mas só muito depois, na década de 1960, a idéia emplacou.

As nossas crianças são amparadas pela  Declaração Universal de Direito das Crianças que foi aprovada  em 20 de Novembro de 1989, pela Assembleia Geral da ONU. É integralmente fiscalizada pela UNICEF (organismo da ONU)  criada com o fim de integrar as crianças na sociedade e zelar pelo seu convívio e interação social, cultural e até financeiro,  dando-lhes condições de sobrevivência até a sua adolescência.

Que possamos neste belo feriado refletirmos sobre a nossa fé, neste dia dedicado a Padroeira do nosso Brasil e revivermos junto as nossas crianças - esperança do futuro - o que cabe a cada um de nós na construção de um Brasil melhor.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Outubro Rosa
12/10/2010 | 13h08

Outubro Rosa

Luta contra o câncer de mama

O Outubro Rosa surgiu na Califórnia em 1997 e espalhou-se pelo mundo.   A idéia é conscientizar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. O câncer de mama é o que mais mata mulheres em todo o mundo, mas não precisa ser assim: quanto mais cedo o tumor for descoberto, menos invasivo será o tratamento e maiores as chances de cura. As visitas anuais ao ginecologista, a mamografia freqüente a partir de determinada idade (40 anos) e o autoexame são fundamentais. O exame clínico e a mamografia são, portanto, indispensáveis como parte da rotina feminina.

A internet é aliada importante na luta contra o câncer de mama. Nada substitui a visita ao médico, mas a web ajuda com sites informativos  e na repercussão de ações e campanhas.

A estilista  Carolina Herrera esteve no Brasil como a madrinha do Outubro Rosa 2010. Em homenagem a esta campanha parrticipou de vários eventos no Rio e  lançou a edição limitada do seu tradicional perfume CH (Carolina Herrera) e criou o CH Ser.

Vale a pena divulgar!!!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Problemas ?!?!
11/10/2010 | 12h42

Problemas

Toda decisão é solução de um problema!

Problema é palavra que provém do grego, idioma no qual tem um significado literal e de vários sentidos figurados.  Substantivo derivado do verbo “proballein”, junção de pro (adiante, em frente) e “lallien” (lançar, atirar), significa literalmente ato ou efeito de lançar em frente.

Entre os sentidos figurados registram-se: muro protetor, obstáculo, desculpa.

Na linguagem corrente problema é sinônimo de transtorno, anomalia, obstáculo, desconforto, insatisfação. Ainda que se possa justificar a utilização da palavra com esses significados, eles não correspondem a uma noção rigorosa de problema.

Portanto, aproveitemos nossos problemas para nos lançarmos à frente, para nos superarmos e melhorarmos em maturidade e qualidade de vida!

Pois a vida sem problemas, com certeza, seria estagnada, sem desafios, sem sonhos! Não supervalorizemos nossos problemas, não aumentemos o tamanho deles. Ao contrário, coloquemos uma lupa para realmente identificá-los com objetividade de irmos em frente!

Fica a imagem do por-do-sol, nos mostrando que a beleza da VIDA é superior a todos os problemas que possam surgir em nossa caminhada.

Que possamos sentir a energia do sol, da natureza que nos cerca, das mãos de Deus em nossa vida ... e com equilíbrio resolvermos os nossos desafios!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Comer, Rezar e Amar
08/10/2010 | 20h35

V i no dia 1º de outubro o filme

COMER, REZAR E AMAR

Li o livro e assisti ao filme "Comer, Rezar e Amar"! Três verbos de grande importância, influência e significado em nossas vidas. Muitas vezes, temos que sair de nós mesmos para nos encontrar. Nos distanciar de nossa vida, de nossos desejos,  para escolher o melhor caminho a seguir. Quem nunca teve dúvida? Quem nunca teve que fazer escolhas? O filme  "Comer, Rezar e Amar" mostra o caminho que Liz Gilbert (Julia Roberts)  percorreu para encontrar seu prazer, sua fé e seu amor! A ordem não precisa ser necessariamente esta, mas com certeza estes três verbos são fundamentais e imprescindíveis em nossas vidas! Busquemos incessantemente vivenciá-los em nossa caminhada,  pois com certeza desabrocharão em outros sentimentos.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
"Tirei a minha vida do armário"
06/10/2010 | 21h51
Lendo a reportagem do último domingo da Revista do Jornal "O Globo", me chamou a atenção a entrevista com Regina Casé, em especial quando ela falou: "A vida exigiu muito de mim e não me cuidei nesses dois anos. Botei a vida no armário e decidi tirá-la na virada do ano." Às vezes colocamos nossa vida nas mãos de alguém ou de um trabalho, ou dos filhos, ou até mesmo no armário. Parece que somos expectadores de nossa vida e deixamos o papel de ator principal para outras pessoas ou funções. Ter prazer, parar para pensar no que somos e no que queremos, satisfazer nossos desejos, conhecermos nosso eu com total honestidade é o ponto de partida. Às vezes precisamos tirar nossa vida do armário! Rever, Reciclar, Repensar, Reestruturar, Reconciliar o nosso valor para nós e para as pessoas. É muito bom tirar a Vida do Armário e vivê-la com intensidade! Como nos diz Vinicius de Moraes em seu famoso Samba da Bênção: “É melhor ser alegre que ser triste. Alegria é a melhor coisa que existe. É assim como a luz no coração.” Com afeto, Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Resiliência
04/10/2010 | 23h54

É com grande alegria que aumento os meus laços com o Grupo Folha da Manhã. A convite de Aluysio Barbosa, além do meu artigo semanal, estarei interagindo neste espaço com vocês. Parabenizo o Grupo  Folha da Manhã pela forma visionária de atender aos seus leitores, acompanhando as demandas do mundo, que tem hoje nas redes socias sua grande contribuição que é a socialização da informação. Espero contribuir e interagir com vocês neste novo espaço.

Com afeto,

Beth Landim

RESILIÊNCIA – A FERRAMENTA EMOCIONAL DO FUTURO

“ É a arte de transformar toda energia de um problema em uma solução criativa.” A psicologia tomou essa imagem emprestada da física, definindo resiliência como a capacidade do indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas - choque, estresse, etc. - sem entrar em surto psicológico. No entanto, Job (2003) que estudou a resiliência em organizações argumenta que a resiliência se trata de uma tomada de decisão quando alguém se depara com um contexto  entre a tensão do ambiente e a vontade de vencer. Tais conquistas, face essas decisões, propiciam forças na pessoa para enfrentar a adversidade. Assim, pode-se considerar que a resiliência é uma combinação de fatores que propiciam ao ser humano, condições para enfrentar e superar problemas e adversidades. O pesquisador George Souza Barbosa entende a resiliência como um amálgama de sete fatores: Administração das Emoções, Controle dos Impulsos, Empatia, Otimismo, Análise Causal, Auto Eficácia e Alcance de Pessoas (Barbosa, 2006). Os sete Fatores que constituem a resiliência:
  1. administração das emoções, descrita como a habilidade de se manter calmo sob pressão. 2.       O controle dos impulsos, compreendido como a habilidade de não agir impulsivamente e a capacidade de mediar os impulsos e as emoções.3.       Otimismo, a habilidade de ter a firme convicção de que as situações irão mudar quando envolvidas em adversidades e manter a firme esperança de um futuro melhor. 4.       A análise do ambiente, descrita como a habilidade de identificar precisamente as causas dos problemas e adversidades.5.       A empatia, revelando a habilidade de ler os estados emocionais e psicológicos de outras pessoas.6.       Auto-eficácia, como a convicção de ser eficaz nas ações. 7.       Alcançar Pessoas , a habilidade de se conectar a outras pessoas para viabilizar soluções para as intempéries da vida. Penso que na  busca constante da conquistas de tudo o que desejamos individualmente ou principalmente para o bem coletivo, devemos agir com perseverança.Está sendo bastante comum escutar nas empresas, nas escolas e a imprensa falar de que temos que ser resilientes. E os resilientes são aqueles que são capazes de vencer as dificuldades, os obstáculos, por mais fortes e traumáticos que elas sejam. Pode ser desde um desemprego inesperado, a morte de um parente querido, a separação dos pais, a repetência na escola ou uma catástrofe como um tsunami.O  conceito de resiliência passou de uma fase de “qualidades pessoais”, até ao conceito mais atual de compreendê-la como um atributo da personalidade desenvolvido no contexto psico-sócio-cultural em que as pessoas estão inseridas. E desde os anos 80 a escola tem sido vista como um desses ambientes, por excelência, para haver o enriquecimento da resiliência.Embora tais realidades estejam presentes no cenário brasileiro, e se fazem presentes no âmbito da resiliência, a pesquisa e a produção científica em torno desse tema, no que concerne à psicologia e à educação, começaram a surgir no Brasil apenas na última década.No campo da educação temos dois aspectos relacionados. O primeiro diz respeito à resiliência da escola enquanto instituição que reúne diferentes sistemas humanos. O segundo contempla o aspecto particular da pessoa do professor e do aluno.Particularmente na educação é possível ter muito mais êxito, se na vida houver flexibilidade de se viver ricamente os vínculos e os afetos que nos rodeiam. A falta de flexibilidade em situações de traumas e sofrimentos é uma das dificuldades para harmonizar um projeto de vida.Atualmente resiliência é utilizado no mundo dos negócios para caracterizar pessoas que têm a capacidade de retornar ao seu equilibrio emocional após sofrer grandes pressões ou estresse, ou seja, são dotadas de habilidades que lhes permitem lidar com problemas sob pressão ou estresse mantendo o equilibrio.Portanto, como diz Leonardo Grapeia, a Resiliência é a arte de transformar toda a energia de um problema em uma solução criativa. Que possamos incorporar a resiliência em nossas atitudes.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]