Vence para presidente na Argentina a chapa Fernández - Fernández
28/10/2019 | 09h12
Alberto Fernández é o novo presidente eleito da Argentina, sua vice Cristina Fernández de Kirchner, que atualmente prefere se apresentar só com o primeiro sobrenome, foi presidente da Argentina por 2 mandatos de dezembro de 2007 à dezembro de 2015. Cristina derrotou Macri nas eleições que ocorreram neste domingo, mesmo como vice, o povo fala: Cristina voltou ao poder.
Nota: a partir de hoje a compra de dólar fica restrita a 200 dólares por mês. Isso não impacta visitas turísticas de brasileiros na Argentina, uma vez que o turista pode trazer quantos dólares quiser ( desde que declare o excedente a 10 mil reais na PF do aeroporto).
Caso você esteja planejando viajar para Buenos Aires, está tudo bem por aqui, assista o vídeo sobre o passeio no ônibus turístico.
Compartilhe
Como fazer matrícula na UBA
10/10/2019 | 23h37
Compartilhe
Planejamento necessário para estudar medicina fora do Brasil
09/10/2019 | 19h14
De todos os países latinoamericanos que atraem estudantes de medicina, a Argentina é o que oferece, disparado na frente, a melhor estrutura de ensino. A UBA está colocada entre as 100 melhores do mundo veja o link: https://www.lanacion.com.ar/sociedad/la-uba-integra-club-mejores-100-universidades-nid2259177, e inclusive coleciona 3 prêmios Nobel na Fmed UBA ( faculdade de medicina), veja o link: https://www.fmed.uba.ar/la-facultad/premios-nobel.
Dados do Itamaraty revelam que mais de 65 mil brasileiros estudam medicina no exterior e o motivo disso seria pelo alto preço cobrado pelas universidades brasileiras. Em relação à medicina as mensalidades no Brasil variam entre 6 a 10 mil reais e em muitos casos chegam a ultrapassar esse valor. Outro fator que nos mostra o último Censo da Educação Superior, com dados de 2018, aponta que as universidades brasileiras ofereceram no ano passado 35,6 mil vagas para novos alunos de medicina, mas o número de inscritos para vestibulares da carreira passou de 1 milhão, uma média de 28 candidatos por vaga.
Os números recentes publicados pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE) onde figuram 65 mil alunos estudando medicina em países vizinhos ao Brasil, chamou a atenção do Ministério da Educação (MEC), afinal este contingente equivale a mais de um terço do total de alunos de medicina de todo o país, contando universidades públicas e privadas nacionais. Segundo o Censo da Educação Superior de 2018 existem no Brasil 167 mil estudantes de medicina.
Nesta semana vou publicar aqui no meu Blog da Folha um vídeo que explica, de forma densa e completa, como é o procedimento burocrático para fazer matrícula na Universidade de Buenos Aires. Veja o vídeo e comente sobre dúvidas ou questões específicas. Eu respondo sempre.
Planejamento
Antes de arrumar as malas e sair do Brasil pra realizar o sonho de estudar medicina de forma gratuita em uma das melhores universidades do mundo, aqueles que pretendem viajar ao exterior devem atentar-se à necessidade de planejar cuidadosamente sua estadia, especialmente se for a primeira vez que realizam viagem internacional. Devem pesquisar e conhecer a realidade do país e da cidade onde pretendem estudar, em particular sobre seu sistema de ensino; conhecer os costumes locais; ter domínio do idioma do ensino e verificar antes com as autoridades competentes do Ministério da Educação do Brasil e das universidades federais sobre os procedimentos para efetuar a revalidação de seus estudos e diplomas no Brasil.
Revalida
Os estudantes estão angustiados com a falta de definição sobre o próximo Revalida, Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos, a prova é realizada para validar diplomas médicos expedidos por universidades de fora do Brasil. A última edição foi a de 2017, com sucessivos atrasos em suas duas fases, o que comprometeu as edições dos anos seguintes. O MEC segue afirmando que as provas e a divulgação dos resultados do exame de 2017 sofreram atraso por causa dos recursos movidos por candidatos e que busca de forma prioritária “sanar o lapso temporal” do Revalida com medidas de ajustes. Sobre a realização do próximo exame, o ministério informou que será “o mais breve possível”. A pasta prorrogou a portaria que criou um grupo de trabalho para discutir mudanças no Revalida – as propostas devem ser concluídas até o fim de outubro.
Compartilhe
Alunos de medicina se mobilizam em manifestação marcada para 12 de outubro
03/10/2019 | 10h48
Os brasileiros que estudam medicina e residem no exterior estão organizando uma manifestação que será realizada no dia 12/10/2019, simultaneamente, em cada respectivo país da América Latina. O objetivo principal consiste em defender pautas como: a aplicação de prova do revalida duas vezes por ano, todos os anos; inserção dos médicos formados no exterior que ainda não revalidaram seus diplomas no Programa Médicos Pelo Brasil e a revalidação (complementação), em todas as universidades federais, assim como é feito pela Universidade Federal de Mato Grosso -UFMT.
Já são 18 cidades confirmadas para participarem, do que está sendo chamado no meio acadêmico de “A primeira GRANDE MANIFESTAÇÃO dos brasileiros estudantes de medicina no exterior”.
Os estudantes de Buenos Aires assim como de outras cidades argentinas como Rosário, La Plata e Santo Tomé estão se comunicando por grupos de whatsapp e pelas redes sociais com outros brasileiros estudantes de medicina da Bolívia, Uruguai e Paraguai.
Muitos brasileiros optam por estudar medicina no exterior pela facilidade de ingresso sem vestibular e pela qualidade de ensino. A Universidade de Buenos Aires, a UBA é considerada a melhor Universidade da América Latina sendo a única classificada entre as melhores 100 do mundo de acordo com o Ranking QS.
Compartilhe
Custo de vida em Buenos Aires (2019 - antes das eleições presidenciais argentinas)
18/09/2019 | 17h15
Quanto custa viver em Buenos Aires? Pergunta capciosa... porque a resposta é: depende.
Para entender melhor sobre o custo de vida em Buenos Aires, primeiro é preciso saber que existem duas Buenos Aires. Então que fique claro, existe CABA: Ciudad de Buenos Aires ou Ciudad Autónoma de Buenos Aires — também chamada Capital Federal por ser sede do governo federal — que é a capital da República Argentina; e existe a GBA que é a Grande Buenos Aires.
Por exemplo: quando você chega de avião no aeroporto Internacional de Ezeiza e vai para seu hotel na Recoleta, terá que sair de uma província de (GBA) e ir para um bairro da Capital (CABA). Muitos viajantes são pegos de surpresa ao visitar Buenos Aires pela primeira vez porque não sabem o quão distante e caro é se deslocar de Ezeiza à Capital.
Eu gosto de indicar para a ida e volta do aeroporto uma opção bem econômica e segura - tomar o ônibus Linha 8 (autopista) por 20 pesos (R$1,50). Logicamente existem as clássicas opções de taxi, Uber, Cabify e até mesmo um frescão especial (Tienda León), cada uma com seu preço, porém todas muito mais caras que o linha 8.
Antes de me mudar para a Argentina meus filhos estudavam em colégios particulares. Certamente se eu ainda estivesse no Brasil iria desejar, e cobraria do meu mais velho, que passasse no vestibular para uma universidade pública, o que pode ser muito difícil mesmo para um excelente aluno.
Em Buenos Aires, uma das vantagens de morar na capital é a qualidade do ensino público.
Sei que para muitas famílias brasileiras estudo é o "investimento" mais custoso do mês, em bom português, é um verdadeiro rombo no orçamento. Morando em Buenos Aires esse custo simplesmente desaparece!
Vale lembrar que a Universidade de Buenos Aires, a UBA, totalmente gratuita e sem vestibular (com ingresso direto garantido a cidadãos do Mercosul) é considerada melhor que a USP e a UFRJ, de acordo com o Ranquing QS. A consultoria britânica faz a classificação anual de 1.000 universidades, baseada em produção científica e a percepção de acadêmicos de todo o mundo entrevistando-os a cerca da reputação institucional das mesmas. Desde 2015 a UBA é a única universidade Ibero-americana, ou seja, de idioma português ou espanhol, entre as 100 melhores do mundo.
Tenha em conta que o que define, objetivamente, o patamar do seu custo de vida em Buenos Aires é, em última análise, o preço do aluguel. Veja o que aprendi desde que vim morar aqui.
Não importa o bairro ou o estilo de vida, os itens mais caros a pagar no mês são sempre o aluguel e as outras despesas mensais (expensas e ABL) que seriam o "condomínio". Na capital o aluguel de um quarto e sala está entre 16 a 22 mil pesos, dois quartos de 18 a 35 mil e 3 quartos de 27 a 42 mil. Existem, logicamente, apartamentos ainda mais caros que estariam na categoria de imóveis de luxo.
O câmbio hoje, em setembro de 2019, está favorável para quem tem receita em Reais (1 Real = 14 pesos). Outro fator importante é incluir o percentual de inflação. É comum reajustes semestrais de 15% nos aluguéis.
Alugar apartamento em Buenos Aires não é uma tarefa simples. Pode-se alugar um mobiliado por temporada de 6 meses e pagar à vista; ou por 2 anos e meio com garantia de um fiador (que da em garantia um imóvel na Capital ou província); ou com garantia bancária para quem tem emprego com carteira assinada há no mínimo 3 meses ou trabalha por conta própria há mais de um ano emitindo notas fiscais.
Internet, tv a cabo e telefonia seguem a mesma lógica do Brasil, as operadoras disputam a preferência dos consumidores e aí, você pode conseguir boas ofertas.
Vale lembrar que o gasto com gás é barato, mesmo com estufa a gás (calefação para o inverno). O gasto com luz pode sair caro se os aparelhos de estufa forem aqueles de ar condicionado sprint. Vale controlar e observar. Gasto com água é baratinho e às vezes está incluído no condomínio.
Gastos com academia de ginástica pode variar bastante, minha dica é fazer ginástica ao ar livre.
Plano de saúde é um assunto que merece uma matéria exclusiva. São muito diferentes do que estamos acostumados no Brasil. Os hospitais públicos de CABA são bem concorridos, é necessário chegar cedo e esperar. A "magia" de viver na capital, tem haver justamente com saúde e educação que são gratuitos e de qualidade. De maneira geral os gastos com saúde aqui são bem mais em conta que no Brasil, o mesmo não se pode dizer de remédios.
A opção mais em conta para ter assistência médica em clínicas e hospitais particulares é ter um plano de saúde a partir de um regime fiscal de monotributos. Qualquer pessoa pode escolher ser monotributista * , assim paga-se imposto mensalmente e pode-se emitir nota fiscal. Matriculado nesse regime você pode ter uma "Obra Social", que é como eles, aqui em Buenos Aires, chamam o plano de saúde. O gasto gira em torno de apenas 1200 Pesos e você pode incluir filho ou companheiro pagando 700 Pesos a mais para cada.
Por último, é preciso dizer que comprar roupa aqui em Buenos Aires é de maneira geral, caro. No entanto, todos nós sabemos que em se tratando de rechear o guarda roupa vale a velha lei da pesquisa de peças coringas, garimpar em outlets (aqui tem vários em Palermo e Villa Crespo) e ficar de olho em promoções, até mesmo em shoppings de luxo. Quando há promoção "rebajas", são pra valer! Podem-se encontrar bons preços em lojas de fábricas na rua Avillaneda (distrito de Flores), alguma variedade a preços competitivos na província de Olivos e também no bairro Onze que fica na Capital, mas este último peca pela qualidade.
Morar em uma grande cidade como Buenos Aires pode ser bem caro, mas também é possível fazer várias manobras para economizar de forma inteligente. O que torna a vida em Buenos Aires leve e divertida em relação ao Brasil não é a comparação de preços, pois como comentei isso pode variar muito.
O que faz valer a pena viver aqui é a qualidade de vida. Buenos Aires foi considerada, de acordo com o Jornal britânico The Economist, a segunda cidade mais segura da América Latina (Santiago do Chile levou o primeiro lugar), há uma infinidade de opções de entretenimentos gratuitos, cursos, muita oferta cultural e de lazer, clima frio e gostoso na maior parte do ano, arquitetura urbana maravilhosa, avenidas e calçadas amplas e planas, pouco trânsito na hora do rush, um sistema de transporte que funciona 24h com passagem bem mais baratas do que no Brasil e com muita qualidade.
Além de tudo isso, viver em Buenos Aires possibilita turbinar o seu espanhol! É uma grande conquista para qualquer pessoa adquirir fluência em um outro idioma. Parar de falar "portunhol" e aprender um perfeito castellano é um diferencial para o resto da vida, afinal, o idioma espanhol é o segundo mais falado no mundo, perdendo apenas para o Mandarim.
Nota: Monotributista: é Pessoa Física, mas com características muito similares ao micro empreendedor individual no Brasil, o MEI.
Compartilhe
Vale a pena visitar o Jardim Japonês em Buenos Aires?
02/09/2019 | 10h29
Buenos Aires é o primeiro destino internacional para muitos brasileiros. É como se fosse o nível inicial para se tornar um viajante mais ousado no futuro. Faz sentido, a capital portenha é barata para os vindos do Brasil, é um destino relativamente perto, dá para ir de carro para aqueles que tem medo de voar e o idioma não mete tanto medo como o Chinês ou o Alemão. Todos conseguimos falar um portunhol, e a verdade é que vários locais turísticos em Buenos Aires contam com profissionais bilingues e mesmo com brasileiros para fazer o atendimento a seus compatriotas. No planejamento da viagem para Buenos Aires começam as perguntas, vale assistir a um show de tango? Será que pego o citytour? Qual o melhor lugar para comer churrasco? Onde compro doce de leite, casaco de couro, alfajor?!!! E os passeios... vou ao Zológico de Lujan, ao Delta do Tigre, ao Jardim Japonês? O que vale a pena? Bom neste video eu dou algumas razões para você avaliar se vale ir, ou não, ao Jardim Japonês. Veja o Vídeo. O parque fica em Palermo e eu dou todas as indicações como de chegar.
Compartilhe
Buenos Aires é a segunda cidade mais segura da América Latina de acordo com o Jornal The Economist
31/08/2019 | 10h11
Buenos Aires é a segunda cidade mais segura da América Latina de acordo com o Safe Cities Index 2019 publicado pelo jornal britânico The Economist. Foram ranqueadas as melhores 60 cidades do mundo. A lista com as cidades tops do mundo é publicada anualmente, e neste ano de 2019, deu Tóquio na cabeça, resultado que já se repetiu outras vezes. Curiosamente além de ser eleita a mais segura, a capital do Japão é a metrópole mais populosa do planeta terra. O rol das top 5 cidades mais seguras em 2019 é composto por Singapura em segundo lugar, Osaka em terceiro, Amsterdam em quarto e Sydney em quinto.
Eu vivo em Buenos Aires e não falta quem me pergunte sobre como estão as coisas por aqui. Eu amo Buenos Aires há anos, sempre vinha como turista, e cultivava o sonho de morar aqui. Me sinto segura e tomo precauções normais que se devem tomar em toda cidade grande. Costumo dizer que o perigoso aqui em Buenos Aires é atravessar rua, tenho até um video sobre isso (aqui). Fora a loucura das faixas de pedestres, a capital federal mais charmosa da América Latina é segura, sob meu ponto de vista e de vários amigos cariocas que se sentem sitiados no Rio, e que aqui se soltam, Buenos Aires é bastante segura. Agora também posso contar com a pesquisa do The Economist para embasar minha opinião. Nem de longe Buenos Aires se assemelha a insegurança percebida no Rio, cidade onde eu nasci e fui criada; ou em São Paulo, cidade onde morei e estudei, ambas ranqueadas em 41º e 42º lugares respectivamente.
Agora que você já está sabendo que a segurança em Buenos Aires está bem cotada, visite sem medo a cidade e não perca minha próxima postagem aqui na Folha, sobre um passeio imperdível e super barato para nós brasileiros.
Compartilhe
Febre em Buenos Aires!
27/08/2019 | 13h21
A maior moda aqui em Buenos Aires é trabalhar em coworkings. Uma verdadeira febre! Existem várias opções de salas compartilhadas e preços distintos para cada tipo e bolso de empreendedores. Mesmo o turista que está de visita na Capital Federal, carinhosamente chamada de CABA pelos Bonaerenses, pode usufruir do conforto de um Cowork Café. Saiba como e por quanto sairia esse luxo assistindo o video.
Compartilhe
Sobre o autor

Gabi Casé

[email protected]