Ex-funcionários buscam patrimônio de Garotinho para receber direitos trabalhistas
16/07/2018 | 14h00
Os problemas de Garotinho na Justiça do Trabalho por conta da demissão de funcionários da empresa Palavra de Paz, sem o pagamento dos devidos direitos trabalhistas, devem aumentar bastante.
Sempre disposto a criticar e a “denunciar” duramente seus adversários e desafetos, Garotinho agora se vê obrigado a responder ao Inquérito Civil nº 001390.2018.01.000/5 – 28º Ofício Geral da PRT – 1ª Região/RJ (5), em face de AGP PRODUCOES EIRELI, xxxxxxxxxxxxxxx, de sua exclusiva propriedade, após a saída dos sócios Rosinha Matheus, Clarissa Matheus e Wladimir Matheus.
O blog entrou contato com representantes dos funcionários demitidos da empresa Palavra de Paz de Garotinho que tentam receber os seus direitos, e foi informada que eles permanecem sem receber, e que, de Garotinho, receberam apenas a promessa de que ele “tentaria futuramente quitar as pendências”.
 Ex-funcionários da Palavra de Paz em busca de patrimônio de Garotinho para penhora
 Diante da negativa de pagamento, os ex-funcionários, em situação difícil pela falta do pagamento, agora buscam alcançar algum patrimônio do ex-governador para penhora e leilão, com intuito de receber o que é devido por ele.
 “Não avançamos no sentido de uma ação positiva da parte do Garotinho. Apenas soubemos que ele ficou perplexo com a situação e que tentaria futuramente quitar as pendências. Nessa semana, alguns ex-funcionários foram ao Ministério Público do Trabalho prestar declarações no Inquérito. Estamos tentando buscar algum patrimônio dele para tentar receber algo”. 
 Patrimônio visível pífio, mas advogados caros…
 Como Garotinho sempre declarou não possuir mais do que a famosa “Casinha da Lapa”, as possibilidades de que os seus ex-funcionários sejam pagos parecem ser mínimas.
 O que se estranha é que ele fique devendo aos seus ex-funcionários, mas que esteja em uma dispendiosa pré-campanha eleitoral para governador do estado e que mantenha um caro escritório de advocacia para defendê-lo e a Rosinha em seus inúmeros processos.
 Na última semana, a sua esposa, a ex-prefeita Rosinha, na certeza da impunidade de quem pode pagar caros advogados, chegou a declarar em alto e bom som: 
 “Eu pedi a ele (Garotinho) pra não falar, mas pra mim… Eu não sou candidata a nada, se me prender o advogado vai me soltar… Então…” 
Compartilhe
Fuligem das queimadas, a Neve Negra de Campos, provoca reunião no INEA
12/07/2018 | 10h51
Art-Somos
Esta semana a cidade de Campos foi assolada por uma verdadeira tempestade de “neve negra”. Não relacionada à frente fria, mas à queima de canaviais, prática danosa à própria cultura da cana, ao meio ambiente, e à saúde humana.
 Com as queimadas, que liberam para a atmosfera gases de efeito estufa como dióxido de carbono, óxido nitroso, metano e a fuligem, crescem geometricamente os casos de problemas respiratórios. Além de tudo isso, e da sujeira da fuligem irritar, fazer mal, e dar trabalho aos campistas, ela é um péssimo cartão de visitas para o município.
Coagro diz que faz a sua parte
Frederico Paes, presidente da Coagro
Frederico Paes, presidente da Coagro
Diante dos questionamentos dos campistas, o Somos Online ouviu Frederico Paes, presidente da Coagro, responsável pela maior indústria sucroalcooleira da região, a Usina Sapucaia. Segundo ele, “A Coagro possui 10 colheitadeiras para colher cana sem queima. Sendo seis de grande porte e quatro pequenas. Ainda temos convênio com a UFRRJ, o Governo do Estado do Rio, e uma universidade da Alemanha, que desenvolveu uma máquina para os pequenos produtores.
 
 
A Coagro fez e faz a sua parte investindo mais de R$ 25 milhões em equipamentos para corte de cana mecanizado (sem queima) e mais R$ 8 milhões na indústria (limpeza seco) para receber cana crua (sem queima). Acontece que temos três usinas na região. É preciso saber o que as outras estão fazendo, pois a nossa cooperativa está seguindo o que determina a Lei Estadual nº 5990/2011 que prevê a extinção gradativa da queima de cana.”
Colheitadeira da Coagro
Colheitadeira da Coagro
Hoje haverá reunião de representantes das indústrias e fornecedores com o Inea para debater o problema.
Conheça a lei - LEIA MAIS AQUI
Compartilhe
Jonas Lopes delata: "Nada era feito no Rio sem anuência de Picciani"
09/07/2018 | 16h52
Jonas comprou 600 mil de gado de Picciani e pagou 500 mil com dinheiro de propina em suaves prestações de 50 mil reais
Jonas comprou 600 mil de gado de Picciani e pagou 500 mil com dinheiro de propina em suaves prestações de 50 mil reais
O ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro Jonas Lopes Júnior disse hoje (9), em depoimento no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro Jorge Picciani (MDB) era uma figura de grande influência na política fluminense, e que nada era feito no estado sem o seu consentimento.
 "Nada havia no estado que não fosse feito com a aquiescência do deputado", disse Jonas Lopes, que está em prisão domiciliar por integrar um esquema de corrupção no TCE.
 Jonas Lopes afirmou que Cabral e Picciani, além de aliados, eram amigos, e que ele próprio também tinha uma relação cordial com Picciani. "Uma relação que posso chamar até de amizade", disse.
O ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro afirmou que comprou gado de Picciani e usou dinheiro ilícito recebido no esquema no TCE para quitar a transação. A negociação foi uma forma de simular uma origem para o dinheiro, reconheceu Jonas Lopes no depoimento.
 O delator declarou que pagou R$ 600 mil pelos animais, mas R$ 500 mil foram por fora, sem a emissão de notas fiscais, em dez parcelas de R$ 50 mil. Os comprovantes só foram entregues a ele três anos depois, quando ele já havia assinado o acordo de colaboração com a Justiça.
 Além de Jonas Lopes, depôs hoje o operador financeiro de Sérgio Cabral, Carlos Miranda, que também assinou um acordo de colaboração premiada. Carlos Miranda detalhou que trabalhava para Cabral desde quando ele era deputado estadual, gerenciando uma conta única que recebia toda a propina arrecadada de construtoras e fornecedores do estado. 
Segundo Carlos Miranda, desde a década de 1990, quando presidiu a Alerj, o governador repartia os valores com Jorge Picciani. Em seu primeiro mandato como governador, Cabral determinou pagamentos eventuais a Picciani, que foram efetuados por Miranda. 
Quando Paulo Melo assumiu a presidência da Alerj, Carlos Miranda passou a transferir mesadas de R$ 700 mil a R$ 900 mil para o parlamentar, também a mando de Sérgio Cabral. O dinheiro era pago para garantir a tranquilidade do governo na casa legislativa, segundo Miranda. 
Já Picciani, segundo o delator, passou a receber uma ajuda mensal de R$ 400 mil de Cabral, quando tentou se candidatar ao Senado, em 2010, e não foi eleito. Em 2014, Picciani foi reeleito para a Assembleia Legislativa. 
 Os dois ex-presidentes da Alerj e o deputado Edson Albertassi serão ouvidos na tarde de hoje, a partir das 13h.
 Por Vinicius Lisboa – Repórter da Agência Brasil/Rio
 NOTA DO BLOG 
 O delator Jonas Lopes aparenta estar conduzindo muito bem as suas delações, na direção que deseja, e sem contar o que não lhe interessa. Falta gente de Campos Jonas…
Compartilhe
Garotinho responde a Inquérito Civil por demitir e não pagar funcionários do "Palavra de Paz"
13/06/2018 | 17h45
Sempre disposto a criticar e a “denunciar” duramente seus adversários e desafetos, Garotinho agora se vê obrigado a responder ao Inquérito Civil nº 001390.2018.01.000/5 – 28º Ofício Geral da PRT – 1ª Região/RJ (5), em face de AGP PRODUCOES EIRELI, CPF/CNPJ – 07496676000167, de sua exclusiva propriedade, após a saída dos sócios Rosinha Matheus, Clarissa Matheus e Wladimir Matheus.
O procedimento investiga a denúncia de não pagamento de salários e direitos trabalhistas a ex-funcionários do “Palavra de Paz”, que reclamam de terem sido demitidos sem a quitação das devidas verbas rescisórias.
Do ato preparatório para instauração do Inquérito Civil
“Defere-se o prazo de 20 dias para que a empresa se manifeste sobre os termos da noticia de fato que versa sobre atraso de 3 meses nos salários, não concessão dos vales alimentação e transporte, falta de recolhimento de FGTS e INSS, não registro dos contratos de trabalho em CTPS, coação para assinar termo de rescisão e fraude ao seguro-desemprego. Nesse prazo juntará, também, todos os documentos referentes a todos os prestadores de serviço que laboram ou laboravam com registro em CTPS ou por outros meios de contratação, indicando nomes completos, CPF’s e endereços residenciais”.
Instaurado o Inquérito Civil nº 001390.2018.01.000/5
Defesa de Garotinho nega, mas ex-funcionários contestam e justiça instaura Inquérito
A defesa de Garotinho, através da advogada Drª Christiany da Silva José alega, entre outras coisas:
“A Denunciada tem como principal atividade a venda online de artigos bíblicos, e desde o início do ano de 2016 vem passando por diversas dificuldades, inclusive financeira, que se agravou no ano de 2017, fazendo com que fossem tomadas medidas mais sérias, a contragosto de seu sócio.
Como a empresa Denunciada está praticamente parada, sem giro financeiro, foi inevitável dispensar seus funcionários no final de 2017, o que não se deu de forma repentina, pois foram chamados para conversar e entender a real situação da empresa que não tinha mais capacidade de mantê-los lá trabalhando, deixando somente em seu quadro dois empregados, sendo da área administrativa.
Portanto, a demissão foi necessária, não sendo de forma alguma fraudulenta, com devida formalização, inclusive quanto ao Seguro Desemprego que é direito do trabalhador ao ter seu contrato rescindido.
Os seus ex-funcionários tinham suas CTPSs devidamente registradas, não havendo parcelas salariais atrasadas.
A empresa Denunciada sempre concedeu auxílio alimentação e auxílio transporte e nunca se eximiu em fazer o pagamento dessas parcelas, que não integram o salário, e que muitas vezes eram pagas “em mãos”, como muitos funcionários preferiam.
Quanto às parcelas de natureza fundiária e de natureza previdenciária, os mesmos estão sendo postos em dia, pois, por motivos alheios à sua vontade, a empresa teve problemas em efetuar os depósitos dentro do prazo.
Sendo assim, mais uma vez, ratifica que a Denunciada não cometeu nenhum tipo de ilegalidade, que possa ensejar sequência ao presente procedimento, tendo em vista que a mesma, cumpre com todas as suas responsabilidades comerciais, fiscais e trabalhistas, não restando dúvidas quanto ao seu arquivamento.”
Funcionários contestam versão da defesa:
Procurado por nossa equipe um representante do grupo de ex-funcionários detalhou a situação que passam atualmente, mas pedindo para que seus nomes fossem preservados por motivos de segurança, relatando por escrito a sua versão dos fatos.
Compartilhe
Surpresa infantil:Garotinho no PRP anunciado na Folha seis dias antes
22/03/2018 | 20h25
A filiação de Garotinho ao PRP não foi novidade para quem acompanha a nossa coluna na edição impressa da Folha da Manhã.
Anunciada com um grande suspense, a notícia foi adiantada na edição da Folha de sábado, dia 17, seis dias antes do anúncio oficial, no Rio de Janeiro.
Erramos
Só nos enganamos em relação aos dois ônibus, pois há quem diga de o grupo da Facção Rosa de Campos não encheria dois Chevettes.
Na foto acima podem ser identificados cinco campistas, Maxuel do Braga, Wladimir Garotinho, Kelinho, Thiago Virgílio e Linda Mara Silva. Os três últimos condenados, assim como o líder Garotinho (ele a quase dez anos de prisão), no âmbito da Operação Chequinho da Polícia Federal, que apurou o escandaloso esquema de compra de votos com Cheques Cidadão, e afastados da Câmara Municipal de Campos por decisão do TRE.
Compartilhe
Condenados da Chequinho tentam Cautelar no TSE em Brasília
06/03/2018 | 11h54
Miguelito, Thiago Virgílio, Linda Mara e Ozéias tentam cautelar no TSE para ficar nos cargos
Após tomar cartão vermelho do TRE, que apontou a porta da rua da Câmara Municipal por compra de votos com Cheques Cidadão pagos com dinheiro público, Thiago Virgílio, Linda Mara, Ozéias e Miguelito foram para Brasília, onde estão tentando conseguir uma medida cautelar no TSE para se manter nos cargos de vereadores. Linda Mara e Ozéias já regressaram, mas Thiago Virgílio e Miguelito permanecem na capital, onde não podem ser notificados da sua saída da Câmara, um artifício infantil, já que podem ser notificados por edital no DO.
Para tanto foi contratado o milionário advogado eleitorialista Gustavo Severo, Mestre em Direito Constitucional e Especialista em Direito Eleitoral, coordenador jurídico-eleitoral da campanha presidencial da ex-presidente Dilma Rousseff em 2014, e que também advogou para o presidente Michel Temer.
Quem vai pagar a conta?
O que ainda não se sabe é quanto ele cobrou de honorários para defender o grupo de condenados na Chequinho e, muito menos, quem vai pagar essa polpuda conta.
Ovos na galinha
É bom lembrar que não adianta mais contar com os ovos ainda inseridos no contexto da galinha, pois o generoso Ministro Gilmar Mendes, sempre muito simpático aos componentes da Facção Rosa, já não está na presidência do TSE.
Compartilhe
Reunião de Garotinho é um fracasso. Promessas não convencem mais
27/02/2018 | 00h31
Arte/Somos
Apenas cerca de 200 pessoas atenderam a convocação de Garotinho para uma reunião eleitoreira nessa segunda-feira, em um clube da cidade.
Decadência
O fracasso da convocação do líder rosa mostra claramente a forte decadência política de um condenado a quase de anos de cadeia, em liberdade apenas precária, e da sua combalida Facção Rosa.
Certamente ele ficou muito decepcionado com o resultado da sua articulação sob o pretexto de cobrar programas sociais e ações por parte do Governo Rafael Diniz, após deixar o município como terra arrasada Para atender as suas próprias ambições políticas.
Campos não precisa de mais problemas
Melhor faria ele não fabricando mais problemas e deixando Campos e os campistas de lado para resolverem em paz os problemas causados por suas duas desastrosas gestões compartilhadas por mandato matrimonial com a esposa Rosinha.
Futuro sombrio
As responsabilidades pelos atos do casal começam a ser cobradas. Ambos já conheceram por dentro o sistema penitenciário do Estado, e vários processos e investigações estão em andamento contra os dois e muitos outros membros da sua facção.
Apesar da campanha eleitoral extemporânea, são mínimas as chances de que Garotinho possa se candidatar ao governo do estado. Além de estar sem partido após ser ejetado do PR, sua situação judicial é bastante complicada e projeta um futuro sombrio de tirar o sono de qualquer pessoa. Haja Rivotril...
Ilusões que não convencem mais
Pelo que se viu nessa segunda-feira, pouca gente ainda acredita em suas promessas de impeachment e novas eleições, nada mais do que uma desesperada tentativa de continuar iludindo os militantes que restaram à Facção Rosa com a perspectiva de tomar o poder em Campos e reaver as suas boquinhas perdidas nas tetas municipais. Promessas que, legalmente, ele sabe que não poderá cumprir, mas continua vendendo ilusões para os mais crédulos. E as repete tanto, que ele mesmo acaba acreditando serem verdades as mentiras que profere.
Faça as contas nas fotografias e confira os números do fracasso
Cerca de 60 pessoas sentadas no bloco à esquerda (filas de nove na vertical e de 8 na horizontal) com 12 cadeiras desocupadas ao centro, no bloco de cadeiras à direita pode-se contar cerca de 72 pessoas sentadas, e também cerca de 41 pessoas de pé ao lado e no fundo. Totalizando cerca de 173 pessoas nessa fotografia. Basta contar.
Contabilizando mais cerca de 21 pessoas na mesa, inclusive Garotinho, atrás dela, e mais uma militante subserviente sentada aos pés da mesa. Chegamos a uma estimativa de 194 pessoas, compensando com uma margem de erro, podemos dizer que, apesar do alto investimento, compareceram ao evento apenas cerca de 200 pessoas. Um pouco mais, ou um pouco menos. Mas um número que insere um grande fracasso na conta de quem já mobilizou milhares de pessoas, mas que agora vê a sua popularidade despencar inexoravelmente na ladeira do descrédito.
Crédito
Fotos do Facebook da deputada Federal Lilian Sá (Pros) que esteve no evento, mas não demonstrou o menor entusiasmo com o público minguado.
Compartilhe
Depois do chilique do CTI, Garotinho veio para Campos supervisionar a milionária campanha de adesivos contra Rafael
23/02/2018 | 18h07
A milionária encomenda de 30 mil adesivos contra o prefeito Rafael Diniz, feita pelo líder da Facção Rosa. Pois ela já ficou pronta e está sendo fartamente distribuída nos sinais de trânsito de Campos.
Não podia sustentar os filhos...
Obviamente, todos já sabem de quem parte a iniciativa, só não se sabe, ainda, como foi paga, mas, como ele sempre alardeia que não tem dinheiro em contas, presume-se que foi em dinheiro vivo, como sempre faz quando se trata de negócios pouco recomendados.
Quer fazer os campistas de fantoches
A estratégia é simples: manipular a população utilizando os veículos dos campistas para veicular uma campanha como se fosse de iniciativa popular, quando, na verdade, ela tem as digitais de Garotinho, que está em Campos para supervisionar, pessoalmente, a ação para atender aos seus sombrios interesses pessoais e eleitoreiros.
Quem está financiando essa campanha eleitoral negativa extemporânea?
O que ninguém explica é de onde vêm os recursos financeiros para bancar essa campanha eleitoral negativa, extemporânea e totalmente ilegal.
Seria interessante que o Ministério Público enviasse equipes aos sinais de trânsito para convocar esses militantes a dar explicações sobre a origem do material.
Questões para o Ministério Público apurar
Quem financia? Trabalham sob ordens de quem? Ganham quanto para fazer isso e quem paga?
Não seja usado
Agora, em mais uma deplorável manobra, o líder da Facção Rosa tenta fabricar uma manifestação e um adesivamento em massa de carros de campistas com o título “Fora Rafael”.
Seja você contra ou a favor do atual governo municipal, não seja usado como massa de manobra por Garotinho, o verdadeiro causador dos graves problemas que Campos atravessa.
Compartilhe
Justiça proíbe Walmart e Hortifrutti abrir aos domingos. Garanta o seu final de semana
08/02/2018 | 20h16
Pelo sim, pelo não, melhor se acostumar a fazer as suas compras no decorrer da semana durante a vigência do acordo experimental de quatro meses entre os sindicatos dos Comerciários e do Comércio Varejista de Campos.
A liminar que permitia Walmart e Hortifrutti abrir aos domingos foi revogada por decisão da Justiça Trabalhista, através do juiz Carlos Medeiros da Fonseca:
“Com a comprovação documental de que os sindicatos convenentes pretenderam apenas
estabelecer limites à jornada laboral dos empregados e definir o dia de repouso semanal remunerado, nos limites do que autoriza a lei, revogo a tutela de urgência”.
Dica de sobrevivência
Como decisão judicial é feita para ser cumprida, melhor abastecer a despensa e o freezer com antecedência e garantir o final de semana sem maiores atropelos.
Compartilhe
Áudios revelam como agem os rosáceos quando ninguém está vendo
17/01/2018 | 22h43
O Somos teve acesso a dois áudios vazados do grupo rosáceo de WhatsApp, neles, dois integrantes rosáceos (ou ex) mostram a realidade dos bastidores da facção rosa, falam da venda do futuro, e que Rosinha, Garotinho e a política do toma lá dá cá já passaram, também que Suledil deu graças a Deus por terem perdido a eleição pois não aguentariam até abril, e da tática de colocar pessoas e fakes nas redes sociais para ficar “plantando notícias e bater de frente com quem não interessa a eles”.
No primeiro áudio a pessoa se identifica como sendo Reinaldo Barbosa, identidade confirmada pelo seu interlocutor. Leia um pequeno resumo e ouça o áudio AQUI.
Reinaldo Barbosa
Venda do futuro
 “Para de meter o malho no rapaz. Vamos falar dos caras que deixaram ele tudo agarrado. Venderam os royalties do petróleo por vinte anos. Ficam dizendo amém para essas pessoas e metendo lenha no garoto. Batendo palmas para cego dançar”…
Toma lá dá cá
“Garotinho e Rosinha estão em outro patamar, Rio de Janeiro Brasília”…
“Políticos velhos, aquela coisa de toma lá dá cá. Negocinho de me dá issozinho aqui toma issozinho ali”…
“Trabalho desde 9 anos… Nunca tive brinquedo… E nem por isso sou mau caráter”…
“Vamos começar tudo de novo. Quem já foi e fez muito bom. Oba! Graças a Deus. Vamos bater palmas a vida inteira. Mas esse cara quer essa coisa de novo. Aí a gente volta para a mesmice…”
“Arnaldo foi bom, Mocaiber foi bom, Garotinho foi bom, Rosinha foi boa, Zezé foi bom, mas já passaram…”
Marcos Soares
No segundo áudio o ex-secretário de Defesa Civil de Rosinha Marcos Soares, identidade confirmada em contato com o Somos, responde a Reynaldo Barbosa Lemos:
 O povo elegeu
 “Reynaldo é muito importante essa sua colocação. Eu perdi a eleição para esse rapaz Rafael…”
 “Se eles acertaram ou erraram, o povo que botou eles lá… Agora, não seria diferente se a gente tivesse ganho a eleição…”
 Agradecendo por ter perdido a eleição
 “O próprio Suledil inúmeras vezes falou: Graças a Deus que nós perdemos, porque a gente não ira aguentar até abril…”
 Reconhecimento
 “Esse pessoal aí está tocando a prefeitura começou a dar algum problema em dezembro, mas garotada aguentou bastante…”
 Suledil sabia que não aguentariam
 “Se o próprio Suledil, com a grande experiência que tinha, disse para todos nós que não aguentaria até abril se a gente ganhasse a eleição, não seria diferente do que a gente poderia fazer se assumisse a prefeitura…”
 “Tem gente que gosta de plantar só desgraça. Quanto pior melhor, pra se dar bem falando mal das pessoas…”
 “Eu boto a minha cara na reta, eu não uso fake. Tem gente que entra aqui defendendo, você vai lá essa pessoa não existe. Eu sei como funciona, eu trabalhei lá. Eles apanham essas pessoas para ficar plantando notícias, ficar batendo de frente com quem não interessa a eles. Isso aí é a forma de eles agirem…”
 “Quem está falando mal, é quem quer voltar para o poder…”
 “Poucas pessoas do povo tem noção de tudo que está acontecendo…”
Compartilhe
Sobre o autor

Esdras

[email protected]

Categorias