Doação de sangue é promovida pela Inter TV
11/02/2017 | 14h29
Michelle Richa
Estoques estão abaixo do que é preciso em Campos / Michelle Richa
O Hemocentro de Campos do Hospital Ferreira Machado precisa de 70 doações diárias para manter o estoque equilibrado, mas tem recebido apenas 20 doadores por dia. Com a aproximação do Carnaval, esse baixo estoque preocupa ainda mais. Com o intuito de promover a doação de sangue, a Inter TV realizará ações na emissora, que tem participação do Grupo Folha, no Norte e Noroeste Fluminense.
Na próxima quinta-feira, dia 16, das 8 h às 16 h, a unidade móvel do Hemocentro estará no pátio da emissora para receber os voluntários. Para facilitar a ida das pessoas, a Campanha Táxi Solidário e Inter TV, uma parceria com uma cooperativa da cidade, buscará os doares em casa e depois os levará de volta, sem nenhum custo.
Além da doação, a pessoa que participar da ação, conhecerá os bastidores da Inter TV. Os apresentadores Cléber Rodrigues e Valéria Vieira estarão presentes tirar fotos com o público.Parceiros de peso vão star presentes para dar o bom exemplo: Bombeiros, Moto Club de Campos, Basquete sobre rodas, entre outros.
— A Inter TV sabe o quanto o Campista é solidário. Esperamos um grande número de doadores no dia 16. A nossa parceria com a cooperativa de táxi facilitará o deslocamento dos voluntários. E nós vamos entrar nessa corrente não só promovendo a ação, como também doando sangue — disse a gerente de Comunicação e Responsabilidade Social da emissora, Cristiane Armond.
Para ser um doador é necessário:
· Estar em boas condições de saúde
· Apresentar documento oficial com foto
· Ter entre 16 e 69 anos de idade
· Doadores de 16 e 17 anos precisam de autorização dos responsáveis
· Ter peso acima de 50Kg
· Não precisa estar em jejum
· Orientações completas: 0800 282 0250
Serviço:
Endereço: Av. Doutor Sílvio Tavares, nº826, Parque Leopoldina
Doação de 08h as 16h
Telefone: (22) 2647-9965/ (22) 2726-8260
Para agendar a corrida de táxi: 0800-282-9091 
Comentar
Compartilhe
Segundo Encontro de Jipeiros vai animar Farol de São Thomé
07/02/2017 | 17h49
Divulgação
Off Road e encontro de jipeiros em Farol / Divulgação
Um fim de semana de muita adrenalina no Farol de São Thomé, os amantes de Off Road não podem perder o II Encontro de Jipeiros que acontece nos dias 11 e 12 de fevereiro no Balneário Campista. A entrada é gratuita para veranistas e moradores. Jipeiros dos Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santos e Minas Gerais confirmaram presença.
Segundo o presidente do Jeep Club de Campos, Everaldo Mello, um dos organizadores do evento os jipeiros vão participar de trilha e competir na pista de obstáculos.
— No sábado de manhã vamos fazer a trilha pela região, já a tarde os pilotos vão fazer os treinos livres na pista de obstáculos. Domingo a programação começa bem cedo a partir das nove horas da manhã na pista e em seguida tem o arrancadão na lama, que promete ser um dos pontos altos do encontro — disse.
E não pense que o esporte é praticado apenas pelos homens, tem muitas mulheres que se aventuram no volante. Pensando nelas foi montada a Ala do Batom, onde as jipeiras vão mostrar todo o talento sobre quatro rodas, de preferência numa pista bem irregular e cheia de desafios.
O evento, que conta com apoio da Prefeitura Municipal de Campos, vai acontecer no bairro Rádio Velho, próximo ao Alambique do Lelei. E quem quiser participar precisa fazer a inscrição no local do encontro.
“Toda comunidade esta convidada para assistir a disputa. A entrada do público é gratuita. Quem for participar paga a taxa de inscrição com direito a almoço no sábado, camiseta do evento e entrega de troféu. Já confirmaram presença jipeiros de Campos, Quissamã, São João da Barra, Região Serrana do Estado do Rio e competidores de Estado vizinhos como Espírito Santo e Minas”, finalizou.
PROGRAMAÇÃO:
Sábado – 11/02
9h – Inscrições, café da manhã e saída para trilha. No meio do caminho parada para almoço.
15h – Chegada da trilha e treinos livres na pista de obstáculos
18h – Encerramento
Domingo – 12/02
9h – Competição na pista de obstáculo e arrancadão na lama
14h – Encerramento do evento
Comentar
Compartilhe
Prova do concurso do IFF tem nova data
27/01/2017 | 15h46
A Comissão do Concurso Público do IFFluminense informa que, por solicitação da empresa contratada por meio de licitação na modalidade Pregão Eletrônico, Metrópole Soluções Empresariais, responsável pela organização e realização do Concurso Público, a realização da prova foi alterada para o dia 19 de março de 2017.
Rodrigo Silveira
Fachada do IFF, campus Centro / Rodrigo Silveira
Os candidatos deverão ficar atentos aos Editais de Retificação n° 006/2017, referente ao Concurso Público para Professor, e n° 007/2017, referente ao Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação, que alteram outras datas no cronograma, como a Confirmação de Inscrição e a Prova de Desempenho Didático (este último, para o cargo de professor).
O resultado final dos dois concursos públicos está previsto para o dia 27 de abril de 2017. Outras informações em www.selecoes.iff.edu.br.
Sobre o Concurso - São ofertadas 11 vagas para administrativos, sendo: uma para nível de classificação C; quatro vagas para nível de classificação D; e seis vagas para nível de classificação E. As vagas são para: Auxiliar de Enfermagem, Assistente em Administração, Revisor de Texto Braille, Auditor, Bibliotecário/Documentalista, Estatístico, Jornalista e Pedagogo. A remuneração varia de acordo com o nível de classificação, respectivamente: R$ 1.834,69; R$ 2.294,81; e R$ 3.868,21.
A seleção para técnico-administrativo será constituída de prova objetiva, aplicada no município de Campos dos Goytacazes, preferencialmente nos campi do IFFluminense, no dia 19 de março de 2017, das 14h às 18h, em local divulgado por meio do Cartão de Confirmação de Inscrição.
Já para professor, são cinco vagas para as seguintes áreas: Automação Industrial, Desenho Técnico, Engenharia Elétrica, Língua Inglesa e Química. O Concurso será estruturado em três etapas: prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório – a ser realizada no dia 19 de março de 2017, das 8h30min às 12h30min; prova prática de desempenho didático, de caráter eliminatório e complementar à prova objetiva e; prova de títulos, de caráter apenas classificatório.
O vencimento básico é no valor de R$ 4.234,77 para professor em regime de trabalho de 40 horas semanais com dedicação exclusiva. De acordo com a formação acadêmica, o professor poderá requerer Retribuição por Titulação (RT), cujos valores são acrescidos ao seu salário-base.
O servidor público federal ainda faz jus aos seguintes benefícios: auxílio alimentação, no valor de R$ 458,00; auxílio pré-escolar, no valor de R$ 321,00; auxílio saúde; e auxílio transporte.
Fonte: Ascom/IFF
Comentar
Compartilhe
Plantio de 300 árvores à beira do Paraíba
25/01/2017 | 14h56
Rodrigo Silveira
Rio Paraíba receberá 300 árvores / Rodrigo Silveira
O Projeto Capivara do IFF Campus Campos-Guarus vai participar do plantio de 300 árvores às margens do Paraíba do Sul, em Campos, durante as comemorações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, no rio. A imagem peregrina de Nossa Senhora passará pelo município no próximo domingo, dia 29, em evento realizado pelo Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.
A programação envolve uma missa, às 7h; logo após, carreata, a partir das 8h30min, que sairá do Convento em direção à Ponte General Dutra até a Estação da Coroa; às 9h, está previsto o plantio de árvores nativas da Mata Atlântica na Estação da Coroa; e, às 9h30, a imagem navegará pelo rio Paraíba até o Cais da Lapa, onde serão plantadas outras árvores. Após, às 10h30, será realizada a Missa dos Fiéis Devotos.
O projeto de extensão Capivara – em busca do equilíbrio ambiental – foi criado em 2014 por então alunos do Curso Técnico em Meio Ambiente do IFF e visa entender e buscar soluções para mitigar os principais impactos ambientais existentes no Rio Paraíba do Sul. Entre as ações realizadas, estão, além do plantio de árvores, palestras, caminhadas ambientais e atividades de educação ambiental junto à comunidade.
— Sugerimos unir a passagem da imagem pela cidade com o plantio de mudas porque, como o projeto já atua no rio Paraíba do Sul, há toda uma simbologia em torno da imagem de Nossa Senhora, que foi encontrada por pescadores, no rio Paraíba, em uma época de escassez”, explica Cleber Fiúza, integrante do projeto e, atualmente, aluno da Engenharia Ambiental. Participam ainda da equipe Luiz Elpídio Moser Martins, também aluno da Engenharia, André Luis da Silva, Dolmiro da Penha e Marcelo dos Santos Silva, ex-alunos do Técnico, sob a orientação dos professores Carlos Eduardo de Souza e Milton Erthal Junior.
Fonte: Ascom/IFFluminense
Comentar
Compartilhe
Exército em Campos troca de comando
19/01/2017 | 15h52
Folha da Manhã
Troca de comando vai acontecer nesta sexta-feira / Folha da Manhã
Desde o fim do ano passado, o 56º Batalhão de Infantaria de Campos foi reduzido à 2ª Companhia de Infantaria, que nesta sexta-feira, dia 20, terá a sua primeira troca de comando. A cerimônia será às 10h nas suas instalações em Guarus. O capitão de infantaria Fernando Alves Carvalho passará o comando ao major de infantaria Guilherme Bottrel Carvalho.
A solenidade será presidida pelo comandante do Grupamento de Unidades Escola/9ª Brigada de Infantaria Motorizada, o general de brigada Ramon Marçal da Silva. 
Para esta data festiva foram convidados o prefeito de Campos, Rafael Diniz, o presidente da Câmara Marcus Welber Gomes da Silva, militares da ativa e reserva, autoridades, personalidades civis e a população de Campos e região.
Comentar
Compartilhe
Caminhos para ampliar
17/01/2017 | 15h15
Rodrigo Gonçalves
Amanhecer em Grussaí, litoral de São João da Barra / Rodrigo Gonçalves
Durante quase sete anos tenho um blog na Folha Online fazendo referência ao programa que apresento na Plena TV, o Folha no Ar. Agora, o nosso blog tem novo nome e além de reportar as nossas entrevistas na TV vai também ampliar a sua rede de informações. Então, sejam todos muito bem vindos ao “Caminhos”... 
Comentar
Compartilhe
Ponto Final — Rosinha fora da prefeitura e Edson foge da Câmara
24/11/2016 | 11h07
Ponto-final1 “Interesses particulares” Enquanto o “prefeito de fato” Anthony Garotinho (PR) se recupera de um cateterismo na prisão domiciliar em um apartamento no Flamengo, no Rio, a sua esposa e prefeita de Campos Rosinha pediu licença de três dias para “tratar de interesses particulares”. Mas, fica a dúvida: Quem estava administrando Campos durante esse conturbado período pessoal e político da prefeita? Ela estaria fora do município, segundo informações extraoficiais há 20 dias, dedicando os últimos deles ao seu marido, inclusive tentando evitar a conturbada transferência do mesmo para Bangu. Chicão na transição? Com a licença oficial de Rosinha, quem assume é o vice Dr. Chicão (PR), que não tem tido muita evidência na atual gestão depois da derrota, como candidato governista, em primeiro turno para Rafael Diniz (PPS). Chicão assume, mesmo que rapidamente, no momento crucial de transição de governo, inclusive com o pedido feito por Rafael, através do futuro procurador José Paes Neto, para que os rosáceos suspendessem quatro licitações de terceirizações, anunciadas nesta reta final. Uma reunião para tratar sobre o assunto já até aconteceu, mas poucos foram os avanços. Até quando? Se a licença oficial de Rosinha se prolongará, só o tempo dirá, mas fato é que a situação da prisão domiciliar de Garotinho ainda se estenderá mais um pouco. Ontem, o habeas corpus do ex-secretário de Governo não entrou na pauta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a assessoria de imprensa de lá enviou nota informando que “não tem previsão para entrar em julgamento”. No domicílio Na decisão que deferiu a transferência de Garotinho de Bangu para o hospital particular (Quinta D’Or), dia 18, a ministra Luciana Lóssio afirmou que o julgamento do mérito do habeas corpus pelo plenário seria nesta semana. Enquanto, não sai a decisão, Garotinho segue em “seu domicílio”, como determinou também a ministra, com quem o próprio ex-governador revelou em grampos telefônicos, autorizados pela Justiça, ter contato. Fim de carreira Como esta coluna mostrou ontem, o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista, continua tendo uma postura subserviente a quem ele chama de “comandante”. Ao invés de ouvir vereadores, Edson ouviu vaias dos que acompanhavam a sessão e esperava um posicionamento da Câmara sobre todo esse momento nebuloso vivido com o “escandaloso esquema” de compra de voto com uso do Cheque Cidadão. Como mostra reportagem na página anterior, Edson encerrou a sessão alegando não ter pauta, mesmo com quórum suficiente. Ao tentar blindar o seu “comandante” Garotinho, Edson tem dado um questionável fim à sua carreira política. Ato no Fórum E ainda dentro de toda polêmica que envolve o “escandaloso esquema”, a associação de Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj), vai promover um ato de desagravo ao juiz Glaucenir de Oliveira no Fórum de Campos, em 6 de dezembro, às 14h. A associação considera que o magistrado está sendo alvo de acusações infundadas e exerceu sua função de acordo com a lei na prisão de Garotinho, em atuação isenta e firme. Por conta de outra situação, o ato também vai ser em defesa da juíza Paloma Rocha, que, segundo a Amaerj, foi desacatada em audiência no 2º Juizado Especial Cível, por dois advogados. Parcerias para mudar Enquanto um governo se despede da pior forma possível, o que se iniciará em 2017 tem feito de tudo para justificar a sua vitória ainda no primeiro turno. O eleito Rafael Diniz tem participado de encontros importantes, como na Firjan, para discutir a geração de empregos; no 8º BPM, para buscar parcerias no combate à crescente criminalidade; e ainda na Defensoria Pública em Campos, onde ao lado do advogado José Paes Neto, futuro procurador geral do município, discutiu com defensores “a implementação da Câmara Técnica, que vai ajudar a reduzir o número de processos na área da Saúde e dar mais efetividade às demandas da população no que diz respeito a medicamentos e leite especial, por exemplo”.
Comentar
Compartilhe
Ponto Final — Comandante também da Câmara?
23/11/2016 | 10h44
Ponto-final1 (1) Extensão da Prefeitura? Presidida por Edson Batista (PTB) e com maioria governista, a Câmara de Campos acumula, nos últimos anos, episódios que colocaram em xeque o verdadeiro papel do Legislativo. Apontada diversas vezes por oposicionistas como uma extensão da Prefeitura e dos desmandos do “prefeito de fato” Anthony Garotinho (PR), o presidente da Casa, perto de se aposentar na política, deu mais um exemplo disso. Câmara omissa Após três semanas sem a realização de sessão plenária, a Câmara abriu as portas para o povo acompanhar os trabalhos. Quem foi esperando debate acirrado ficou frustrado. O presidente da Casa, Edson Batista, não abriu oportunidade de debate, principalmente político, mesmo quando todos os holofotes estão voltados para Campos com o escândalo do “Chequinho”, onde o próprio Edson aparece em grampos telefônicos chamando Garotinho, que foi preso como chefe, de “comandante”. Mandado por Garotinho Escutas telefônicas mostram ainda que o presidente Edson procurou Garotinho ao saber que seria notificado para assumir a Prefeitura devido à cassação de Rosinha Garotinho (PR) e Dr. Chicão (PR) pelo Tribunal Regional Eleitoral. Após pedir orientação do líder do grupo político, Batista convocou uma coletiva de imprensa e não tomou posse, contrariando a decisão da Corte Eleitoral fluminense, que pede a condenação dele por desobediência. De fiel a Fidel A figura de Edson como fiel escudeiro de Garotinho nunca foi escondida, nem por ele mesmo. Até pensou em ser o nome indicado pelo ex-governador à Prefeitura de Campos, mas “abdicou” não só dessa disputa, mas também de mais um mandato na Câmara. Com Edson, Garotinho protagonizou defesas do atual governo na tribuna da Câmara, sem que vereadores pudessem rebatê-lo, como deveriam. Foi também decisão do presidente não convocar concursados, apesar de ordem judicial. Vale ressaltar que entre os aprovados, talvez tivessem pessoas que não ditam a cartilha rosácea. E por que não se orgulhar de ser chamado de Fidel Castro? Não aprendeu? Mas agora, quando poderia encerrar a sua carreira política de forma diferente, mais uma vez Edson repete o erro que deu ao seu grupo uma derrota nas urnas. Na tarde da última segunda, a assessoria do presidente da Câmara até informou que as sessões dessa terça e hoje aconteceriam normalmente, às 17h. Não mentiu até agora, isso porque no normalmente de Edson também constam corte do debate e da palavra livre dos vereadores, especialmente os de oposição. Momento nebuloso O vereador Marcão Gomes (Rede) já havia externado a sua decepção de que “neste momento nebuloso pelo qual passa a administração de Campos, quando está sendo apresentado à sociedade o maior e escandaloso esquema de compra de votos, apenas o Legislativo ainda não tenha se posicionado”. Quatro vereadores em exercício chegaram a ser presos na “Operação Chequinho”: Ozéias (PSDB), Thiago Virgílio (PTC), Kellinho (PR) e Miguelito (PSL), todos reeleitos. No “esquema” Além dos vereadores presos, a Câmara ainda tem outros investigados na atual gestão e novatos que podem chegar a não assumir, já que Justiça tem julgado os envolvidos no “escandaloso esquema”. Surpreendente, inclusive, foi a presença do vereador eleito Vinícius Madureira (PRP) na audiência de ontem, levando-se em consideração a ausência dos demais rosáceos investigados nos julgamentos. Renovação O que resta agora é apostar no novo e torcer para que haja de fato uma limpeza na próxima legislatura. Acompanhar a eleição para a nova mesa diretora e esperar uma relação bem diferente entre os poderes. Acabar co m a submissão e trabalhar com cooperação. A esperança é a de que o futuro prefeito, o também vereador Rafael Diniz (PPS), não trate os eleitos de 2017 como muita vezes foi tratado, mas com isso ele já se comprometeu.
Comentar
Compartilhe
Ponto Final — Quanto mais mexe, mais fede
22/11/2016 | 10h53
Ponto-final1 (1) Só piora O ditado popular de quanto mais mexe, mais fede não é surpresa quando se trata das investigações do “escandaloso esquema” de compra de voto com o uso do Cheque Cidadão. Grampos feitos com autorização da Justiça têm confirmado o que muitos já desconfiavam sobre a forma de Anthony Garotinho (PR) fazer política, vista por muitos como suja. Recorrer a instâncias superiores para tentar mudar os rumos da investigação, que o prendeu, tem deixado de ser uma desconfiança para se tornar cada vez mais certa, como revela ligações telefônicas interceptadas. Deu no Fantástico Além de uma gravação revelando, segundo investigadores, uma manobra do ex-governador para obstruir os trabalhos da Polícia Federal e do Ministério Público, na qual Garotinho buscava contato com o novo corregedor da PF no Rio, outras duas conversas interceptadas e reveladas pelo Fantástico, da Globo, mostra o interesse do ex-governador também por um contato de sua defesa com uma velha conhecida, a ministra Luciana Lóssio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a mesma que o liberou de Bangu para um hospital particular, concedendo inclusive prisão domiciliar. No áudio, o próprio Garotinho afirma ter contato com a ministra. Se antecipou As tentativas de descredibilização das autoridades que têm atuado no combate ao “escandaloso esquema” são marcas do grupo garotista não só nestas investigações. Ciente disso, o juiz da 100ª Zona Eleitoral, Glaucenir Silva de Oliveira, se antecipou ao ataques agora sofridos. Quando determinou a prisão de Garotinho, ele fez questão de utilizar uma postagem feita no blog do próprio ex-governador, na qual o mesmo ressalta como benéfica a atuação de Glaucenir no lugar de Ralph, que está de férias. Garotinho destacou que o magistrado não tem qualquer ligação com grupo político. Mirou Mas bastou a prisão e a Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro requerer à Polícia Federal que instaure um inquérito para apurar possível tentativa de suborno feita por Garotinho e seu filho Wladimir Matheus, buscando evitar a prisão de ambos, para que a defesa do ex-governador mirasse também Glaucenir. Além de pedir a prisão de Garotinho também foi o magistrado que determinou a transferência de Garotinho do Hospital Souza Aguiar para Bangu. Para justificar Agora, a defesa do ex-governador e de seu filho, representada pelo renomado advogado Fernando Augusto Fernandes, pediu a abertura de inquérito policial para investigar o juiz. A defesa acusa o juiz do cometer o crime de denunciação caluniosa. No comunicado enviado à imprensa a defesa fez questão de listar “episódios polêmicos envolvendo o magistrado, entre eles um de abuso de autoridade contra uma guarda municipal e a ameaça com arma a um empresário dentro de uma boate”. Sem ter como apontar qualquer vinculação política do magistrado, o caminho foi outro. Para onde vai? A expectativa agora é para uma possível alta de Garotinho hoje e seu destino. O mais provável é que ele cumpra a prisão domiciliar na sua única “casinha da Lapa”, em Campos, já que o apartamento do Flamengo, no Rio, onde foi preso, estaria em nome da filha de uma funcionária da família. A volta de Garotinho para Campos resultaria também na da prefeita da cidade. A esposa dele, que o exonerou, ontem, da secretaria de Governo, poderia estar mais presente neste momento crucial de transição do seu governo para o eleito Rafael Diniz (PPS). Transição Ontem, teve mais uma reunião entre as equipes dos governos. O encontro foi tranquilo, mas com tom preocupante. O futuro procurador do município José Paes Neto, pediu em nome do prefeito eleito, para que os rosáceos suspendessem quatro licitações de terceirizações publicadas recentemente no jornal carioca “Extra”. Outra reunião para tratar especificamente do assunto ficou de acontecer. Antes mesmo da transição começar, o governo Rosinha assinou uma série de contratos e aditivos com prazos que chegam a todo o primeiro ano do governo Rafael Diniz. Um deles vai até 2018.
Comentar
Compartilhe
Ponto Final — Abaixo-assinado digital “Câmara Limpa”
07/11/2016 | 13h34
Ponto-final1 (1) Pressão na internet Quando criado, dois dias depois da eleição municipal, o abaixo-assinado digital pedindo uma “Câmara Limpa em Campos dos Goytacazes” foi imediatamente aderido, mas algumas pessoas ainda duvidavam se o que era pedido nele realmente seria capa de acontecer. O documento reivindica, desde o dia 04 de outubro, que a Justiça Eleitoral desse celeridade no julgamento da denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE) sobre o que foi classificado como “escandaloso esquema” envolvendo a suposta distribuição do Cheque Cidadão por troca de votos durante a campanha eleitoral. Ainda no ar Criado por Natassia Lima Mayerhoffer no site “change.org”, o abaixo-assinado ainda está no ar e até ontem estava bem perto de atingir a sua meta de 7.500 assinaturas, faltando 429. A proposta surgiu quando ainda não se tinha exata noção de tão grande era o esquema e as proporções que ele iria tomar com a Operação “Vale Voto” e seus desdobramentos com a Chequinho I e II, inclusive com prisões de rosáceos feitas pela Polícia Federal. Começam amanhã O apelo feito não só por aqueles que tiveram acesso ao documento eletrônico, mas grande parte dos eleitores campistas foi ouvido e amanhã já acontecem as primeiras audiências de instrução e julgamento dos 11 candidatos a vereador denunciados que foram eleitos. Nesta terça, serão julgados os vereadores eleitos Roberto Pinto (PTC) e Ozéias (PSDB). Na sexta, Jorge Rangel (PTB) e Jorge Magal (PSD). Já na semana seguinte acontecerão os julgamentos vereadora eleita e ex-secretária particular de Rosinha, Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Thiago Virgílio (PTC), Cecília Ribeiro Gomes (PT do B),Vinicius Madureira (PRP), Thiago Ferrugem (PR) e Kellinho (PR). A polêmica da estátua (I) Mesmo com o retorno da estátua de Nilo Peçanha ao seu lugar de origem na avenida com o mesmo nome do político, o Ministério Público Estadual, em resposta a uma denúncia do Observatório Social de Campos, instaurou inquérito para apurar a sua retirada. A Folha mostrou na última semana a volta do monumento, inclusive ainda suja. O MPE quer que o Conselho de Preservação do Patrimônio Arquitetônico Municipal (Coppam) explique a razão da retirada. A polêmica da estátua (II) De acordo com o presidente do Observatório, o arquiteto Renato Arêas Siqueira, será feita uma complementação da informação ao Ministério Público, dizendo que a estátua retornou sem a limpeza: “Queremos apurações de quanto custou tudo isso, conforme a nossa representação inicial. O retorno da estátua longe de ser um atenuante, é um agravante devido a absolutamente nada ter sido feito, em desacordo com a argumentação que supostamente justificava a retirada”, afirma. Redação do Enem A redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 seguiu tendência das provas dos últimos anos de tratar temas sociais. O tema deste ano foi “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”. O tema intolerância religiosa também apareceu entre os top 10 da rede social e também criou polêmicas. Muitos usuários citam questões políticas como a influência da bancada evangélica no Congresso Nacional e mesmo a eleição de candidatos no pleito municipal ligados às igrejas evangélicas. Nos EUA Ontem, a 48 horas das eleições dos Estados Unidos, a candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, apareceu com cinco pontos percentuais à frente do republicano Donald Trump, segundo pesquisa de intenção de votos divulgada pelo jornal The Washington Post, em parceria com a rede de TV ABC News. A pesquisa veio como um alívio momentâneo à campanha de Hillary Clinton, mas ainda não traz segurança sobre o que vai ocorrer no dia da eleição, marcada para amanhã.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Rodrigo Gonçalves

rmota@fmanha.com.br

BLOGS - MAIS LIDAS