Heloísa Landim fala das ações junto aos idosos durante a pandemia
29/06/2020 07:55 - Atualizado em 29/06/2020 22:28
Heloísa Landim
Heloísa Landim / Divulgação - Supcom
Secretária de Envelhecimento Saudável e Ativo de Campos, Heloísa Landim foi a entrevistada desta segunda-feira (29) do Folha no Ar, da Folha FM 98,3. Ela falou sobre o trabalho desenvolvido pela pasta desde 2017, em destaque neste mês com as ações do “Junho Violeta”. Heloísa ainda comentou sobre a série de adaptações impostas pela pandemia do novo coronavírus, uma vez que o seu público alvo é classificado como do grupo de risco. A interação é mantida pelo uso de plataformas virtuais, uma vez que os assistidos pela secretaria já desenvolviam atividades para utilização da internet e das redes sociais. A grade inclui aulas para manutenção de atividades físicas e palestras, entre outras atividades.
O secretário nacional Antônio Costa participou de uma das lives promovidas este mês e elogiou as ações desenvolvidas pela secretaria. Segundo Costa, Campos sai na frente no que concerne a promover qualidade de vida aos idosos. O secretário ainda afirmou que, após a pandemia, Campos vai ganhar mais um polo do Programa Viver, que atua com atividade física, prevenção da saúde, educação social continuada e a questão da inclusão digital. O município é o único do Rio de Janeiro a já contar com o programa. Heloísa atribuiu o reconhecimento nacional ao trabalho do prefeito Rafael Diniz (Cidadania), de toda equipe técnica da secretaria e ao empenho dos idosos:
— Acredito que essa referência nacional tenha sido pela disposição do governo municipal em arregaçar as mangas e ter esse olhar efetivo e atrativo para os idosos. E, principalmente, pelas entregas. A gente não pode ficar atrás de mesas, no campo das dificuldades, uma palavra que não faz parte do nosso vocabulário. E há um incentivo permanente, do próprio prefeito, no sentido de a gente avançar nas políticas públicas tão importantes para o empoderamento da pessoa idosa e que dê visibilidade ao idoso. O idoso é invisível, muitas das vezes. A gente vê o quanto a violência à pessoa idosa é praticada em nível nacional. Nossa missão é dar visibilidade e empoderamento, por meio da nossa equipe técnica, que merece os aplausos neste momento junto com os idosos.
Sobre as ações do “Junho Violeta”, uma programação instituída pela Organização das Nações Unidas, a ONU, Heloísa observa que desde 2017, o município de Campos desenvolve uma programação com várias vertentes. A violência contra o idoso, foco da campanha, se consolida no plano da negligência; no plano financeiro, com o crime econômico-financeiro; o crime de abuso sexual contra a pessoa idosa; e o crime de violência física. “Nossa secretaria já implementa diversas ações afirmativas do ponto de vista da proteção do idoso. Desde janeiro de 2017 implantamos aqui, com o prefeito e nossa equipe, uma rede de proteção social para o envelhecimento saudável e ativo e no mês de junho não é diferente. A gente só potencializa, amplia, difunde cada vez mais, chama o idoso para perto, mesmo na pandemia, e seus familiares também”, afirmou.
Heloísa Landim descartou a possibilidade de retorno imediato das atividades junto aos idosos, que são do grupo de risco da Covid-19, inclusive pelo fato de muitos deles também apresentarem comorbidades. “Entendemos que seguiremos com toda programação virtual, é um momento extremamente delicado para população idosa. Nossa equipe se reúne diariamente, estamos, em pauta, sim, possibilidades, mas são apenas possibilidades, mas não de retorno imediato, seria uma irresponsabilidade nossa enquanto governo. Há uma adesão muito positiva da programação nas redes e, principalmente, neste momento precisamos preservar vidas. É uma atitude de respeito ao idoso”.Confira a entrevista:
Confira a entrevista: 
 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS