Trianon e Museu Histórico de Campos têm energia religada após quase um mês
Matheus Berriel 25/06/2020 20:43 - Atualizado em 25/06/2020 20:50
Museu Histórico de Campos e Teatro Municipal Trianon
Museu Histórico de Campos e Teatro Municipal Trianon / Divulgação/Supcom
Após quase um mês, o Teatro Municipal Trianon e o Museu Histórico de Campos voltaram a ter energia elétrica na noite de quarta-feira (25). O restabelecimento do serviço pela Enel Distribuição Rio, ocorrido também no prédio da secretaria municipal de Transporte, foi efetuado após decisão judicial. 
— O restabelecimento do fornecimento de energia para o Jardim São Benedito será realizado assim que a Prefeitura viabilizar acesso da equipe técnica da Enel ao local. A empresa esclarece que está cumprindo decisão liminar da Justiça, após depósito consignado de R$ 123 mil feito em juízo pela Prefeitura. Vale ressaltar que a dívida da Prefeitura com a Enel atualmente é de R$ 11 milhões — informou em nota a concessionária. — A Enel Distribuição Rio reforça que os cortes foram precedidos de notificação, estando de acordo com a Resolução nº 878/2020 da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que dispõe de várias diretrizes de condutas a serem adotadas pelas concessionárias de energia elétrica em todo território nacional durante o cenário envolvendo o avanço da Covid-19 no país — complementou.
Também em nota, a Prefeitura de Campos informou que "a decisão favorável ao religamento se deu por dois argumentos apresentados à justiça: o primeiro por tratar-se de serviço essencial, e não poderia ter a energia cortada neste momento de pandemia. O segundo, devido o fato de a superintendência de Iluminação Pública já ter solicitado a Enel, há mais de um ano, a emissão de conta com código de barra individual para pagamento de fatura. Este último pedido havia sido negado pela concessionária — que agrupava conta de vários imóveis numa única fatura, fazendo com que o valor da conta ficasse muito elevado”.
No dia 27 de maio, a Enel cortou a energia do Museu Histórico, do Teatro Municipal Trianon, que sedia a Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, e de outros sete prédios públicos de Campos por falta de pagamento. Cinco dos prédios já haviam tido o serviços restabelecido. No caso específico do museu, desde o corte, estavam comprometidas a segurança, limpeza e preservação de acervos guardados no prédio, como denunciado à Folha pela diretora do espaço, Graziela Escocard.
— Encontramos a energia elétrica restabelecida nesta manhã no Museu Histórico de Campos, serviço este importante para a manutenção preventiva dos acervos. Hoje mesmo a equipe retorna com as gravações do projeto "Museu Virtual - Por Dentro do Museu", através de vídeos curtos, demonstrando nosso acervo, reconhecido e indicado pelo Instituto dos Museus Brasileiros, e contextualizando com a história regional. Entendemos a situação atual ocasionada pela Covid-19. No entanto, precisamos preservar muito bem a nossa história e não abandoná-la. Esperamos gradativamente, seguindo todas as recomendações, restabelecer nosso trabalho, assim como obter o retorno de toda equipe — afirmou Graziela Escocard, ao blog de Edmundo Siqueira, hospedado no Folha1 e que noticiou na manhã desta quinta que a energia havia sido religada.
No início de maio, o Museu Histórico, que completa oito anos na próxima segunda-feira (29), já havia sido prejudicado com a redução de sua equipe, causada pelo corte de contratos de estagiários e prestadores de serviços por Recibo de Pagamento a Autônomo (RPA) em virtude do Plano de Suspensão Emergencial. Também houve suspensão de contratos na equipe do Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS