MPF denuncia 29 pessoas na Greenfield
- Atualizado em 09/01/2020 20:01
O Ministério Público Federal (MPF) denunciou, no âmbito da operação Greenfield, 29 pessoas responsáveis pela gestão dos fundos de pensão Petros, Funcef, Previ e Valia. Elas são acusadas de gestão temerária na aprovação de investimento no Fundo de Investimentos e Participações (FIP) Sondas – veículo de investimentos da empresa Sete Brasil Participações. A empresa seria a responsável pela construção de sondas, unidades de perfuração, que viabilizariam a exploração do pré-sal.
De acordo com o MPF, o prejuízo causado aos fundos é de aproximadamente R$ 5,5 bilhões – o maior dentre todos os casos investigados pela Greenfield. A força-tarefa de investigação pede, além do recebimento da denúncia e a condenação dos acusados, a reparação econômica e moral das vítimas em valor equivalente ao triplo do prejuízo causado aos fundos: mais de R$ 16 bilhões.
Uma das investigadas e denunciadas em outra fase da operação Greenfield é a Planner Corretora de Valores, administradora do fundo Iluminati. Por sua vez, este fundo recebeu aporte de R$ 60 milhões do Instituto de Previdência dos Servidores de Campos (Previcampos) entre setembro e outubro de 2016. Esta transação também é alvo de outra investigação, da operação Encilhamento, por suspeita de desvio. (A.N.) (A.S.)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS