Sindicato dos Jornalistas do Rio Envia Recomendação à Câmara Municipal
17/10/2019 17:48 - Atualizado em 17/10/2019 18:09
BNB 1ª MÃO
Por Nino Bellieny
Graduado em Jornalismo pela Fundação São José, 2001/2005
Jornalista- Registro Pro:30067-RJ
Radialista- Registro Pro:6417
Ao resolver homenagear com uma moção de aplausos assinada por ele e mais 10 colegas- um foi contra e outra está de licença maternidade- o vereador Wellinton do Frango-PEN, de Itaperuna, não imaginava a polêmica a ser gerada com a sua simples e bem-vinda atitude.
Houve quem discordasse e prometesse retaliação de órgãos de classe, caso fosse entregue a moção às pessoas sem a devida formação em jornalismo e o consequente diploma, algo obsoleto desde a decisão do STF em 17/06/2009, ao derrubar a exigência para o exercício da profissão. 
Com a massificação das redes sociais e a liberdade de expressão  cada vez maior, ainda que, confundida com a de informação-bem diferente pelos cuidados obrigatórios ao se compor uma matéria jornalística-é impossível o controle de quem pode ou não pode trabalhar.
A única seleção será sempre a do consumidor de notícias. Ele dará voz ao mau ou ao bom jornalista, feito este de talento e caráter, qualidades nunca dadas por um diploma. 
Sem credibilidade e confiabilidade, os que insistirem terão um caminho curto.
É preciso o reconhecimento e o respeito necessário do povo, ou os excessos  serão, como já são, corrigidos pelo MPE e o Poder Judiciário. 
Existem excelentes jornalistas forjados pelas faculdades das redações sem nunca terem frequentado uma universidade e péssimos profissionais devidamente diplomados em cursos famosos.
A nota do Sindicato dos Jornalistas Rio, não é ofensiva, pelo contrário, é educativa, não proíbe a moção do vereador, nem teria tal poder, apenas procura orientar, mas ressalta o feito do STF e enquanto assim permanecer, qualquer um desejoso de trabalhar com a informação e dela viver dignamente, respeitando a Ética, as fontes, os colegas e principalmente a Verdade, poderá fazê-lo, sujeito às leis e responsabilidades como todo cidadão.
Este Blog vê como desnecessária a polêmica gerada pelos insatisfeitos e sugere a presença do sindicato nesta cidade, oferecendo cursos e capacitações aos não-formados, vigiando as leis trabalhistas, atraindo novos membros e evitando entrar em conflitos típicos de cada comunidade, onde só quem nelas vive sabe as razões ocultas em debates vazios.
A referida ditadura, contra qual tantos lutaram, pode assumir várias facetas, uma delas seria tentar impedir os agraciados de receberem a moção e ao vereador e à Câmara de entregarem-na.
Fac-Símile
 
 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Sobre o autor

    Nino Bellieny

    [email protected]