Servidores e bancários fazem manifestações
11/06/2019 09:27 - Atualizado em 11/06/2019 09:28
Rodrigo Silveira
Depois da greve, os servidores municipais de Campos, que retornam nesta terça-feira (11) aos seus postos de trabalho, farão manifestação nesta tarde, às 16h30, Câmara Municipal, não mais em frente à sede administrativa da Prefeitura. Os funcionários da municipalidade anunciam que vão esperar um posicionamento do prefeito Rafael Diniz até o dia 8 de julho. Porém, “não havendo boa vontade do Executivo, o movimento grevista se levantará com o apoio de todos os sindicatos e associações unificadas”.
Na página do Sindicato dos Servidores Públicos (Siprosep) no Facebook, os profissionais afirmam que “as visitas às unidades para conscientizar os servidores e população vão continuar para fortalecer o movimento”.
Os servidores frisaram ainda que “é necessário destacar que o estado de greve é uma forma de não causar prejuízos à população num momento tão difícil, visto a grande necessidade de assistência na saúde em função da grande incidência de casos de dengue e chikungunya no município”.
Segundo ainda o comunicado, a categoria retorna às atividades nesta terça-feira, em respeito à população. Durante esse período de estado de greve, toda semana haverá uma manifestação, que no decorrer da semana serão divulgadas.
No próximo dia 17, haverá também uma paralisação geral de 24 horas, para que os servidores possam participar da sessão extraordinária com o secretário de Gestão Pública, André Oliveira, que falará sobre os gastos da prefeitura e os impactos do reajuste da folha de pagamento nas finanças do município.
Os servidores municipais de Campos pleiteiam reposição salarial de R$ 4,18%, entre outras reivindicações, como reajuste do vale-alimentação e benefícios previstos no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), como a progressão salarial, além do retorno do plano de saúde e aumento do auxílio alimentação.
Após estudos de sua equipe, o prefeito Rafael Diniz alegou que não poderia conceder o aumento porque trará impactos nas finanças municipais, a ponto de ferir a própria Lei de Responsabilidade Fiscal.
Bancários — Em assembleia realizada na noite dessa segunda-feira, 10, na sede do Sindicato, os Bancários da base de Campos dos Goytacazes e Região aprovaram a participação na greve geral da próxima sexta-feira, dia 14. A paralisação está sendo convocada por todas as centrais sindicais do país e tem como principal foco barrar a reforma da Previdência.
Nesta terça-feira, os sindicatos participam de reunião na sede do Sindipetro NF, às 18h, para definir também o ato público que acontecerá no dia. Os bancários voltam a se reunir na véspera da greve para avaliação e organização do movimento.
O Sindicato representa os bancários em oito municípios da região Norte/Noroeste Fluminense (A.N.)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS