Mão de obra de SFI para porto
- Atualizado em 04/05/2019 13:24
Equipe da secretaria de Trabalho e Desenvolvimento de SFI
Equipe da secretaria de Trabalho e Desenvolvimento de SFI / Divulgação
O Porto Central, que está em fase de instalação no município de Presidente Kennedy, no Espírito Santo, poderá utilizar mão de obra de São Francisco de Itabapoana. As obras deverão ser iniciadas no segundo semestre deste ano e, em sua primeira fase, deve abrir cerca de duas mil frentes de trabalho. Na última sexta-feira (3) , a secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Humano de SFI esteve reunida com representantes da DV-F, empresa de consultoria responsável pelo porto, e na ocasião foi debatido a questão de qualificar e absorver mão de obra de SFI para atuar no Porto Central. Essa não é a primeira reunião neste sentido.
De acordo com a prefeita Francimara Barbosa Lemos (PSB), São Francisco de Itabapoana é um dos municípios limítrofes do Porto Central e está dentro do Raio de Influência Direta (RID). “Foi discutido o plano de ação e cronograma das obras, que tem previsão de início já no segundo semestre de 2019, e em sua primeira fase, empregará dois mil trabalhadores durante a sua execução, e para tanto, medidas de capacitação do povo sanfranciscano nas áreas de Construção Civil, Soldador, Torneiro Mecânico, Logística, entre outras, estão sendo planejadas desde agora, para que não fiquemos defasados, e, consequentemente, fora deste grande empreendimento”, declarou a prefeita.
Francimara destacou ainda que os projetos desenvolvidos pela Prefeitura foram elogiados. “Várias medidas que já tomamos como Cursos de Qualificação, e mais recentemente, o Balcão de Emprego, foram bastante elogiados pela DV-F, uma vez que antecipou várias etapas de preparação, reduzindo o tempo de execução das próximas fases”, comentou.
Em agosto de 2018, um grupo de representantes do Porto Central esteve reunido com integrantes do governo Francimara. Na ocasião, o Plano Estratégico do empreendimento para o município foi discutido. Representando o Porto Central, estiveram presentes o diretor José Salomão, a gestora ambiental Sueli Passoni Tonini e os consultores Orlando Caliman e José Teófilo Oliveira. Salomão destacou os principais benefícios que o Porto Central vai trazer para SFI e disse ainda que por intermédio de um planejamento estratégico com a participação do poder público e da comunidade, através de uma ampla discussão, será possível elaborar um projeto para atender as demandas regionais.
Complexo industrial está orçado em R$ 5 bi
O Porto Central será um complexo industrial portuário multipropósito que está sendo desenvolvido em Presidente Kennedy. Trata-se de um porto de águas profundas com até 25 metros de profundidade, capaz de receber navios de grande calado, e ocupará uma área de cerca de dois mil hectares. O empreendimento está orçado em aproximadamente R$ 5 bilhões e durante as obras deve contratar 4,7 mil pessoas, previstas para serem concluídas em 10 anos.
O Porto Central servirá grandes empresas dos setores de petróleo e gás, mineração, agrícola, de apoio à indústria offshore, assim como estaleiro e terminal de contêiner e carga geral que movimentarão cargas diversas como veículos, produtos siderúrgicos, coque de petróleo para cimenteiras, soja e fertilizantes, carvão, GNL, rochas ornamentais, etc.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS