Ponto Final - Razão de Bolsonaro
31/01/2019 23:22 - Atualizado em 18/02/2019 16:18
Razão de Bolsonaro
Raras vezes se viu um início de governo no Brasil tão tumultuado quanto o de Jair Bolsonaro (PSL). Após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) levantar forte suspeita da prática de “rachadinha” pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL), quando ainda era deputado estadual do Rio, as ligações do clã presidencial com a organização criminosa das milícias puseram em xeque o discurso moralista que pôs o capitão do Exército no Palácio do Planalto. Mas se tem uma coisa em que Bolsonaro está coberto de razão é quando volta e meia afirma: “Nós temos que tirar o Estado do cangote do empreendedor brasileiro”.
Tradição empreendedora
Em São João da Barra, foi demonstrado o peso da burocracia e voracidade do poder público sobre quem empreende. E logo sobre os pequenos. Quem costuma visitar o município sem se deparar com as barraquinhas de ambulantes à beira da BR 356, no trecho de Cajueiro? Fazem parte da cultura sanjoanense e da memória afetiva de quem frequenta Atafona, Grussaí e Chapéu de Sol. Ontem, o site da Prefeitura de SJB anunciou que termina hoje o cadastro anual para os responsáveis pelas 35 barracas que oferecem à beira da estrada produtos típicos da terra, como caju, castanha, graviola, pitanga, coco e ovo da roça.
Pouco é muito
O cadastro dos barraqueiros só começou a ser feito na última segunda-feira, na Sala do Empreendedor, ao lado da 145ª DP de São João da Barra. E quem não o fizer, nesse prazo exíguo de cinco dias, é ameaçado de não poder mais seguir na atividade econômica que costuma passar entre gerações de famílias de baixa renda. A quem para de carro e compra os produtos rurais, pode parecer pouco. Mas a taxa anual de R$ 161, cobrada pela superintendência municipal de Comércio, Serviços e Empreendedorismo, faz diferença no orçamento de quem vende nas barracas para sustentar sua família.
Matemática política
Os barraqueiros de Cajueiro sofreram um grande baque na produção da fruta que dá nome à localidade. Em 2005, uma praga conhecida como mosca branca destruiu 90% dos pés de caju da região. Só em 2010, com o plantio de 45 mil mudas, trazidas do Ceará, a atividade começou a se recuperar. O superintendente de Comércio, Serviços e Empreendedorismo do governo Carla Machado (PP) é Luciano Barreto. Em 2016, foi candidato a vereador pelo Pros, teve apenas 134 votos e não se elegeu. Com as 35 barracas multiplicadas pelos quatro da média de cada família que sustentam, são no mínimo 140 pessoas afetadas.
Testemunho
Os barraqueiros de Cajueiro falaram à reportagem da Folha sobre o “peso do Estado”, representado pelo governo sanjoanense, sobre sua atividade de subsistência: “Nós temos que pagar uma taxa de R$ 161, só que marcaram de última hora. Já que é um cadastro anual, eles poderiam deixar para quitar até dezembro. É complicado tirar esse valor do nosso bolso agora para pagar. Só mexem nisso no verão, na hora que nosso movimento é maior. Temos que deixar de trabalhar para resolver isso. No inverno, não aparecem. Pra mim, o cadastro não vai adiantar de nada, igual ao ano passado”, criticou a barraqueira Jéssica Oliveira, de 23 anos.
Educação
O município de Campos conseguiu superar a meta prevista para até 2024 do Plano Nacional de Educação (PNE) e a do Plano Municipal para atendimento às creches. Ao contrário do que ocorre com o ensino fundamental, não existe obrigatoriedade de universalização de oferta em vagas em creche. Entretanto, o plano estabelece que, pelo menos, 50% das crianças de até três anos de idade sejam atendidas. Hoje, mais de 60% são beneficiadas e a previsão é que este percentual ainda cresça. Uma boa notícia para a volta às aulas.
Prazo adiado
O Governo do Estado do Rio de Janeiro prorrogou o prazo do recenseamento obrigatório para os servidores ativos, aposentados e pensionistas nascidos nos meses de novembro e dezembro. Eles terão até o dia 7 de março de 2019 para realizar o procedimento em qualquer agência do Bradesco do país. Esta é a última chance para que 18 mil servidores, que ainda não se cadastraram, façam a atualização cadastral e não tenham seus salários suspensos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS