Processo contra Neco por apropriação indébita perto do desfecho
14/09/2018 16:28 - Atualizado em 14/09/2018 16:34
Denunciado pelo Ministério Público (MP) do Estado do Rio de Janeiro em março deste ano por nove crimes de apropriação indébita referente à contribuição previdenciária dos servidores municipais, o ex-prefeito José Amaro Martins de Souza, o Neco (MDB), é réu e o processo está próximo do desfecho em primeira instância. A audiência aconteceu no último dia 5 de setembro. Agora, correm os prazos para manifestação do MP e alegações finais da defesa, antes da sentença.
A denúncia do MP aponta que no período de abril a dezembro de 2016 a gestão Neco recolheu do servidor a contribuição previdenciária, no montante de 11% dos proventos mensais, mas não repassou ao SJBPrev, fundo municipal de previdência criado na gestão do emedebista.
Na audiência, foram colhidos depoimentos do próprio Neco, da atual prefeita, Carla Machado (PP), do atual secretário de Fazendo, Allan Barcelos, do atual secretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Luiz Paulo Madureira (que chegou a presidir o SJB Prev), e do advogado Geraldo Beyruth, aposentado da Prefeitura e membro do conselho de administração do SJBPrev. “Ainda em 2016, como membro do conselho, eu ficava muito preocupado com a situação do SJBPrev. Ele (o ex-prefeito) falava sempre que a dificuldade era grande. Mas, uma vez que descontava do servidor, esse dinheiro não era mais da Prefeitura”, contou Geraldo.
Quando a denúncia foi apresentada, Neco fez uma postagem em sua rede social afirmando: “Tudo isso irá passar e a minha defesa mostrará a verdade para todos”. O crime imputado ao ex-prefeito tem pena prevista de dois a cinco anos de prisão para cada uma das denúncias.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Sobre o autor

    Arnaldo Neto

    [email protected]