"A pessoa vê a capa e acha que leu o livro..."
- Atualizado em 15/07/2017 11:03
 
capa e conteúdo
capa e conteúdo / google
 Na maioria das vezes temos o hábito de julgar... julgar apressadamente, julgar pela aparência, julgar com preconceito. E sempre que o fazemos, nos colocamos na condição de apontar para alguém... nos esquecendo que somos humanos, esquecendo nossa fragilidade, esquecendo de que os erros são puro aprendizado... E mais do que isso, não contextualizando a situação e muito menos as dificuldades das pessoas. É lógico que todo juízo nos serve de bússola, aprendizado, caminho, de equilíbrio para nos reerguer de situações. Mas nunca para diminuirmos, depreciarmos, ganhar audiência com a dificuldade alheia. E o que assistimos hoje em dia, por uma parcela da população, infelizmente é vilipendiar o sofrimento do outro. Pessoas que utilizam as redes sociais para propagar a dificuldade do outro, a queda impensada. “Cuidado, o julgamento preconceituoso pode lhe privar da verdade...” nos diz o Padre Fábio de Melo. O episódio que envolveu o ator Fábio Assunção no dia 24 de junho, após se envolver em uma confusão na festa São João do Arcoverde, no Sertão de Pernambuco nos faz refletir sobre o momento que estamos vivendo. Em vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver o ator alterado e discutindo com um grupo de moradores locais. Em outro vídeo, o artista aparece dentro de uma viatura policial. Fábio foi levado ao Hospital Memorial de Arcoverde com ferimentos leves e lá, apresentava sinais de embriaguez e teria discutido com funcionários do hospital. Da unidade de saúde, ele voltou para o Pátio de Eventos, onde acontecia a festa. Por meio de sua conta oficial no Instagram, o ator lamentou o ocorrido e garantiu que não utilizou nenhum tipo de droga ilícita. "Não fiz uso de nenhuma droga ilícita — o que será comprovado pelo exame toxicológico que eu mesmo pedi para ser feito. Serei responsável pelos danos causados", diz um trecho do post. No comunicado, o ator global confirma que se envolveu em uma briga e que errou ao se "exceder". "Agora estou bem. Agradeço pelas tantas manifestações de carinho e apoio que recebi. Peço a todos sinceras desculpas. Não é fácil, mas reconhecer meus erros e procurar sempre aprender com eles é o que eu desejo", escreveu. Diversas pessoas se manifestaram nas redes sociais. O escritor Fabrício Carpinejar comenta: "Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção" e critica exposição do ator em situação delicada: "É ser cúmplice de vandalismo psicológico". Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE) na madrugada desse sábado (24/6). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa.” . Outros artistas também saíram em defesa do ator, através das redes sociais, demonstrando solidariedade ao colega. “Seja acolhido pelo carinho e amor das pessoas que te conhecem”, escreveu a cantora Ivete Sangalo no Instagram. O autor Walcyr Carrasco também declarou apoio ao ator. “Eu acho incrível como as pessoas gostam de julgar sem conhecer todos os fatos. Fábio se explicou. Mas antes disso houve uma onda terrível de meias notícias e comentários”, publicou. Nos diz o pensador e filósofo Osho... “O julgamento é feio - ele fere as pessoas. Ame-as, aceite-as e, talvez, seu amor e respeito possa ajudá-las a mudar muitas de suas fraquezas, muitas de suas falhas - porque o amor lhes dará uma nova energia, um novo significado, uma nova força...”
Dias atuais... turbulências nos visitam em todas as instâncias, nos tirando a força e o foco em vencermos a nós mesmos. Julgamentos prontos, pensamentos desconexos, tecnologia que se desfoca mostrando na rede inverdades e maldade. Esse é o mundo em que vivemos. Que tenhamos a sabedoria e o discernimento de entendermos que somos humanos, portanto falhamos, todos nós, sem exceção. Que este episódio que envolveu o ator Fábio Assunção sirva como reflexão para todos nós que desejamos um mundo melhor, mais humano, tecnológico sim, porém verdadeiro. Que o nosso tempo seja gasto nas redes... plantando e semeando sementes do bem, do amor, falando do calor do sol, da chuva que lava a alma, dos amigos, da família, das nossas crenças, repartindo a nossa poesia... e de tudo de bom que nos conduz a uma vida verdadeira, com emoção, sem falsos sorrisos, sem julgamentos e que não seja apenas uma vida de aparência... pois, segundo o Padre Fábio de Melo... “A pessoa vê a capa e acha que leu o livro”... nada é simples assim... Somos o que verdadeiramente carregamos no coração, e este, na maioria das vezes, não conseguimos enxergar, tocar, acessar sem amor... não façamos com o outro o que não queremos para nós. E como nos diz Clarice Lispector... “Atitude é uma pequena coisa que faz uma grande diferença.” Que sejamos, então, essas pessoas capazes de fazermos a diferença nas trilhas por onde andarmos... Não sejamos capas... e sim um ótimo e prazeroso conteúdo.
Com afeto,
Beth Landim

ÚLTIMAS NOTÍCIAS