Chequinho
20/04/2017 11:33 - Atualizado em 28/04/2017 12:55
Chequinho
Durante requerimento do vereador Igor Pereira (PSB), para repúdio da educação em nível estadual, os debates acabaram resvalando para o caso Chequinho. Cinco vereadores – Thiago Ferrugem (também em prisão domiciliar), Vinicius Madureira, Jorge Magal, Roberto Pinto e Cecília Ribeiro Gomes – foram afastados pela Justiça Eleitoral, totalizando os 11 eleitos e que já foram condenados na esfera eleitoral e respondem, também, na criminal.
Provações
De oposição, o vereador Alonsimar disse que muitos vereadores que agora estão com Rafael caminharam com o antigo governo, da ex-prefeita Rosinha. Da bancada governista, o vereador Genásio, que já foi do grupo rosáceo, afirmou que é vereador de mãos limpas, não é suplente e eleito. E foi mais longe: “Não fui eleito com coisas escusas porque senão estaria em casa com tornozeleira eletrônica”.
Doeu
Também réu na Chequinho e já condenado na esfera eleitoral, o vereador Geraldinho de Santa Cruz é também suplente e não ficou quieto. Subiu à tribuna e respondeu à provocação: “Digo quem comprou voto em Santa Cruz e posso provar. Estou cheio de ouvir besteira aqui. Sou um cara de 54 anos, sou pai, sou avô. Fiz parte do governo que passou, mas quero ajudar minha cidade a progredir. Não vim aqui para ficar trocando farpas com ninguém, mas também não vou ficar ouvindo besteira de hipócrita”. O vereador Silvinho, que estava na tribuna, encabeçou a turma do “deixa disso”, levando na brincadeira para acalmar os ânimos.
Irregularidades
Em tempos de condenações e afastamentos de vereadores de Campos por envolvimento, segundo a Justiça, na distribuição fraudulenta do Cheque Cidadão, tem prefeito caindo no Estado do Rio também por irregularidades em programas sociais. Ontem, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou os diplomas do prefeito e vice-prefeito de Paraty, Casé (PMDB) e Luciano Vidal (PMDB). Ambos foram acusados do uso irregular do “Paraty, Minha Casa é Aqui” e prática de conduta vedada a agente público, em função da edição de lei complementar durante período eleitoral. Casé e Luciano ainda podem ajuizar embargos de declaração no TRE.
Ameaçado
Conhecido como o “Sérgio Moro do Rio”, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, recebeu três ameaças de morte em uma semana. Responsável pelas decisões da Lava Jato no Rio, foi Bretas quem decretou as prisões do ex-governador Sérgio Cabral, o ex-secretário de Saúde do Rio, Sérgio Cortes e os empresários Eike Batista e Fernando Cavendish, da Delta Construções. A Polícia Federal investiga as ameaças. Na semana passada, o Tribunal Regional Federal (TRF), da 2ª Região decidiu reforçar a segurança de Marcelo Bretas.
Charge do dia
Charge do dia 20/04
Charge do dia 20/04/José Renato
Em SJB
A Câmara de São João da Barra aprovou, ontem, uma lei que dispõe sobre a regulamentação do uso de veículos de tração animal (carroças, charretes) no município. Fica proibido o emprego destes veículos e a condução de animais com carga no horário de 18h às 5h (horário normal), bem como, 20h às 05h, quando for horário de verão. Estão excluídos dessa exigência os utilizados para fim turístico. Apesar da boa vontade do Legislativo, nada de efetivo irá acontecer se o Executivo não atuar de forma rígida na fiscalização.
Padroeira
E por falar em SJB, a semana é festiva em sua praia mais conhecida: Atafona. São dias de homenagens à padroeira Nossa Senhora da Penha, que tiveram início no domingo e prosseguem até segunda-feira. A novidade deste ano fica por conta da romaria luminosa, que saíra da igreja São João Batista, na sede do município, manhã às 16h, e vai caminhando até o templo em Atafona. A procissão fluvial no domingo, às 15h, e a procissão terrestre — patrimônio imaterial do estado do Rio — na segunda-feira, às 17h, prometem reunir milhares de fiéis.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    BLOGS - MAIS LIDAS