"O Cidadão Ilustre no Cineclube Goitacá"
Jhonattan Reis 19/04/2017 11:00 - Atualizado em 22/04/2017 13:30
null
Lançado há sete meses e ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro este ano, o longa-metragem argentino “O Cidadão Ilustre” (El Ciudadano Ilustre, 2016) será exibido nesta quarta-feira (18) à noite no Cineclube Goitacá. O filme tem direção assinada por Mariano Cohn e Gastón Duprat. O apresentador da noite é o advogado e publicitário Gustavo Oviedo. A sessão, que tem entrada gratuita, começa às 19h, na sala 507 do edifício Medical Center — na esquina da rua Conselheiro Otaviano com a Treze de Maio, no Centro.
“O Cidadão Ilustre” conta a história de Daniel Mantovani (Oscar Martínez), um escritor argentino, radicado há 40 anos na Europa, que ganha o Prêmio Nobel de literatura. Por conta disso, ele recebe a distinção de Cidadão Ilustre de sua terra natal, Salas, uma cidadezinha do interior da província de Buenos Aires e que inspirou a maioria de seus livros. Apesar de nunca ter retornado à sua cidade desde a juventude, Daniel decide viajar para receber o galardão. Porém, a ilustre visita desencadeará uma série de situações complicadas entre ele e o povo local.
Oviedo explicou o porquê da escolha do filme.
— Porque se trata de uma obra inédita na nossa cidade, apesar de ter sido exibida no Festival do Rio. Ademais, penso que pode render um bom debate, dado que dará a possibilidade de discutir sobre a cultura, sobre a necessidade de sua preservação por parte do estado e a valorização que por vezes se dá a uma obra apenas por ser “da terra”, sem considerar seus aspectos intrínsecos — disse.
De acordo com o apresentador da noite, o filme aborda a relação difícil entre o artista e a realidade.
— Especialmente a realidade de uma cidade provinciana que contrasta com os valores e a visão do mundo do escritor. Este se utilizou das histórias de sua cidade para criar a sua literatura, mas não suporta viver lá. A cidade, por sua vez, quer manifestar o seu orgulho pelo seu cidadão reconhecido internacionalmente, mas não está disposta a suportar a falta de compromisso com o chauvinismo e o com o tribalismo que o escritor demonstra.
Além do Oscar, o filme também é vencedor do prêmio Volpi de melhor ator no Festival de Veneza. E a atuação do protagonista, Oscar Martinez, foi o destaque de Oviedo.
— “O Cidadão Ilustre” conta com a excelente atuação de Martinez, que também trabalhou no filme “Relatos Selvagens” (Relatos Salvajes, 2014, de Damián Szifron, indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2015). E com o humor que por vezes aparece na história, cuja visão é impiedosa para com os habitantes da cidade, mas também para com o próprio escritor — comentou.
Sobre a produção de filmes argentinos que ganharam destaque internacional — como “O Cidadão Ilustre”, “Relatos Selvagens” e “O Homen ao Lado” (El Hombre de al Lado, assinado pela mesma dupla de diretores do primeiro) —, Oviedo relatou:
— O cinema argentino está tendo repercussão internacional por um motivo muito simples: se está fazendo bom cinema lá. As escolas que surgiram nas últimas décadas ajudaram a aprimorar os conhecimentos técnicos. Mas, mais importante do que isso, houve a percepção nos realizadores de que o mais importante é a forma em que uma historia é contada. E para que a história seja atrativa, tem que saber dominar a linguagem cinematográfica. Em outras palavras, os diretores se colocaram no lugar do espectador.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    BLOGS - MAIS LIDAS