Resoluções de fim de ano
Mariana Luiza 22/01/2017 01:21 - Atualizado em 19/12/2017 17:16
Sou leonina, com lua em Peixes e ascendente em Escorpião. Nem meu signo solar, muito menos o lunar e o ascendente explicam minha mania por listas. Ela vem de algo mais profundo e negligenciado pela astrologia. Eu tenho mãe em Virgem. Pior do que ascendente em Escorpião (garanto, não é fácil!) uma mãe em virgem pode causar uma série de complexos para aqueles cujo planeta progenitor regente se encontra no sexto signo astrológico do zodíaco.
A psicanálise freudiana pode explicar a minha necessidade de ser tão detalhista e específica quando elenco tarefas. Mas acredito que ainda preciso de muita terapia para superá-la. Tenho listas pra tudo em todos os cantos. No celular, um bloco de tarefas permanente, intitulado Pendências, onde enumero incumbências diversas como uma reunião que preciso marcar ou o anúncio que quero fazer pra vender aquele desumidificador que comprei em 10 prestações e só usei uma vez. Na bolsa, tenho dois caderninhos. O preto com tarefas e atividades do meu trabalho como vendedora: reuniões, clientes que preciso ligar, empresa que tenho que pesquisar contato. E o vermelho que registra anotações e ideais literárias, assuntos para o blog, artigos relacionados a algum tema de interesse....
No computador, no bloco de tarefas, muitas vezes reescrevo as obrigações listadas no caderninho preto. E não é incomum encontrar uma mesma tarefa relatada em listas distintas. Para organizar todas estas anotações, muitas vezes, me pego dobrando uma folha de papel A4 em quatro partes e passando a limpo as atividades mais urgentes de cada bloco ou caderno. Eu tenho mais habilidades em passar listas a limpo do que propriamente executá-las. E acabo levando para a terapia a minha eterna sensação de deveres incompletos. Tenho uma extensa lista de coisas que relacionei e planejei, mas nunca fiz. A organização extrema e quase neurótica tem a ver com a mãe em Virgem, mas para o não realizar das coisas ainda procuro explicação astrológica e psicanalítica.
Pensei que talvez, a minha procrastinação estivesse relacionada à minha lua em Peixes. Mas não tenho conhecimento de que algum peixe ou cardume que tarde suas tarefas. O mesmo fazem os escorpiões e os reis da selva. Nenhum animal delonga pela vida. Só os Homo Sapiens. Sem necessidade de listas, peixes, leões e escorpiões cumprem o que se destinam. Enquanto isso, já se passaram seis meses que a minha pequena Caliandra está desfolhada e eu ainda não liguei pro médico de bonsai, cujo telefone consta na minha lista Pendências. Por isso, e por tantos outros motivos relacionados à ansiedade, ao excesso de informações e estímulos que recebemos diariamente, sou contra resoluções de fim de ano. Já são tantas as obrigações não cumpridas a que me submeto que me obrigar a fazer uma lista de resoluções que obviamente não serão realizadas no próximo ano me parece perda de tempo e munição para culpas futuras. 
Porém, preciso confessar que para uma pessoa como eu, adicta à listas, finalizar um ano sem resoluções é muito mais um ato de resistência do que de rebeldia. Querer o não querer é tarefa difícil. Mas enquanto me convenço da resolução de não fazer resoluções, vou colocando nas listas e cadernos os desejos de emagrecer 11 quilos, comprar uma bicicleta para andar todos os fins de semana, voltar para o pilates, comer mais verduras, escrever semanalmente no blog, revisar o livro juvenil, finalizar o roteiro do filme, pintar o corredor do meu apartamento com alguma cor que ainda não consegui me decidir...      

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Sobre o autor

    Mariana Luiza

    [email protected]