CIDAC – Uma gestão padrão PSDB
Robson Colla 11/01/2017 15:37
Foi com muita satisfação que li o DO de Campos hoje. Nele, está publicada a nomeação dos companheiros Leonardo Mocaiber, Rafael Nascimento, Felipe Zacarias e Rhanieri Siqueira. São exatamente esses quatro companheiros, acrescido de Marcos Ribeiro, que juntamente comigo e Ranulfo Vidigal, deram início ao sonho de construção do CIDAC como ele é atualmente: um órgão extremamente técnico, enxuto, com cerca de 90% de concursados em sua composição e que busca resultados práticos para a administração pública. Mas não foi fácil! Quando assumi o CIDAC em janeiro de 2009, como Diretor de Tecnologia, a convite de Ranulfo, o cenário era completamente diferente do que temos hoje. O CIDAC cuidava única e exclusivamente do projeto Navegar é Preciso, já então bastante sucateado e sem funcionar na ampla maioria dos locais, servindo tão somente de cabide de empregos para apadrinhados políticos do governo anterior. Eram cerca de 240 funcionários, nenhum Analista de Sistemas nem programador. Ninguém de área técnica em atuação. O servidor de dados do CIDAC era um computador comum, da marca positivo, com 256MB de memória e HD de 40GB, que ficava embaixo de uma mesa, conforme atestou o hoje Reitor do IFF, Jefferson Manhães, quando em visita ao órgão. NOSSA EQUIPE Tive total liberdade de montar minha equipe de trabalho e, de pronto, trouxe Marcos Ribeiro, que estava sendo desligado da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Rhanieri Siqueira, que estava sendo desligado do CCZ, ambos por fazer parte do governo Mocaiber. Marcos Ribeiro, ou Marcão, é Analista de Sistemas formado e, eu usando de minha amizade com o então gestor da pasta, Eraldo Bacelar, solicitei que o encaminhasse para meu órgão, ao invés de desligá-lo. Já com Rhanieri, Médico Veterinário por formação, mas que trabalhava no CCZ com algo que eu já vislumbrava como uma importante ferramenta de auxílio à gestão municipal, o geo-referenciamento, eu agi da mesma forma. Em ambos os casos me ative apenas às questões técnicas deles e não na política. Tive total apoio tanto de Ranulfo quanto da Prefeita Rosinha. Com os dois já dentro do CIDAC, começamos a montar a nossa base e, essa, se deu de maneira estritamente técnica, como reza as melhores práticas empresariais: através de currículos. Rafael Nascimento, a quem demos o codinome 02 (como Tropa de Elite), é Analista de Sistemas por formação com Pós-Graduação em Produção e Sistemas; Felipe Zacarias, nosso 03, é Analista de Sistemas formado pela PUC-Rio e com larga experiência em São Paulo, em empresas como IBM, Hospital das Clínicas e outras; Leonardo Mocaiber, nosso 04, também Analista de Sistemas por formação e com larga experiência internacional, tendo sido gestor de TI de uma subsidiária da Globo na Suíça por quase dois anos. Foi essa a equipe que montamos e que permaneceu mesmo após a minha saída, em março de 2016. Após o concurso público ocorrido, e com o chamamento das vagas de técnicos de informática, Analistas de Sistemas e outros, montamos o grupo que hoje se encontra no CIDAC e vem trazendo tantas conquistas para o município, na área da Tecnologia da Informação. Quando saí, deixei cerca de 45 funcionários, 90% concursados (todos da área de TI), somente 5 DAS (todos da área de TI) e muito poucos contratados (só área administrativa). INFRAESTRUTURA Como dito acima, nada encontramos no CIDAC que se assemelhasse a uma mínima estrutura. Começamos, então, a buscar dentro dos órgãos da PMCG equipamentos que estivessem em desuso e achamos alguns servidores. Vale lembrar que nos deparamos com um parque tecnológico completamente defasado e, em muitos casos, caótico. Arrumamos a casa, não foi fácil! Mas arrumamos. Entregamos, em que pese as dificuldades do final do governo Rosinha, uma área de tecnologia da informação organizada e atuante. Campos é uma das poucas cidades de porte médio do Brasil que possui uma rede própria de fibra óptica. São mais de 50km de fibra interligando todos os órgãos gestores do município e as praças digitais (são 18), outra ação lançada por nós e somente anos mais tarde copiado pela cidade de São Paulo, por exemplo. Hoje temos mais de 18 servidores físicos, cerca de 45 servidores virtualizados, Storages, Firewalls, No-breaks de alta capacidade etc. Tudo isso dentro de uma coisa impensável quando assumimos, um DataCenter municipal. São inúmeros sistemas desenvolvidos em software livre e diversos sites para a maior parte dos órgãos. Política de segurança de dados; PDTI; trabalhos de Geo-referenciamento apresentados em seminários internacionais; parceiras com universidades, Exército e Polícia Militar e tantas outras ações, que seria necessário um livro para descrevê-las todas. São milhões e milhões economizados pelos cofres públicos ao longo desses anos. Recomendo que acessem o site do CIDAC e o conheçam um pouco mais: www.cidac.campos.rj.gov.br. POR FIM... Mostramos que é possível fazer gestão pública de forma técnica, profissional e sem ingerência política. E fizemos! Recriamos um órgão que retomou, em parte, a sua origem, como concebido pelo professor Etevaldo Pessanha, seu idealizador. Mostramos o jeito PSDB de gerir a coisa pública! É com imensa satisfação que vejo que o atual governo manteve toda a base criada por mim no CIDAC, mostrando que o rumo que demos ao órgão transcende governos, aliás, como deveria ser a prática qualquer que fosse o órgão, seja da administração direta ou indireta. Parabéns ao Prefeito Rafael Diniz mas, principalmente, parabéns e meu eterno obrigado aos servidores do CIDAC, que vestiram, desde sempre, a “camisa” do órgão e se esforçam, mesmo diante das inúmeras dificuldades, para fazer, dia após dia, o melhor para o município de Campos. Termino com o nosso bordão, que tanto orgulho temos, pois sempre serei um "cidaqueano": We are CIDAC!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    BLOGS - MAIS LIDAS